F-E
10/06/2018 15:30

Fora da briga pelo título, Di Grassi é melhor da segunda metade da temporada. E Vergne vai ameaçado para Nova York

Mesmo com três brigas pelo título e uma conquista, Lucas Di Grassi jamais teve uma sequência de cinco corridas com 98 pontos como a em que está agora. A vitória na Suíça sublinha uma fase incrível. Entre os postulantes ao título, Sam Bird agora se vê a 23 pontos de Jean-Éric Vergne e vivo na batalha
Warm Up
PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro

Lucas Di Grassi esteve na briga pelo título até a última corrida nas três primeiras temporadas da Fórmula E - e ganhou uma delas. O histórico do piloto paulista na categoria dos monopostos elétricos é, sem falsos elogios, espetacular. E mesmo assim, com tudo isso levado em conta, jamais teve uma série de cinco corridas com tantos pontos como nas últimas cinco etapas de um campeonato em que não tem chances de ser campeão. O que faltava era vencer, mas não falta mais
 
Nas primeiras cinco etapas do campeonato, Lucas teve muitos azares e ele mesmo se excedeu tentando tirar do carro coisas que ele não oferecia. Marcou apenas três pontos neste período e, desta feita, foi excluído completamente de uma eventual luta título. Desde então, na sequência entre Punta del Este, Roma, Paris, Berlim e agora Zurique, Di Grassi anotou incríveis 98 tentos. Foram quatro segundos lugares, uma vitória e uma melhor volta.
 
Di Grassi deixou de ser o único piloto titular sem pontos nas quatro primeiras corridas para ser o terceiro colocado do campeonato. É não apenas uma recuperação incrível, mas uma sequência limpa e excelente. Que mantém, aliás, a Audi com chances de ser campeã de Equipes. São 33 pontos de desvantagem para a Techeetah. Difícil, sim, mas possível. 
 
“Sim [faltava a vitória], estou muito muito feliz", disse logo após o fim da corrida. "Foi uma grande corrida. A vitória estava escapando pelos nossos dedos em outras provas, então demos um jeito de vencer aqui. Estou muito, muito feliz e dedico essa vitória para o meu filho, que nascerá dentro de algumas semana", lembrou. 
Lucas Di Grassi venceu em Zurique (Foto: Audi)

"O carro estava realmente rápido. Tivemos, mais uma vez, bom ritmo e atacamos no momento certo. E fizemos um grande pit-stop”, seguiu.
 
No que diz respeito à briga pelo título do campeonato, Sam Bird se vê às voltas com um carro que caiu muito de rendimento nas últimas etapas. A vantagem brutal que ele tem conseguido impor para o companheiro Alex Lynn dá a impressão de que não se trata de um problemas de pilotagem, mas da DS Virgin. Em Zurique, conseguia um quinto lugar que era altamente insatisfatório visto que Jean-Éric Vergne recuperara o 17º lugar em que largou para o oitavo. Mas viu um golpe de sorte soprar firme em sua direção.
 
Vergne e mais quatro pilotos que estavam no top-10 foram punidos, o que deu um passe livre para Sam terminar na segunda colocação e guardar mais 18 pontos. O francês terminou no décimo lugar e, embora Bird não tenha mostrado rendimento para pensar em tirar 23 pontos em duas corridas sob condições normais e temperatura e pressão, as duas vitórias que tirou da cartola em Nova York ano passado dão esperança.
Sam Bird (Foto: DS Virgin)

Na etapa de 2017, Bird marcou um total de 53 pontos nas duas corridas do Brooklyn; Vergne, 22. Se isso se repetir, bem, Bird será campeão.

"É, talvez você tenha que contar com a sorte de vez em quando. Tivemos sorte hoje. Sabemos que não somos a melhor equipe em algumas áreas, mas estamos maximizando coisas o tempo todo. Então, que venha Nova York! Estamos na caçada", afirmou.
 
No embalo das punições, Jérôme D'Ambrosio se viu arremessado do fim da zona de pontuação direto para o pódio. Se por um lado não deve ficar na Dragon para a temporada 2018/19, ao menos deu uma alegria final para o chefe Jay Penske. 
 
“Quero ir vê-lo [Penske] - eu não consegui ouví-lo no rádio no rádio quando. É incrível, incrível para equipe também. Tivemos duas temporadas difíceis, sem pódios e, agora, estar no pódio é fantástico”, afirmou.
Jérôme D'Ambrosio (Foto: Dragon)
Nelsinho Piquet vive momento inteiramente distinto no campeonato. É como se, assim como no filme 'Space Jam: O Jogo do Século', Di Grassi tivesse sugado magicamente a capacidade de pontuação de Piquet. Até o Uruguai, Nelsinho tinha 45 pontos contra três de Lucas; depois disso, 98 para o piloto da Audi e nenhum para o da Jaguar. 
 
Em Zurique, Piquet estava dentro da zona de pontuação na largada quando abalroou a traseira de Daniel Abt. Os dois precisaram entrar no pit-lane para reparar danos no carro e ficaram sem chances de uma boa prova. 
 
A FE encerra a temporada com a rodada dupla nos dias 14 e 15 de julho - dias também da disputa de terceiro lugar e final da Copa do Mundo de futebol.


Últimas Notícias
domingo, 10 de junho de 2018
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F-E
F1
F-E
F1
F-E
F1
F1
Rali
F1
Galerias de Imagens
Facebook