F-E
30/11/2017 08:49

Fórmula E confirma cancelamento do eP de São Paulo por conta de processo de privatização do Anhembi

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Fórmula E confirmou que a prova marcada para São Paulo, em 17 de março, está cancelada a pedido da própria municipalidade, que requisitou o adiamento para a quinta temporada, em 2018/19, em razão do alegado processo de privatização do Anhembi
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré

Está confirmado: o eP de São Paulo, que estava marcado para 17 de março de 2018, não vai mais acontecer nesta temporada. Nem no Anhembi e tampouco em outra localidade da capital paulista. Nesta quinta-feira (30), a assessoria da Fórmula E disse que uma solução alternativa para preencher a lacuna vai ser divulgada de forma oficial no próximo 6 de dezembro, durante reunião do Conselho Mundial da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), em Paris.
 
A primeira informação a respeito da incerteza sobre a prova foi divulgada na tarde da última quarta-feira (29) por meio do blog A Mil por Hora, do jornalista Rodrigo Mattar, e do GRANDE PRÊMIO. A prova no Anhembi não vai acontecer em razão do alegado processo de privatização do parque, liderado pelo atual prefeito, João Doria.
 
A assessoria da Fórmula E confirmou que o adiamento foi pedido pela própria prefeitura paulistana enquanto não define os rumos do Anhembi, um dos alvos do desejo de privatização da gestão de Doria.
A Fórmula E confirmou que o eP de São Paulo não vai ter lugar nesta temporada 2017/18 (Foto: Gustavo Epifanio/Fotoarena)
“As autoridades de São Paulo nos pediram para adiar a corrida para a quinta temporada em razão de um processo em curso de privatização do Parque do Anhembi. Correr em centros urbanos sempre impõe desafios, esse processo tende a ser mais longo que o esperado”, declarou o porta-voz da Fórmula E.
 
“E, em comum acordo com a cidade de São Paulo, decidimos colocar as negociações em stand-by até que o processo de privatização esteja concluído, com a demonstração do desejo da cidade em considerar a prova no calendário para o ano que vem”, complementou.
 
“Entretanto, nós estamos preparando uma solução alternativa para esta temporada, que vai ser formalmente apresentada no Conselho Mundial da FIA em Paris, na semana que vem”, finalizou.
A Fórmula E agora procura alternativas para preencher a lacuna deixada por São Paulo (Foto: FIA Fórmula E)
Ao GRANDE PRÊMIO, a SPTuris ratiicou que "houve conversas no sentido de sediar uma prova da Fórmula E no complexo do Anhembi, porém não foi fechado acordo para 2018. As negociações seguem para uma eventual corrida no Anhembi em 2019".

Via Twitter, Lucas Di Grassi, piloto envolvido desde o começo com o projeto da Fórmula E e também com o eP de São Paulo, se pronunciou. “O eP de São Paulo foi adiado para a temporada 5 por causa do plano de privatização do Anhembi, onde seria a corrida. Mas a história do Brasil com a Fórmula E está só começando. Novidades positivas virão”, escreveu o campeão da categoria.

No início do ano, o GRANDE PRÊMIO adiantou as conversas entre a cidade de São Paulo e a categoria dos carros elétricos para a entrada do Brasil no calendário. A capital paulista e a F-E se acertaram após o diretor-executivo da Formula E Holdings, Alejandro Agag, passar pela cidade em fevereiro e se reunir com o piloto Lucas Di Grassi e representantes da SPTuris – empresa de capital misto que tem a Prefeitura como sócia majoritária e administra equipamentos como o autódromo de Interlagos e o complexo do Anhembi. Após o acerto, o prefeito João Doria deu sinal verde para a realização da prova, que ele considera importante para a cidade do ponto de vista de promoção e turismo.
 
Embora com um traçado diferente do que a Indy utilizou quando correu em São Paulo entre 2010 e 2013, ficou acordado na época que a FE teria o Sambódromo do Anhembi como palco de suas atividades - o local também foi confirmado por Agag ao GRANDE PRÊMIO. A Marginal Tietê -- para, como preconiza a F-E, não causar muitas dores de cabeça para a cidade-sede - ficou de fora do projeto. A avenida Olavo Fontoura, que passa atrás do Sambódromo, passaria a ser usada.
 
Assim, é a segunda vez que a Fórmula E não consegue realizar uma prova no Brasil. Ainda na primeira temporada, em 2014/15, a categoria dos carros elétricos chegou a incluir o Rio de Janeiro no calendário, mas o acordo não foi em frente. Até o momento, a única cidade sul-americana garantida no calendário desta temporada é Santiago, capital chilena.

O GRANDE PRÊMIO apurou que Punta del Este vai voltar a receber a Fórmula E como alternativa para ocupar a lacuna deixada por São Paulo.
FIM DE UMA GERAÇÃO

GIAFFONE: “BRASIL TEVE SORTE POR TER PILOTOS POR TANTO TEMPO NA F1”


Últimas Notícias
sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
MotoGP
Rali
Outras
MotoGP
F1
F1
F1
F-E
F1
F1
F1
F1
quinta-feira, 18 de janeiro de 2018
F1
Rali
Rali
Galerias de Imagens
Facebook