F1
02/05/2017 10:49

FIA se reuniu com Honda em Sóchi para definir ajuda da Mercedes em projeto para melhorar motor, revela site

De acordo com o site ‘Motorsport.com’, a FIA se reuniu com a Honda, em Sóchi, para determinar um plano de ajuda à montadora japonesa, com o objetivo de evitar que a marca deixe a F1 por conta da falta de competitividade. Esse auxílio vai vir da Mercedes
Warm Up
Redação GP, de Curitiba
 

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) se reuniu com a Honda neste fim de semana, em Sóchi, na Rússia, para desenhar um plano para ajudar a marca japonesa e, por consequência, a McLaren, com quem a empresa de Sakura tem parceria. A assistência deve ser vir da Mercedes, que vai auxiliar a fornecedora a melhorar o desempenho de seu motor e se aproximar das demais rivais do grid. A informação é da versão italiana do site 'Motorsport.com'.
 
A manobra da federação, com o aval da Liberty Media, é uma forma de evitar que a montadora nipônica deixe o campeonato por conta da falta de performance e da incapacidade de tornar a unidade de potência mais competitiva.

Durante a etapa russa, apenas a quarta da temporada 2017, Stoffel Vandoorne já foi punido com a perda de 15 posições por conta da quinta troca de elementos do motor, ultrapassando as quatro mudanças previstas pelo regulamento. E para completar o drama, Fernando Alonso sequer conseguiu largar na corrida de domingo, também por causa de uma falha da unidade. Éric Boullier, diretor da McLaren, mostrou irritação e disse que a situação é insuportável.
Alonso teve problemas antes mesmo da largada em Sóchi (Foto: Reprodução)

De acordo com a publicação, há três elementos básicos na ajuda que a Mercedes deve fornecer à Honda, segundo determinação da FIA. E são eles: o uso dos mesmos lubrificantes e materiais, o trabalho em projetos com profissionais em Brixworth, além da disponibilidade de um especialista da Mercedes para consultas.
 
Diante do cenário, a voz crítica veio da Red Bull. Christian Horner se queixou da iniciativa da FIA e disse que, como equipe cliente, o time austríaco jamais teve qualquer ajuda externa para melhorar os motores da Renault. Já o chefe da Mercedes, Toto Wolff, negou que exista realmente um auxílio à rival, embora entenda-se que a esquadra tenha se colocado à disposição da entidade-mor para fornecer ajuda.
 
PADDOCK GP #75 DEBATE: FERNANDO ALONSO VAI SE DAR BEM NA INDY 500?



Últimas Notícias
domingo, 24 de junho de 2018
F1
Indy
Indy
F1
Indy
F1
F1
F3
Indy
F1
F1
F1
F1
F1
Indy
Galerias de Imagens
Facebook