F1
12/12/2017 08:18

Chefe da Toro Rosso vê “velocidade natural muito alta” em Kvyat e torce por segunda chance: “Merece estar na F1”

Chefe da Toro Rosso, Franz Tost torceu para que Daniil Kvyat tenha uma nova chance na F1. Dirigente destacou que o russo tem uma velocidade natural muito alta
Warm Up / Redação GP,  de São Paulo
 Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Chefe da Toro Rosso, Franz Tost saiu em defesa de Daniil Kvyat e afirmou que torce para que o piloto tenha uma nova chance na F1. O russo deixou o Mundial em meados da temporada 2017 após perder sua vaga na escuderia de Faenza.
 
Depois de se rebaixado da Red Bull para dar lugar a Max Verstappen, Kvyat cedeu seu lugar a Pierre Gasly sob a alegação de que o jovem piloto tinha de mostrar o que sabia fazer. Daniil, então, voltou no GP dos Estados Unidos para formar dupla com Brendon Hartley, já que o francês foi ao Japão para a disputa do título da Super Fórmula e Carlos Sainz Jr. partiu para a Renault.
Franz Tost torceu para que Daniil Kvyat tenha uma nova chance na F1 (Foto: Divulgação)

Após um décimo lugar em Austin, a Red Bull confirmou a dispensa de Kvyat, com Gasly e Hartley fechando o ano com a Toro Rosso.
 
“Ainda estou convencido de que Daniil tem uma velocidade natural muito alta”, disse Tost ao site oficial da F1. “Ele às vezes era até mais rápido do que Daniel Ricciardo, mas, de alguma forma, no ano passado e neste, ele não conseguiu mostrar seu potencial”, seguiu.
 
“Ele esteve envolvido em muitos incidentes, mas, em sua defesa, também tenho de dizer que ele teve muitos problemas de confiabilidade e isso não ajudou a construir a confiança dele. Ser vitima de tantos incidentes matou a performance que ele era capaz de mostrar. Talvez uma pequena pausa ― para se organizar outra vez ― e, provavelmente poderemos ver Daniil de volta ao seu nível de performance normal com outro time”, ponderou.
 
Na visão de Tost, Kvyat precisa trabalhar em sua agressividade na primeira volta da corrida para voltar ao Mundial.
 
“Às vezes, ele era agressivo demais no início da corrida. A primeira curva era o ponto fraco dele”, apontou. “Ele queria demais nos primeiros metros ― sucesso a qualquer custo! Isso te coloca sob pressão, uma pressão desnecessária e que nunca funciona”, considerou.
 
“Espero que ele tenha outra chance, já que acho que ele merece estar na F1”, concluiu.
FALTA DE HONESTIDADE

PERDA DE ETAPA DA FÓRMULA E É DESASTROSA PARA SÃO PAULO