F1
14/04/2015 14:09

Bianchi assinou contrato com Sauber horas antes do acidente no GP do Japão, revela dirigente

Colin Kolles, dirigente romeno com passagem por várias equipes da F1, disse, em entrevista à emissora Servus TV, que a Sauber tinha nada menos que seis contratos assinados com pilotos para a temporada 2015 da F1. Um deles era com Jules Bianchi. O detalhe: o francês havia assinado acordo horas antes de seu acidente no GP do Japão do ano passado
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
Horas antes da largada para o GP do Japão de 2014, em Suzuka, Jules Bianchi assinou contrato com a Sauber para a temporada seguinte do Mundial de F1. Quem revela é Colin Kolles. Romeno de nacionalidade alemã e dono de passagens pela F1, DTM e WEC, o dirigente foi entrevistado pela emissora austríaca Servus TV e disse que o promissor piloto francês, ligado à Ferrari, assinou seu vínculo com a equipe pouco antes de sofrer o gravíssimo acidente em Suzuka. Jules permanece internado e em coma em um hospital na cidade de Nice. Seu estado de saúde é considerado estável.

“Havia um contrato assinado ao meio-dia de domingo”, declarou Kolles, fazendo menção ao dia 5 de outubro de 2014, em Suzuka. Segundo o dirigente romeno, o acordo serviria para que a Sauber pudesse sanar algumas das suas dívidas.
Horas antes de terrível acidente, Jules Bianchi assinou com a Sauber, segundo Colin Kolles (Foto: Marussia)
Kolles foi chamado pela emissora para falar sobre o polêmico caso envolvendo Sauber e Giedo van der Garde, que também tinha contrato com a equipe para 2015. O time, no entanto, fechou com Felipe Nasr e Marcus Ericsson como titulares, levando o piloto holandês à justiça para reconhecer seu vínculo. Van der Garde obteve êxito na ação judicial e, para manter sua dupla de pilotos, a Sauber teve de indenizá-lo em pouco mais de R$ 50 milhões.

Na visão do dirigente, Monisha Kaltenborn, chefe de equipe da Sauber, agiu de forma absolutamente calculada e buscou resolver o rombo financeiro com soluções desesperadamente questionáveis. “Não consigo entender o comportamento de Monisha Kaltenborn. Você não pode vender um carro, arrecadar dinheiro para a equipe e, em seguida, seis meses depois, vende-lo novamente para outra pessoa”, criticou.

“Não havia três contratos. Havia seis”, declarou Kolles, fazendo referência aos titulares desta temporada, Nasr e Ericsson, Van der Garde, Adrian Sutil, Esteban Gutiérrez e Bianchi. Sutil assinou com a Williams para ocupar o posto de piloto reserva, enquanto o mexicano Gutiérrez, graças ao apoio do conglomerado de empresas de Carlos Slim, assegurou o lugar de reserva da Ferrari.

O acidente


 
Na volta 43 do GP do Japão, Jules Bianchi perdeu o controle do carro na curva 7 devido a aquaplanagem e, depois de escapar do traçado, acabou se chocando contra um trator que fazia a retirada da Sauber de Adrian Sutil, que saíra no mesmo ponto, mas na volta anterior. A pancada foi violenta, com força estimada de 50 G, já que a Marussia #17 vinha a 203 km/h.

O piloto foi atendido ainda na pista, encaminhado imediatamente para o centro médico da pista e, alguns minutos depois, para o hospital, na cidade de Yokkaichi, que fica a 10 km do circuito de Suzuka. Estava inconsciente, mas respirava sem ajuda de aparelhos. Rapidamente, foi submetido a uma cirurgia para minimizar um grave hematoma craniano, em operação que teve quatro horas de duração. Desde então, Jules permanece internado na UTI e seu estado é crítico.

Aos 25 anos de idade, Bianchi está em sua segunda temporada na F1, as duas pela Marussia, e é considerado o principal nome do programa de desenvolvimento de pilotos da Ferrari.

As imagens do acidente de Jules Bianchi



Últimas Notícias
segunda-feira, 25 de junho de 2018
Mitsubishi
F1
Nascar
Motociclismo
F1
F2
F1
F1
domingo, 24 de junho de 2018
F1
Indy
Indy
F1
Indy
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook