F1
21/10/2017 10:49

Fora do GP dos EUA para disputar título da Super Formula, Gasly sequer corre. Tufão impede realização de etapa decisiva

Pierre Gasly levou um baita azar neste fim de semana. O piloto francês, que se viu obrigado por força de contrato a correr na etapa decisiva da Super Formula japonesa, abrindo assim mão de disputar o GP dos EUA de F1 pela Toro Rosso, sequer pode lutar pelo título em Suzuka. Tudo culpa de um tufão, que levou a direção da categoria nipônica a cancelar a prova neste fim de semana. Assim, o título ficou com Hiroaki Ishiura, 0,5 ponto à frente de Gasly
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

A vida às vezes tem dessas. Pierre Gasly sequer conseguiu brigar pelo título da Super Formula japonesa neste fim de semana, em Suzuka. Por força de contrato, o piloto francês, que defende a Honda na categoria nipônica, teve de abrir mão do GP dos EUA de F1 para estar no Japão e buscar a taça de um certame muito importante para as montadoras e para os patrocinadores. Mas um tufão obrigou a organização da prova a cancelar a etapa por motivos de segurança neste sábado (21). Assim, Gasly terminou mesmo como vice-campeão, só 0,5 ponto atrás de Hiroaki Ishiura, piloto da Toyota, o novo campeão.
 
Logo depois da sua participação no GP do Japão com a Toro Rosso, Pierre Gasly já sabia que teria pela frente um conflito de datas e não teria muitas chances de disputar o GP dos EUA. Tudo por conta da sua boa participação na Super Formula japonesa, onde foi alocado pela Red Bull para acumular ritmo de corrida ao longo do ano. Gasly, que deu azar pelas provas da F1 nos Estados Unidos e pela decisão da Super Formula caírem justo no mesmo fim de semana, chegou à última etapa da categoria nipônica como vice-líder, apenas 0,5 ponto atrás de Hiroaki Ishiura. 

Gasly não escondeu a tristeza pela forma como tudo ocorreu, ou como não ocorreu, neste fim de semana. “No momento, estou decepcionado porque queria correr e queria lutar pelo título, mas não aconteceu. Então é bem difícil aceitar isso agora, mas as coisas são assim. Aprendi hoje que há algumas coisas que você não pode controlar. Perder o campeonato por meio ponto é algo bem difícil. São coisas que perturbam quando não caminham do jeito que você gostaria”, lamentou.
Gasly ficou fora do GP dos EUA. E também ficou sem o título da Super Formula (Foto: Super Formula/Twitter)
Com todo o interesse em ver seu piloto campeão, a Honda, por força de contrato, determinou que Gasly corresse a etapa final da Super Formula, em Suzuka. Por consequência, o francês perdeu a chance de correr no GP dos Estados Unidos, no mesmo fim de semana, em Austin. 
 
A ausência de Gasly proporcionou um pequeno dilema na Toro Rosso, que não sabia a quem recorrer para substituir o francês, que chegou à equipe para substituir Carlos Sainz, que migrou para a Renault.

Muitos nomes foram especulados: de Josef Newgarden, passando por Robert Kubica, até Sébastien Buemi. Mas no fim das contas, a cúpula da Red Bull optou por um nome que há tempos não guiava um F1: Brendon Hartley, campeão mundial de endurance em 2015 e vencedor das 24 Horas de Le Mans neste ano com a Porsche. O neozelandês foi o eleito para correr no lugar de Gasly no Texas.
 
Mas enquanto Hartley luta para aprender a pilotagem do STR12 neste fim de semana, Gasly sequer pode tentar lutar pelo seu objetivo. Traído pelo clima, o francês volta pra casa sem o título da Super Formula enquanto vê o novato Hartley guiar seu carro no GP dos Estados Unidos.
RITMO DE FESTA

PADDOCK GP CHEGA À EDIÇÃO 100 COM HISTÓRIAS IMPERDÍVEIS DE EDGARD MELLO FILHO
 

Últimas Notícias
sexta-feira, 20 de abril de 2018
MotoGP
Stock Car
Indy
MotoGP
Indy
Stock Car
MotoGP
MotoGP
F1
F1
MotoGP
Copa Truck
Stock Car
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook