F1
09/03/2018 23:30

GP in loco: F1 fecha testes com Mercedes favorita, Ferrari veloz e Red Bull perto. McLaren ainda gera desconfiança

E a pré-temporada da F1 acabou com a Ferrari na frente, provando ter um carro velocíssimo. Com pneus hipermacios, Kimi Räikkönen liderou o último dia de testes, mas Sebastian Vettel alcançou a melhor marca de toda a sessão em Barcelona. Já a Mercedes se mostrou forte novamente, enquanto a Red Bull parece muito mais próxima. Já a McLaren vai para a Austrália cercada de dúvidas
Warm Up, DO CIRCUITO DA CATALUNHA / EVELYN GUIMARÃES,  do Circuito da Catalunha
 Lewis Hamilton (Foto: LLuis Gene/AFP)

A pré-temporada 2018 da F1 é finita. E chegou ao fim exibindo a Ferrari como carro mais rápido dos oito dias de testes coletivos em Barcelona. Em uma segunda semana de atividades em que o clima ajudou muito, a escuderia vermelha mostrou que a SF71H tem enorme velocidade. Ao volante do modelo italiano nesta sexta-feira (9), Kimi Räikkönen fez o tempo de 1min17s221. 
 
O finlandês viveu um programa técnico idêntico ao de Vettel ontem e, portanto, foi com os pneus hipermacios que essa marca foi alcançada. O nórdico também fez simulação de corrida e mostrou que força. O bom desempenho coloca os italianos mais próximos, claro, da principal rival, a Mercedes. Mas os prateados ainda largam com certa vantagem neste início de campeonato.
 
A atual campeã ficou longe das primeiras posições da tabela novamente. Sem se preocupar com tempo de volta, a esquadra alemã trabalhou em stints longos, sempre usando os pneus mais duros, no caso, hoje, os médios. Lewis Hamilton e Valtteri Bottas até chegaram a guiar com os ultramacios, por exemplo, mas andaram com o W09 mais pesado, claramente buscando ritmo de corrida. 
Kimi Räikkönen foi o mais veloz do dia (Foto: Twitter/F1)
O destaque fica por conta da maneira como o time de Toto Wolff conduz suas atividades, sempre de forma bem metódica e crescente – hoje foram mais de 200 voltas. Além disso, o que chamou o fato de que tanto Hamilton quanto Bottas foram mais rápidos que os rivais com os médios, o que indica um carro bem estável. 
 

Agora, é possível dizer que a Red Bull deu um passo à frente com relação à pré-temporada do ano passado. Mostrou consistente e, em um programa mais parecido ao da Mercedes, procurou trabalhar melhor com os compostos mais duros, ainda que Daniel Ricciardo tenha alcançado sua melhor marca hoje com os supermacios. De fato, os austríacos devem se tornar um desafio às duas equipes ponteiras. 
 
Dito isso, a equipe que mais gera desconfiança neste momento é a McLaren. Não é nenhum segredo que o projeto com a Renault ainda precisa de tempo. Mas as seguidas quebras e contratempos já levantam dúvidas sobre o quanto de tempo o time inglês vai precisar para se ajustar. Hoje, Fernando Alonso fez o segundo melhor tempo do dia, mas 0s563 atrás de Räikkönen e andando com pouco combustível. 
Fernando Alonso viveu mais uma drama hoje (Foto: LLuis Gene/AFP)
A performance, entretanto, não mascara os problemas. De novo, o espanhol perdeu um tempo precioso de pista. A falha foi no turbo, a equipe precisou trocar o conjunto, e isso custou 5 horas ao bicampeão. Ainda assim, o asturiano percorreu 93 giros no fim.