F-E
28/07/2017 04:20

Porsche confirma saída da LMP1 do Mundial de Endurance e anuncia nova missão com entrada na F-E a partir de 2019

É oficial. A Porsche vai deixar a principal classe do Mundial de Endurance ao fim de 2017 e, assim como Audi e BMW, vai direcionar seus esforços para a F-E, que nesta semana teve também confirmada a entrada da Mercedes em 2018. A fábrica de Stuttgart vai fazer sua estreia na categoria dos carros elétricos a partir da sexta temporada, em 2019/20
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

O futuro, cada vez mais, é elétrico. A Porsche oficializou os planos para o futuro da marca no esporte a motor e, nesta sexta-feira (28), anunciou que vai mesmo deixar a classe LMP1, a principal do Mundial de Endurance, ao fim da temporada 2017. Dona das três últimas vitórias nas 24 Horas de Le Mans, a fábrica de Stuttgart vai direcionar seus esforços no automobilismo à F-E, assim como as também alemãs Audi, BMW e Mercedes, que anunciou sua entrada na categoria a partir de 2018. A Porsche vai fazer parte do certame dos carros elétricos na sexta temporada, em 2019/20.
 
A decisão da Porsche vem na esteira de mudanças na indústria automotiva alemã e europeia como um todo. Recentemente, o governo alemão anunciou a decisão de proibir construção de carros dotados de motores a combustão a partir de 2030, priorizando a fabricação de veículos dotados de tecnologia híbrida e elétrica, o que faz com que as montadoras busquem na F-E tecnologias para implantar nos carros de rua.
 
Assim, a mudança de rumos da Porsche se torna óbvia, ainda mais com o projeto chamado Mission E, que consiste no lançamento de carros de rua elétricos antes do fim da década.
A Porsche se une à Audi, BMW e Mercedes em novo projeto na F-E (Arte: FIA F-E)
Michael Steiner, dirigente de esportes a motor da Porsche e responsável pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento, confirmou os planos da marca em trabalhar na F-E como forma de laboratório para os veículos de rua. “Entrar na F-E e alcançar o sucesso nesta categoria são os resultados lógicos do nosso programa de carros de rua Mission E. A liberdade crescente de desenvolvimento de tecnologia interna torna a F-E atraente para nós”, disse.
 
“Para nós, a F-E é o melhor ambiente competitivo para impulsionar o desenvolvimento de veículos de alta performance em áreas como eficiência, sustentabilidade e meio ambiente”, salientou o engenheiro.
 
Alejandro Agag, chefão da F-E, comemorou a entrada de mais uma gigante no campeonato dos carros elétricos. “Estou muito feliz em dar as boas-vindas à Porsche à FIA F-E. Se há cinco anos, quando começamos o projeto, alguém me dissesse que anunciaríamos a associação com uma marca como a Porsche, não acreditaria. Ter um nome como a Porsche na F-E, com tudo o que representa em termos de competição e legado, e em âmbito esportivo, é um marco em nossa cruzada para mudar a percepção do público a respeito dos carros elétricos. A revolução elétrica continua, e a F-E se mantém como campeonato desta revolução”, destacou o espanhol.
Adeus com vitória: na sua última presença nas 24 Horas de Le Mans na LMP1, a Toyota triunfou (Foto: Porsche)
Por sua vez, Jean Todt, presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), comemorou a entrada da Porsche na F-E, mas ao mesmo tempo lamentou pela saída da marca do projeto da LMP1 no WEC, algo que coloca em xeque o próprio futuro da categoria no Mundial.
 

“O trabalho duro realizado para criar um laboratório para o desenvolvimento da tecnologia elétrica é um sucesso, e olho além para ver a F-E como lugar para uma grande disputa e inovação. Fico feliz com a entrada da Porsche na F-E, mas lamento que deixem o WEC”, disse o dirigente francês.
 
A Porsche vai seguir com seu projeto no Endurance nos GT, seguindo o desenvolvimento do seu 911 RSR na GTE-Pro no WEC e também no SportsCar, nos Estados Unidos, onde tem presença marcante nas 24 Horas de Daytona. No entanto, no que diz respeito à LMP1, a categoria fica apenas com a presença da Toyota, que com a saída da Porsche, certamente vai rever sua participação no Mundial de Endurance o quanto antes. A fábrica japonesa se pronunciou pouco depois e se disse triste pela saída da marca alemã e honrada pela chance de ter corrido contra a Porsche nos últimos anos no WEC.


Mundial de Endurance lamenta saída "precipitada e abrupta"

No fim das contas, quem se deu mal mesmo foi o Mundial de Endurance, que não sabe o que o futuro reserva para sua principal classe. Não por acaso, o WEC lamenta uma decisão considerada "precipitada" por parte da Porsche.

“A Porsche, que recentemente garantiu sua participação na classe LMP1 do Mundial de Endurance até o fim de 2018 e que estava ativamente envolvida com o desenvolvimento do regulamento técnico que vai ser aplicado em 2020, anunciou sua saída da LMP1 ao fim da temporada 2017", disse a categoria, através de comunicado emitido nesta madrugada. "O Automobile Club de l’Ouest, promotor do WEC e organizador das 24 Horas de Le Mans, lamenta essa saída precipitada e abrupta de uma das montadoras mais famosas do endurance", completou.
CASO VÁ BEM EM TESTE, KUBICA DEVE VIRAR TITULAR DA RENAULT JÁ A PARTIR DO GP DA BÉLGICA


Últimas Notícias
domingo, 24 de junho de 2018
F1
Indy
F1
F1
F3
Indy
F1
F1
F1
F1
F1
Indy
F1
Indy
F1
Galerias de Imagens
Facebook