F1
04/07/2018 08:44

Diretor-executivo “não se surpreende” com saída de Boullier da McLaren: “Era algo que ele já tinha considerado”

De acordo com Zak Brown, diretor-executivo da McLaren, a saída de Éric Boullier já vinha sendo considerada há algum tempo. O inglês acredita que o francês tomou tal decisão porque “quer o que é melhor para a McLaren”
Warm Up / Redação GP,  de Porto Alegre
 Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)

A saída de Éric Boullier do posto de chefe da McLaren foi anunciada nesta quarta-feira (4), mas já vinha se desenhando há tempos nos bastidores. De acordo com Zak Brown, diretor-executivo da equipe britânica, a mudança já havia sido ponderada pelo próprio Boullier, que buscava “o melhor para a McLaren”.
 
“A saída do Éric [Boullier] não me surpreende”, disse Brown, entrevistado pelo Motorsport.com. “Passo muito tempo com a equipe, muito tempo com o Éric, que é uma pessoa que conheço há anos. Claro, estamos sob muita pressão e sem andar bem há muito tempo. Então eu e o Éric tivemos muitas conversas sobre como podemos melhorar a McLaren, conversas sobre o melhor jeito de fazer isso”, revelou.
 
“No fim das contas, ele quer o que é melhor para a McLaren, assim como todos nós, então a decisão não foi uma surpresa. Era algo que ele já tinha considerado, falando sobre nossos desafios e formas de superá-los”, seguiu.
Éric Boullier saiu pelo bem da McLaren, diz Zak Brown (Foto: Divulgação)

Boullier enfrentou justamente a fase mais delicada da McLaren. Chefe de equipe desde 2014, o dirigente viu a equipe decair ao longo de três anos como parceira da Honda. 2018 teve a parceria com a Renault como nova esperança, mas os resultados seguem pouco empolgantes. A diferença de rendimento para a Red Bull, com o mesmo motor, incomoda uma equipe que se acostumou a se gabar de ter um dos melhores carros do grid.
 
Brown também foi perguntado sobre possíveis efeitos da saída de Boullier sobre o futuro de Fernando Alonso, que ainda não sabe se segue na F1 em 2019 – o francês atuou nas negociações que fizeram o espanhol deixar a McLaren ao fim de 2014. Zak não cravou uma resposta afirmativa, mas defendeu que Fernando “faz parte do processo”.
 
“O Fernando é alguém que tem muita mágica na pista, mas vocês não veem a mágica dele fora dela, as contribuições valiosas dele e os pontos de vista sobre o carro e a equipe. Ele é alguém que eu consulto desde o começo porque sabe como se faz para ser campeão mundial. Ele faz parte desse processo e está contribuindo para levar a McLaren adiante”, encerrou Brown.
UMA DAS MELHORES CORRIDAS DO ANO

ABANDONO DE HAMILTON RECOLOCA VETTEL NO CAMINHO DO PENTA