F1
26/03/2018 08:50

Haas justifica desastre e culpa falta de treinos de pit-stop por falha “inacreditável” com Magnussen e Grosjean na Austrália

Guenther Steiner, chefe da Haas, tenta recolher os cacos depois de um GP da Austrália que se desenhou perfeito para a equipe e terminou frustrante com os dois pilotos abandonando pelo mesmo problema: uma roda mal fixada após o pit-stop. O dirigente italiano, no entanto, deixou claro que não há “caça às bruxas” na equipe e que a meta agora é resgatar a confiança dos mecânicos
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Romain Grosjean abandonou a disputa e causou o safety-car que ajudou Sebastian Vettel (Foto: Reprodução)

Sensação do fim de semana do GP da Austrália, a Haas ainda tenta digerir a forma inacreditável como perdeu 22 pontos se Kevin Magnussen e Romain Grosjean tivessem mantido o quarto e quinto lugares, respectivamente, até o fim da corrida. Mas os dois abandonaram por conta do mesmo problema: uma roda mal fixada após o pit-stop da equipe norte-americana. Guenther Steiner, chefe do time de Kannapolis, alinhou o discurso de união e lembrou que não houve falhas do tipo no ano passado. E culpou a falta de treinamentos de pit-stop durante o fim de semana pelo desastre que impediu a Haas de marcar bons pontos em Melbourne no último domingo (25).
 
“O fim de semana foi muito tenso para nós. Tivemos alguns problemas nos treinos de sexta-feira, não tivemos muitas peças de reposição, por isso não fizemos muitos treinos de pit-stop, e essa pode ter sido uma das razões”, explicou Steiner em entrevista coletiva.
Guenther Steiner e Romain Grosjean no pit-lane da Haas após desastre na Austrália (Foto: LAT Photograhic/Twitter)
“Simplesmente foi uma parada ruim. Surgiu um problema e não pudemos parar o carro a tempo. São apenas 2s5, tivemos muito azar. Os caras que estavam com as pistolas são os mesmos do ano passado, eles nunca falharam, de modo que não é isso”, declarou o italiano, evitando culpar os mecânicos em ação durante as trocas de pneus.
 
“Precisamos trabalhar mais duro, acumular mais prática. Quando chegarmos ao Bahrein, devemos começar a treinar o quanto antes, de modo que os caras vão recuperar sua confiança”, afirmou Steiner.
Romain Grosjean deixa os boxes após pit-stop que determinou seu abandono (Foto: Racer/Twitter)
O grande foco da Haas a partir de agora vai ser justamente esse, recuperar a moral dos seus mecânicos para dar a volta por cima depois de um fim de semana que se mostrou muito promissor, mas terminou da pior forma.
 

“Eles precisam manter a confiança. Esse incidente foi atípico. Devemos manter a cabeça erguida. Sabemos que podemos ter um bom ano pela frente, simplesmente precisamos analisar o que aconteceu e o que fazer para que isso não se repita”, declarou.
 
“É inacreditável. Foi o mesmo problema nos dois pit-stops, um no pneu dianteiro e outro no traseiro. Mas aconteceu, e essa é a realidade. Terminamos de forma muito decepcionante, mas o ritmo foi muito bom, o carro se mostrou sólido. Essas são as coisas que mantém vivo o espírito. Vamos ao Bahrein de cabeça erguida e vamos tentar diminuir esses erros nos pit-stops”, encerrou o chefe da equipe.
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI