F-E
17/03/2018 13:13

Di Grassi voa na Superpole e anota pole-position para eP de Punta del Este. Mas fica sob investigação

Regularidade. Se no ano passado foi Lucas Di Grassi quem fez melhor uso disso para ser campeão, agora é Jean-Éric Vergne quem vai tentando emular. Com os rivais pelo título da Fórmula E fora da Superpole, novamente entre os ponteiros, larga em quinto. E o próprio Di Grassi leva pole
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM,  do Rio de Janeiro
 Lucas Di Grassi (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)

Poucas vezes na história da Fórmula E um treino classificatório teve tantas batidas. Foram quatro, uma em cada grupo. Na empoeirada pista de Punta del Este, neste sábado (17), quem conseguiu nem bater ou desrespeitar os limites da pista levou vantagem. Ao menos na pista, a pole-position ficou com Lucas Di Grassi pela velocidade que imprimiu. O piloto da Audi melhorou a volta que havia dado na fase de grupos, algo raro na FE, e encaixou 1min13s948. Mas o toque em um poste de amarração colocou Lucas sob investigação - assim como Alex Lynn e Oliver Turvey. Caso Di Grassi não seja punido e fique com a pole, será a quarta dele na categoria.

O que aconteceu é que os três membros da Superpole atropelaram um poste de amarração colocado, ao menos na letra fria da lei, fora dos limites da pista. Os três encerraram a sessão correndo o risco de terem os tempos deletados. 
 
Neste caso, quem aguarda bem atentamente é Mitch Evans. O piloto da Jaguar ficou atrás de Di Grassi e Lynn, mas, se confirmadas as punições, será ele a levar três pontos e largar na posição de honra. Com o líder do campeonato, Jean-Éric Vergne, em segundo após fazer um quinto tempo altíssimo, quase 3s atrás de Di Grassi.
Lucas Di Grassi (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)
De qualquer forma, para Vergne, a classificação já é excelente. Ele parte entre os primeiros, enquanto Felix Rosenqvist sai apenas em 14º e Sam Bird é o décimo. Daniel Abt, Sébastien Buemi, André Lotterer, Maro Engel e Bird ficam, invariavelmente, entre as posições seis e dez. Nelsinho Piquet bateu ainda na fase de grupos e ficou sem volta dada com a máxima energia. Parte em 19º.
 
A largada para o eP de Punta del Este está marcada para 16h (em Brasília).

Confira como foi o treino de classificação:
 

Grupo 1 - Lucas Di Grassi, Maro Engel, Jérôme D'Ambrosio, Tom Blomqvist e Luca Filippi
 
É difícil ter uma ideia real do quão rápido algum piloto está no primeiro grupo, mas Di Grassi saiu logo atrás de D'Ambrosio e tentou fugir dos outros três membros do grupo para não ser atrapalhado. E deu um giro encorajador para ele mesmo. Com 1min14s032, volta melhor que todos os outros pilotos haviam dado no dia até ali, ao menos a esperanças estava viva.
 
Um pouco antes de Lucas, D'Ambrosio tinha dado o tom do que seria o grupo. Ficou mais de 0s6 atrás e ainda foi muito superior a Filippi - 1min15s4 - e Blomqvist - 1min16s4. Engel foi um tanto melhor, mas apenas na casa de 1min14s5.
António Félix da Costa nos preparativos da Andretti no balneário uruguaio (Foto: Dalton Yamashita/Grande Prêmio)

Grupo 2 - José María López, Nicolas Prost, André Lotterer, António Félix da Costa, Alex Lynn
 
O argentino López tentava seguir levando a Dragon onde o companheiro veterano D'Ambrosio não anda conseguindo - e até foi melhor, mas apenas alguns centésimos. Lotterer, enfim se entendendo com o veloz carro da Techeetah pulou momentaneamente para a segunda colocação, mas apenas com 1min14s4. Da Costa foi outro que não empulgou muito, confirmando que a Andretti tem dificuldades no Uruguai.
 
Quem conseguiu alguma aproximação do tempo de Di Grassi foi Lynn. O piloto da DS Virgin marcou 1min14s135 e bateu Lotterer para entrar de vez na briga pela Superpole. Prost, por sua vez, viveu mais uma desventura ao bater de frente, aparentemente sem muito controle da direção do carro. O francês ficou sem volta em 200 kw.
 
Grupo 3 - Edoardo Mortara, Oliver Turvey, Mitch Evans, Nick Heidfeld, Daniel Abt
 
Segundo e terceiro colocados no segundo treino livre, Evans e Turvey chegaram como favoritos à briga pela Superpole. E não decepcionaram, não. O piloto da Jaguar conseguiu igualar Di Grassi na barreira do 1min14s0, apenas 0s061 atrás. Turvey foi rápido também e colou em Lynn para ficar com a quarta colocação. 
 
