F1
12/12/2017 08:07

Diretor da Renault mostra felicidade com chegada de Sainz: “Trouxe energia, motivação e ideias novas”

Depois de vários meses de especulações que envolveram até o nome de Robert Kubica, a Renault conseguiu trazer, por empréstimo da Red Bull, Carlos Sainz para o fim da temporada e também para o ano de 2018. Uma chegada que trouxe novos e bons ares à equipe de Enstone, que passou a ter uma dupla mais forte e equilibrada depois da saída do contestado Jolyon Palmer
Warm Up / Redação GP,  de Sumaré
 Carlos Sainz (Foto: Renault)

A Renault lutou, negociou por alguns meses e conseguiu fazer uma grande contratação: a chegada de Carlos Sainz, por empréstimo da Red Bull, atendia aos anseios da cúpula do time de Enstone de contar com um jovem e promissor piloto para formar dupla com Nico Hülkenberg. O time chegou a testar Robert Kubica, mas optou pelo talento do espanhol para substituir o contestado Jolyon Palmer. E desde que passou a defender o time aurinegro, Carlos vem recebendo muitos elogios pela sua adaptação rápida, postura e energia que trouxe a partir da sua chegada, no GP dos EUA, onde logo de cara pontuou ao terminar em sétimo lugar.
 
“Ele claramente trouxe muita energia, trouxe sua motivação, sua vontade de continuar evoluindo e seguir mostrando o que é capaz de fazer fora do ambiente da Red Bull, que é bom, mas também difícil, com o qual o piloto tem de lidar”, disse o diretor da Renault, Cyril Abiteboul.
 
O engenheiro francês destacou também que Sainz se encaixou rapidamente à filosofia da Renault e já passa a contribuir com novas ideias e sugestões para o desenvolvimento do próximo carro. 
Carlos Sainz vem recebendo muitos elogios pelo seu início de trabalho na Renault (Foto: AFP)
“Assim que ele fez isso, também somou alguns pontos. Também mostrou alguns caminhos bem úteis para o desenvolvimento do ano que vem porque ele vem de um ambiente distinto. Portanto, ele pode trazer algumas ideias, sugestões. Tem uma boa compreensão do carro, dos seus fundamentos, e chegou num momento em que as coisas não estavam completas para o ano que vem, por isso é muito útil e estamos felizes por ter tomado essa decisão”, comemorou.
 

Sainz, contudo, não encerrou bem a temporada. Não por algum erro seu, mas sim de procedimento da equipe, que falhou na hora de encaixar a roda dianteira esquerda após o pit-stop no GP de Abu Dhabi. Abiteboul quer buscar soluções para que falhas do tipo não aconteçam mais.
 
“Os pit-stops foram um dos grandes problemas para a equipe neste ano, bem como a confiabilidade. Esse é um dos focos no inverno. Estamos mudando um pouco a organização para concentrarmos nisso. Já estamos projetando as porcas da roda para o ano que vem porque não queremos que nada do tipo aconteça de novo”, encerrou.
 
FALTA DE HONESTIDADE

PERDA DE ETAPA DA FÓRMULA E É DESASTROSA PARA SÃO PAULO