F1
20/06/2018 10:00

GP às 10: Sem alternativas, Red Bull firma com Honda parceria que pode dar certo. Mas já pensa em 2021

Nesta manhã de quarta-feira (20), Flavio Gomes destaca a nova aliança entre Red Bull e Honda, anunciada na última terça. O jornalista lembra que a união entre a equipe taurina e a Renault foi extremamente vencedora, mas que a marca francesa jamais teve o reconhecimento devido. E que a união com a Honda pode ser bem-sucedida, mas o foco está além: em 2021, quando a F1 vai ter um novo regulamento de motores
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Red Bull Honda (Imagem: Divulgação)

Aquilo que já era esperado se confirmou na última terça-feira. Depois de nada menos que 12 anos de uma parceria vitoriosa — e também conflituosa — com a Renault, a Red Bull anunciou o fim do casamento com a fornecedora francesa e oficializou nova parceria com a Honda pelos próximos dois anos
 
Direto de Moscou, Flavio Gomes lembrou que a Renault, mesmo sendo elemento-chave nos anos dourados da Red Bull com nada menos que oito títulos conquistados entre 2010 e 2013 — quatro do Mundial de Construtores e quatro do Mundial de Pilotos, sempre com Sebastian Vettel —, jamais teve o reconhecimento devido. E a Honda, mesmo tendo um histórico recente de fracassos, era a única alternativa da Red Bull.
 
Na visão do jornalista, a união entre Honda e Red Bull pode dar certo. Para os taurinos, há uma necessidade de que a parceria seja bem sucedida para ter um motor forte na entrada do novo regulamento a partir de 2021. E aí, estabelecer um acordo de longo prazo com a marca japonesa.


O GP às 10 é a série que traz um comentário em vídeo dos jornalistas do GRANDE PRÊMIO e convidados especiais, sempre às 10h, do dia e da noite.