F1
21/01/2018 15:44

Bourdais critica exclusão de pilotos norte-americanos e diz que F1 vive em “pequena bolha numa ilha particular”

Sébastien Bourdais é mais um dos pilotos e ex-pilotos com raízes fincadas nos Estados Unidos a mostrar incômodo com a afirmação de Guenther Steiner, chefe da Haas, de que o país não tem pilotos com nível da F1. Bourdais, que assumiu a culpa por tal percepção, criticou toda a F1 por viver separada do resto do mundo
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Sebastién Bourdais (Foto: IndyCar)

A afirmação do chefe da Haas, Guenther Steiner, de que os Estados Unidos não contam com nenhum piloto em nível bom o suficiente para a F1 segue reverberando. Após as críticas sofridas por Mario Andretti, Jeff Gordon e Graham Rahal, agora foi o ex-F1 Sébastien Bourdais quem apareceu para mostrar o incômodo com Steiner e com o Mundial de forma geral.
 
O francês, atualmente piloto da Dale Coyne na Indy, disparou contra o fato da F1 viver numa bolha e esquecer o mundo fora daquela teia de categorias-satélite que desenvolveu e que é voltada para abastecer o grid do Mundial.
 
"Claramente não há consideração. Eles [a F1] estão em sua pequena bolha na ilha particular. Ou você joga o jogo deles e é avaliado nessa realidade, ou você não é avaliado de forma alguma. Entendo completamente que os pilotos americanos levem para o pessoal, porque não é justo, mas desde quando a F1 é justa? Nunca foi", afirmou.
 
Bourdais, que foi piloto da Toro Rosso pela temporada 2008 e parte da 2009, fez um mea culpa e apontou o próprio fracasso - bem como o de Alex Zanardi em 1999 - como motivo para a desconfiança da F1.
Sébastien Bourdais (Foto: IndyCar)

"Levou três campeonatos nos Estados Unidos e a F3000 para finalmente eu receber uma oportunidade. E obviamente eu não ajudei muito os americanos, porque falhei. Então aí dá para ver como as pessoas podem imaginar pilotos da Indy - Zanardi foi antes de mim e também não virou um conto de fadas", encerrou.
 
A própria chegada de Bourdais na F1 é interessante. Apesar de ter se destacado na Champ Car ao se tornar tetracampeão, o francês havia mostrado talento na 'escada europeia': foi campeão da F3000 em 2002. Mesmo Zanardi, bicampeão da mesma Champ Car entre 1997 e 1998, foi vice da F3000 para Christian Fittipaldi em 1991 e participou da F1 entre 1991 e 1994.