Além dos dois, o vencedor do eP da Cidade do México, Abt, não ficou tão para trás. Cravou o quinto posto e com chances enormes de sair da zona da Superpole após o grupo 4 andar, mas ao menos ficou próximo dos rivais.
 
O mesmo não deu para ser dito de Heidfeld. O veterano da Mahindra não conseguiu contornar a chicane e bateu na barreira de proteção que delineava o contorno. Quebrou a asa dianteira esquerda e causou bandeira vermelha, o que atrapalhou Mortara e atrasou o quarto grupo. No fim, o italiano ganhou a permissão para recomeçar a volta e ainda foi capaz de pular para o 12º posto.


 

Grupo 4 - Jean-Éric Vergne, Felix Rosenqvist, Sam Bird, Sébastien Buemi e Nelsinho Piquet
 
Após uma etapa que acabou desastrosa para si, Bird saiu bem na frente do resto do grupo para buscar um espaço nas primeiras colocações. E não conseguiu, porque ficou apenas em 1min14s552, bem mais lento que o companheiro Lynn. Por incrível que pareça, conforme o grupo foi avançando foi ficando claro que não seria uma bonança de velocidade. Rosenqvist, péssimo no dia até aqui, também foi mal, ficou apenas em 1min15s1.
 
Buemi pulou mais para frente, mas atrás de Abt. Quem foi bem mesmo? O líder do campeonato. Vergne voou e superou Di Grassi. Aliás, foi para a liderança com 1min13s672 - exatamente a mesma volta com a qual Di Grassi liderou o TL2.
 
Para completar a média de uma batida por grupo, Piquet também bateu. No fim das contas, largará na 19ª colocação salvo alguma punição que empurre alguém mais para trás.
 
Desta forma, Vergne, Di Grassi, Evans, Lynn e Turvey se garantiram na Superpole.
Mitch Evans (Foto: Jaguar)
Superpole
 
Turvey não passou muito bem quando abria os trabalhos e anotou apenas 1min14s9, mas saiu investigado por alguma coisa que não ficou exatamente clara no primeiro momento. O motivo só surgiu após Lynn, mais rápido que ele, cometer a mesma imprudência: passar por cima de um poste de amarração localizado fora dos limites da pista. Evans, com mais cuidado após ser avisado pela Jaguar a não repetir o erro, até beijou o muro de leve e escapou sem maiores incidentes. Atrás de Lynn, mas sem uma investigação contra si.
 
Na sequência, Di Grassi passou voador. Melhorou a volta que havia feito nos grupos e pulou para um favoritismo enorme de pole. Mas também atropelou o poste e recebeu uma investigação para si. 
 
Restava o líder, Vergne, que errou. Reclamou dele mesmo no rádio e passou muito alto, na casa de 1min16s. Sem investigação, no entanto.
 
Apesar da grande possibilidade de mudança tardia, Di Grassi e Lynn terminaram com a reserva da primeira fila. Evans, Turvey e Vergne ocuparam as posições subsequentes.

Fórmula E, eP de Punta del Este, Grid de Largada:

1 LUCAS DI GRASSI BRA AUDI ABT 1:13.948  
2 ALEX LYNN ING VIRGIN DS 1:14.189 +0.241
3 MITCH EVANS NZL JAGUAR 1:14.640 +0.692
4 OLIVER TURVEY ING NIO 1:14.978 +1.030
5 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TECHEETAH 1:16.806 +2.858
6 DANIEL ABT ALE AUDI ABT 1:14.224 +0.276
7 SÉBASTIEN BUEMI SUI RENAULT 1:14.320 +0.372
8 ANDRÉ LOTTERER ALE TECHEETAH 1:14.442 +0.494
9 MARO ENGEL ALE VENTURI 1:14.523 +0.575
10 SAM BIRD ING VIRGIN DS 1:14.552 +0.604
11 JOSÉ MARÍA LÓPEZ ARG DRAGON 1:14.605 +0.657
12 JÉRÔME D'AMBROSIO BEL DRAGON 1:14.673 +0.725
13 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR ANDRETTI 1:14.973 +1.025
14 FELIX ROSENQVIST SUE MAHINDRA 1:15.104 +1.156
15 LUCA FILIPPI ITA NIO 1:15.444 +1.496
16 EDOARDO MORTARA SUI VENTURI 1:15.493 +1.545
17 TOM BLOMQVIST ING ANDRETTI 1:16.424 +2.476
18 NICK HEIDFELD ALE MAHINDRA 1:31.701 +17.753
19 NELSINHO PIQUET BRA JAGUAR 1:42.656 +28.708
20 NICOLAS PROST FRA RENAULT 1:53.358 +39.410
 

”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO