F1
22/01/2018 11:33

Force India aponta desvantagem no orçamento, mas prevê “enorme batalha” com McLaren e Renault por top-4 em 2018

Enquanto o orçamento da Force India é pouco acima dos R$ 350 milhões por ano, o da Renault passa de R$ 585 mi e a McLaren chega a gastar mais de R$ 720 milhões. Ainda assim, Bob Fernley acredita ser possível ver a equipe de Silverstone repetir as duas últimas temporadas e chegar ao quarto lugar no Mundial de Construtores. Mesmo sabendo que a batalha vai ser muito mais acirrada desta vez
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Sergio Pérez (Foto: Force India)

Desde a temporada 2016, a Force India se consolidou como a ‘melhor equipe do resto’, ficando só atrás de Mercedes, Ferrari e Red Bull no Mundial de Construtores, deixando atrás equipes grandes e de muito maior poderio financeiro, como Williams, Renault e McLaren. Contudo, enquanto a Williams perdeu a experiência de Felipe Massa e entra em 2018 como uma incógnita, McLaren e Renault surgem fortes por motivos distintos. E isso coloca a posição atual da Force India em xeque.
 
A McLaren, depois de enfrentar durante três anos um enorme calvário com os motores da Honda, firmou parceria com a Renault até 2020 e agora desponta com maiores condições de retomar o caminho do pódio com Stoffel Vandoorne e, principalmente, Fernando Alonso. E a equipe de fábrica da Renault, após a dispensa de Jolyon Palmer e a contratação do promissor Carlos Sainz Jr. no fim do ano passado, aparece com uma dupla bem mais sólida em 2018, com o espanhol figurando ao lado de Nico Hülkenberg.
 
A Force India continua com um ótimo pacote: equipe sólida, o melhor motor da F1 — Mercedes — e uma dupla formada por dois pilotos de notável potencial como Esteban Ocon e Sergio Pérez. Mas a equipe de Silverstone tem uma importante desvantagem em relação a McLaren e Renault. A diferença no orçamento. Assim, Bob Fernley, chefe-adjunto da Force India, prevê um grande desafio para sua equipe permanecer como o quarto melhor time da F1. 
A expectativa da Force India é de uma dura batalha contra McLaren e Renault em 2018 (Foto: Xavier Bonilla/Grande Prêmio)
“Elas são uma ameaça significativa, e nós precisamos levar isso a sério. Nós precisamos trabalhar um pouco para garantir que nós vamos lidar com isso. Não vai haver moleza para esses três carros. Essas três equipes vão travar uma enorme batalha”, ponderou o dirigente em entrevista veiculada pelo site norte-americano ‘Motorsport.com’.
 
A estimativa de orçamento da Force India para 2018 é de cerca de R$ 350 milhões. Há uma diferença significativa para os R$ 585 mi da Renault e aos R$ 720 milhões da McLaren. Ainda assim, Fernley espera que sua equipe possa sair vencedora no confronto contra as rivais mais ricas.
 
“Sempre vai ser difícil competir contra orçamentos muito maiores, mas, dito isso, nós fizemos isso por dois anos seguidos, então não há motivos pelos quais não podemos fazer isso pela terceira vez”, destacou.
 

Seja como for, o dirigente deixa claro que não pensa em mudar a filosofia da Force India no começo da temporada deste ano. 
 
“Se você olhar para o começo da temporada, o que foi difícil, nós não tínhamos o carro ao nosso agrado. Então tivemos de usar muito mais as estratégias, obter confiabilidade e ter uma boa pilotagem. Isso tem de estar no lugar para o ano que vem, mas, além disso, espero que possamos desempenhar de forma adequada neste ano”, disse Fernley, esperando um ano desafiador para a Force India. “Você ainda tem a diferença para o top-3, mas haverá três equipes na briga pelo quarto lugar”, encerrou.