F1
26/11/2017 13:05

Frustrado, Hamilton reclama de Abu Dhabi e pede por mudança na pista: “É impossível passar aqui”

Lewis Hamilton nem ameaçou muito o companheiro Valtteri Bottas - apenas apontou atrás dele nas voltas finais para mostrar que tinha condições de ameaçar. Por fim, se contentou com mais uma dobradinha da Mercedes
Warm Up / Redação GP,  do Rio de Janeiro
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)

A temporada que marcou a conquista do tetracampeonato e a quebra do recorde de poles terminou com um gosto um tanto amargo para Lewis Hamilton. O britânico largou em segundo e cruzou a linha de chegada na mesma posição no GP de Abu Dhabi, disputado na noite deste domingo (26). A frustração atende pelo nome de Yas Marina. A pista, belíssima esteticamente, mas que praticamente não permite ultrapassagens, foi motivo de queixas do piloto da Mercedes, que ficou praticamente toda a prova atrás de Valtteri Bottas.
 
“É impossível passar aqui, cara”, reclamou, Hamilton, ainda via rádio da Mercedes assim que terminou a prova. “É muito difícil de acompanhar [quem está à frente]. Acho que eles precisam mudar essa pista”, clamou o piloto.
Lewis Hamilton lamentou por não ter conseguido passar Valtteri Bottas em Abu Dhabi (Foto: AFP)
Com os pontos somados com o segundo lugar em Abu Dhabi, Hamilton tornou-se o terceiro piloto a conquistar o título e somar pontos em todas as corridas da temporada que marcou a conquista, seguindo os feitos de Juan Manuel Fangio, em 1954, e Michael Schumacher, em 2002. Mas Hamilton pontuou nas 20 provas de 2017, diferente das nove em que o argentino marcou pontos há 63 anos ou das 17 de Schumacher. Sobre Fangio, há uma controvérsia pelo fato de o argentino não ter corrido na segunda prova daquele ano, as 500 Milhas de Indianápolis, que fazia parte do calendário da F1, mas era uma prova à parte, só com a presença de pilotos americanos. 
 
Hamilton não teve muito o que falar sobre a corrida e aproveitou para novamente parabenizar Valtteri. “Dei tudo o que pude. Meus parabéns a Bottas, ele fez um trabalho incrível para me segurar. É muito difícil ultrapassar aqui, e ainda estava brigando um pouquinho no último setor”, lamentou o tetracampeão, que, apesar da frustração, só tem motivos para agradecer à Mercedes.
 
“Gostaria de dizer um grande muito obrigado à equipe. O que eles produziram para nós neste ano foi simplesmente incrível. É uma honra correr com eles”, complementou.

A F1 agora sai de férias e volta no fim de fevereiro com a primeira sequência de testes coletivos de pré-temporada em Barcelona. Depois, no último fim de semana de março, o GP da Austrália trará a corrida de abertura da temporada 2018.
“CHORAVA COMO UM BEBÊ”

FÉLIX DA COSTA REVELA TRISTEZA APÓS PERDER CHANCE NA F1