F-E
28/07/2017 04:20

Porsche confirma saída da LMP1 do Mundial de Endurance e anuncia nova missão com entrada na F-E a partir de 2019

É oficial. A Porsche vai deixar a principal classe do Mundial de Endurance ao fim de 2017 e, assim como Audi e BMW, vai direcionar seus esforços para a F-E, que nesta semana teve também confirmada a entrada da Mercedes em 2018. A fábrica de Stuttgart vai fazer sua estreia na categoria dos carros elétricos a partir da sexta temporada, em 2019/20
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

O futuro, cada vez mais, é elétrico. A Porsche oficializou os planos para o futuro da marca no esporte a motor e, nesta sexta-feira (28), anunciou que vai mesmo deixar a classe LMP1, a principal do Mundial de Endurance, ao fim da temporada 2017. Dona das três últimas vitórias nas 24 Horas de Le Mans, a fábrica de Stuttgart vai direcionar seus esforços no automobilismo à F-E, assim como as também alemãs Audi, BMW e Mercedes, que anunciou sua entrada na categoria a partir de 2018. A Porsche vai fazer parte do certame dos carros elétricos na sexta temporada, em 2019/20.
 
A decisão da Porsche vem na esteira de mudanças na indústria automotiva alemã e europeia como um todo. Recentemente, o governo alemão anunciou a decisão de proibir construção de carros dotados de motores a combustão a partir de 2030, priorizando a fabricação de veículos dotados de tecnologia híbrida e elétrica, o que faz com que as montadoras busquem na F-E tecnologias para implantar nos carros de rua.
 
Assim, a mudança de rumos da Porsche se torna óbvia, ainda mais com o projeto chamado Mission E, que consiste no lançamento de carros de rua elétricos antes do fim da década.
A Porsche se une à Audi, BMW e Mercedes em novo projeto na F-E (Arte: FIA F-E)
Michael Steiner, dirigente de esportes a motor da Porsche e responsável pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento, confirmou os planos da marca em trabalhar na F-E como forma de laboratório para os veículos de rua. “Entrar na F-E e alcançar o sucesso nesta categoria são os resultados lógicos do nosso programa de carros de rua Mission E. A liberdade crescente de desenvolvimento de tecnologia interna torna a F-E atraente para nós”, disse.
 
“Para nós, a F-E é o melhor ambiente competitivo para impulsionar o desenvolvimento de veículos de alta performance em áreas como eficiência, sustentabilidade e meio ambiente”, salientou o engenheiro.
 
Alejandro Agag, chefão da F-E, comemorou a entrada de mais uma gigante no campeonato dos carros elétricos. “Estou muito feliz em dar as boas-vindas à Porsche à FIA F-E. Se há cinco anos, quando começamos o projeto, alguém me dissesse que anunciaríamos a associação com uma marca como a Porsche, não acreditaria. Ter um nome como a Porsche na F-E, com tudo o que representa em termos de competição e legado, e em âmbito esportivo, é um marco em nossa cruzada para mudar a percepção do público a respeito dos carros elétricos. A revolução elétrica continua, e a F-E se mantém como campeonato desta revolução”, destacou o espanhol.
Adeus com vitória: na sua última presença nas 24 Horas de Le Mans na LMP1, a Toyota triunfou (Foto: Porsche)
Por sua vez, Jean Todt, presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), comemorou a entrada da Porsche na F-E, mas ao mesmo tempo lamentou pela saída da marca do projeto da LMP1 no WEC, algo que coloca em xeque o próprio futuro da categoria no Mundial.
 

“O trabalho duro realizado para criar um laboratório para o desenvolvimento da tecnologia elétrica é um sucesso, e olho além para ver a F-E como lugar para uma grande disputa e inovação. Fico feliz com a entrada da Porsche na F-E, mas lamento que deixem o WEC”, disse o dirigente francês.
 
A Porsche vai seguir com seu projeto no Endurance nos GT, seguindo o desenvolvimento do seu 911 RSR na GTE-Pro no WEC e também no SportsCar, nos Estados Unidos, onde tem presença marcante nas 24 Horas de Daytona. No entanto, no que diz respeito à LMP1, a categoria fica apenas com a presença da Toyota, que com a saída da Porsche, certamente vai rever sua participação no Mundial de Endurance o quanto antes. A fábrica japonesa se pronunciou pouco depois e se disse triste pela saída da marca alemã e honrada pela chance de ter corrido contra a Porsche nos últimos anos no WEC.


Mundial de Endurance lamenta saída "precipitada e abrupta"

No fim das contas, quem se deu mal mesmo foi o Mundial de Endurance, que não sabe o que o futuro reserva para sua principal classe. Não por acaso, o WEC lamenta uma decisão considerada "precipitada" por parte da Porsche.

“A Porsche, que recentemente garantiu sua participação na classe LMP1 do Mundial de Endurance até o fim de 2018 e que estava ativamente envolvida com o desenvolvimento do regulamento técnico que vai ser aplicado em 2020, anunciou sua saída da LMP1 ao fim da temporada 2017", disse a categoria, através de comunicado emitido nesta madrugada. "O Automobile Club de l’Ouest, promotor do WEC e organizador das 24 Horas de Le Mans, lamenta essa saída precipitada e abrupta de uma das montadoras mais famosas do endurance", completou.
CASO VÁ BEM EM TESTE, KUBICA DEVE VIRAR TITULAR DA RENAULT JÁ A PARTIR DO GP DA BÉLGICA


Últimas Notícias
sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
MotoGP
Rali
Outras
MotoGP
F1
F1
F1
F-E
F1
F1
F1
F1
quinta-feira, 18 de janeiro de 2018
F1
Rali
Rali
Galerias de Imagens
Facebook