F1
14/12/2017 07:17

Ferrari mira ponto forte da Mercedes e prega mudança de filosofia: “Vencer deve ser um hábito, não uma exceção”

Maurizio Arrivabene disse que a Ferrari precisa seguir a filosofia da Mercedes e se habituar a conquistar poles e vencer na F1. Na temporada 2017, a escuderia de Maranello alcançou cinco poles e cinco vitórias, mas foi superada de longe pela rival, com 15 poles e 12 vitórias ao longo do ano. Na visão do dirigente italiano, é preciso mudar a forma de encarar as conquistas
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

Os números ao longo da temporada 2017 mostram o quanto a Mercedes foi superior à Ferrari, mesmo que a equipe de Maranello tenha se aproximado e lutado pelo título durante boa parte do ano. Ao todo, o time tetracampeão do mundo conquistou 15 poles e alcançou 12 vitórias. Em contrapartida, a Ferrari venceu cinco vezes, todas com Sebastian Vettel, e largou na frente também em cinco oportunidades, sendo quatro com Vettel e uma com Kimi Räikkönen. De modo que as principais conquistas da Ferrari no ano foram exceções diante do domínio da Mercedes.
 
E é essa a filosofia que Maurizio Arrivabene, chefe da Ferrari, pretende mudar. A ideia do dirigente italiano é não apenas construir um carro vencedor e capaz de conquistar títulos, mas também de resgatar uma mentalidade vencedora. Para isso, Arrivabene se espelha justamente na rival.
Maurizio Arrivabene quer mudar a forma de a Ferrari encarar as vitórias. Como algo habitual (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Acho que um dos pontos fortes da Mercedes, com base na marca que eles representam, é como a equipe está organizada, e também o seu hábito em vencer”, explicou Maurizio em entrevista veiculada pelo site ‘Planet F1’.
 
“Às vezes você conquista a pole-position, e isso se converte em um caso fortuito. A pole-position deve ser um hábito e não uma exceção. É isso o que quero dizer sobre o hábito de vencer”, destacou o italiano. “A vitória ou a pole-position não pode ser algo isolado. Deve ser o resultado natural do trabalho que você está fazendo. Desta forma, tenho muito respeito por eles, mas, de igual maneira, sabemos o que temos de fazer para o futuro”, salientou.
 

Arrivabene destacou a importância dos números em si, mas lembrou que o principal é que a Ferrari não foi boa o bastante para lutar pelo título com a Mercedes até o fim. Assim, o time de Brackley emendou seu quarto ano de domínio na F1 com o título de Lewis Hamilton no Mundial de Pilotos e o tetra dos Construtores em 2017.
 
“Claro, o número de poles e os demais números são importantes de alguma forma, mas o mais importante é o campeonato. O bom número que temos neste momento é demonstrar o bom trabalho da equipe, mas o fato de que não conseguimos vencer o título significa que não é o bastante, de modo que temos de trabalhar duro no ano que vem para fazer melhor”, finalizou.
EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018


Últimas Notícias
segunda-feira, 22 de janeiro de 2018
Endurance
Rali
Rali
Endurance
F1
F1
F1
Rali
Rali
F1
F1
F1
F1
domingo, 21 de janeiro de 2018
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook