F1
13/05/2018 11:49

Hamilton domina GP da Espanha e conquista segunda vitória consecutiva em 2018. Vettel fica fora do pódio

A Mercedes comandou como quis o GP da Espanha, a quinta etapa da temporada 2018. Usando bem os pneus macios e médios, Lewis Hamilton foi sempre o mais rápido e sai de Barcelona com mais uma vitória, além da liderança isolada do campeonato
Warm Up / EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba
 Lewis Hamlton (Foto: Twitter/Sky Sports)


A Mercedes se apresentou imbatível, neste domingo (13), em Barcelona. Especialmente com Lewis Hamilton. O inglês comandou a corrida catalã como quis e foi sempre o mais rápido, tirando proveito do melhor desempenho do carro alemão com os pneus macios e médios, e nem uma tática diferente da Red Bull ameaçou a liderança. O tetracampeão precisou de apenas um pit-stop para garantir o triunfo, o 64º da carreira e apenas o segundo de maneira consecutiva em 2018. O resultado ainda o fez disparar na ponta do campeonato. Agora são 17 pontos de vantagem para o principal adversário, Sebastian Vettel.

Valtteri Bottas completou a dobradinha e o domínio do time prata na Catalunha. A Red Bull agiu bem nos boxes e beliscou o pódio com Max Verstappen. A parada tardia e o auxílio de um safety-car virtual ajudaram a esquadra a alcançar o terceiro posto.

A Ferrari acabou a prova fora do top-3. Vettel cruzou a linha de chegada em quarto, buscando Verstappen. Mas muito do resultado ferrarista se deveu a um erro de estratégia e a uma falha de rendimento dos pneus mais duros da Pirelli. O outro carro vermelho sequer terminou a corrida. Kimi Räikkönen se viu fora das ações ainda na metade da prova. Daniel Ricciardo fechou os cinco primeiros. 

A F1 volta daqui a duas semanas com o GP de Mônaco, a sexta etapa da temporada. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.
Lewis Hamilton e Valtteri Bottas conquistaram a primeira dobradinha da Mercedes em 2018 (Foto: AFP)
Confira como foi o GP da Espanha de F1

A quinta etapa da F1 começou com uma previsão de 80% de chance de chuva, mas o sol brilhava no céu catalão. E no grid, todo mundo decidiu pelos macios. A exceção: Fernando Alonso, que optou pelos supermacios, além de Nico Hülkenberg e Marcus Ericsson, que preferiram os médios. Assim, os caras saíram para a volta de apresentação no circuito de Montmeló. E quando as luzes se apagaram, o pole Lewis Hamilton saltou bem e impediu qualquer ataque à liderança. Enquanto isso, Valtteri Bottas não tracionou como queria e ainda viu Sebastian Vettel ultrapassá-lo por fora, para assumir a segunda posição. Kimi Räikkönen, Max Verstappen, Daniel Ricciardo e Kevin Magnussen se colocaram logo atrás. 
 
No grupo intermediário, Carlos Sainz e Fernando Alonso tiveram um pequeno toque e chegaram a escapar do traçado – pior para o bicampeão, que caiu no pelotão. Quase ao mesmo tempo, Romain Grosjean, que perdera posições na largada, saiu de traseira na curva 3 e rodou. A Haas voltou para a pista rapidamente e acertou em cheio a Toro Rosso de Pierre Gasly e a Renault de Hülkenberg. Todos saíram ilesos do acidente, mas sem chance de retornar à prova dados os estragos nos carros.
 


Por conta dos reparos na pista e em função da quantidade de detritos, a direção de prova acionou o safety-car. Então, a ordem da corrida passava a ser: Hamilton, Vettel, Bottas, Räikkönen, Verstappen, Ricciardo, Magnussen, Sainz, Charles Leclerc, Esteban Ocon, Alonso, Lance Stroll, Sergio Pérez, Stoffel Vandoorne, Ericsson, Brendon Hartley e Sergey Sirotkin.
 

A relargada se deu na abertura da volta 7, e Hamilton tratou de abrir vantagem para Vettel. Bottas, Räikkönen, Verstappen e Ricciardo vieram logo na sequência. Mais atrás, Alonso superava Ocon em uma bonita ultrapassagem para entrar no top-10. 

Com dez voltas completadas no Circuito da Catalunha, Hamilton seguia voando, virando voltas rápidas a cada passagem. A distância para Vettel, então, vinha na casa de 5s. O ferrarista, por sua vez, já passava a se preocupar mais com Bottas, que estava apenas 1s atrás. Räikkönen aparecia 10s de desvantagem, seguido por Verstappen, Ricciardo, Magnussen, Sainz, Leclerc e Alonso, que formavam os dez primeiros. 
 
A disputa mais ‘acirrada’ aí era entre os carros da Red Bull. O australiano se via mais veloz e lutava para alcançar o holandês. E ambos já estavam chegando no finlandês da Ferrari. 
 
Quando a prova chegou à volta 17, Vettel foi o primeiro entre os ponteiros a parar. E lá foi o alemão buscar os pneus médios, retornando em sétimo, atrás de Magnussen. A Mercedes reagiu rápido e chamou Bottas na volta seguinte. Mas a ação não deu o resultado esperado. No momento em que o nórdico retornava à pista, Sebastian ultrapassou o dinamarquês da Haas ao mesmo tempo, colocando Kevin entre ele e o adversário, em uma jogada inteligente.
A largada do GP da Espanha (Foto: AFP)

Bottas, então, precisou de mais algumas curvas para superar Magnussen. E aí começou a perseguir o alemão da Ferrari. Enquanto isso, lá na frente, Hamilton seguia com um ritmo muito forte, abrindo mais de 17s para Räikkönen, agora em segundo, à frente de Verstappen e Ricciardo, Vettel Bottas, Magnussen, Sainz, Ocon e Pérez. Já Alonso deixava o top-10 porque também decidiu parar no giro 23 – o espanhol mudou os supermacios da largada para os médios.
 
Aí Kimi viveu um pequeno drama. O finlandês, de repente, se viu lento pela pista, em uma aparente perda de potência. Nisso, Verstappen e Ricciardo passaram pelo #7, que foi apenas levando o carro de volta aos boxes para abandonar.

E ainda na volta 26, foi a vez de Hamilton parar. O inglês foi aos boxes para pegar os pneus médios e voltou entre os carros da Red Bull. Então, Max passou a liderar a corrida, mas sem pit-stop. Lewis vinha 1s atrás, andando muito mais veloz. Ricciardo já tinha 8s2 de desvantagem, também sem parada. Vettel e Bottas completavam os cinco primeiros.  

A Red Bull esticou o primeiro stint o quanto deu, e chamou Ricciardo na volta 33. Max veio na seguinte. Os dois também calçaram os pneus médios em uma clara tática de uma única parada. Assim, com todos os pit-stops feitos, a ordem da corrida era: Hamilton, Bottas, Verstappen, Ricciardo, Magnussen, Sainz, Leclerc, Alonso, Pérez, Stroll, Ericsson, Vandoorne, Hartley, Ocon e Sirotkin.

A Red Bull esticou o primeiro stint o quanto deu, e chamou Ricciardo na volta 33. Max veio na seguinte. Os dois também calçaram os pneus médios em uma clara tática de uma única parada. Assim, com todos os pit-stops feitos, a ordem da corrida era: Hamilton, Bottas, Verstappen, Ricciardo, Magnussen, Sainz, Leclerc, Alonso, Pérez, Stroll, Ericsson, Vandoorne, Hartley, Ocon e Sirotkin. 
Stoffel Vandoorne protagonizou o primeiro abandono da McLaren na temporada (Foto: Reprodução/TV)
Na 40ª passagem, a prova catalã viu mais um abandono: Ocon surgiu lento e parou a Force India com um aparente problema mecânico. O francês parou na área de escape interna da curva 4. Por conta do resgate do carro rosa, a direção de prova acionou o safety-car virtual. 
 
E com o ritmo de prova 40% menor, Vettel foi aos boxes mudar os pneus médios novamente. E pegou um jogo novinho do mesmo composto, voltando em quarto, entre os carros da Red Bull. Lá na frente, Hamilton e Bottas seguiam na ponta - o finlandês ganhou a posição do ferrarista com a parada extra. Neste meio tempo, Verstappen ainda tocou a traseira da Williams de Sirotkin, enquanto tentava superar o retardatário russo.
 

A corrida voltou ao desempenho normal no giro 47. E aí Alonso tratou de passar o jovem Leclerc para assumir o oitavo lugar. Na ponta, Hamilton seguiu com seu forte ritmo, tendo agora Bottas 16s atrás, que tinha 10s para Verstappen, que vinha 2s à frente de Vettel, que sustentava uma folga de mais de 15s para Ricciardo, o quinto colocado. 
 
Enquanto isso, a McLaren vivia o primeiro abandono da temporada 2018. Vandoorne surgiu lento e parou no fim da saída dos boxes. O belga era apenas o 13º. Já Alonso seguia no oitavo posto. 
 
Com 12 voltas para o fim, a Mercedes mantinha a dobradinha lá na frente, sem qualquer esboço de novo pit-stop - na verdade, seguiria assim até o fim. Mais atrás, Vettel teimava em alcançar Verstappen. Ricciardo vinha distante dos dois, mas andando muito forte. Magnussen, Sainz, Alonso, Leclerc e Pérez fechavam o grupo da zona de pontuação. 
Lewis Hamilton celebrou a vitória nos braços dos mecânicos da Merccedes (Foto: Mercedes)
No fim da contas, não houve mudanças na ordem. Vettel ainda tentou uma última vez atacar Verstappen, mas desistiu e teve de se contentar com o quarto posto, em um dia fora do pódio. Lá na frente, Hamilton cruzou a linha de chegada para vencer pela segunda vez consecutiva neste ano. Bottas garantiu a dobradinha, com Verstappen em terceiro. Ricciardo completou a lista dos cinco. Pontuaram também: Magnussen (sexto), Sainz (sétimo), Alonso (oitavo), Pérez (nono) e Leclerc (décimo), com a Sauber – pela segunda vez também. 

F1 2018, GP da Espanha, Barcelona, Final:

1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 66 voltas  
2   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes +20.593  
3   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer +26.873  
4   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari +27.584  
5   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer +50.058  
6   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari +1  volta  
7   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault +1  volta  
8   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Renault +1  volta  
9   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes +1  volta  
10   16 Charles LECLERC MCO Sauber Ferrari +2  voltas  
11   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes +2  voltas  
12   28 Brendon HARTLEY NZL Toro Rosso Honda +2  voltas  
13   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari +2  voltas  
14   35 Sergey SIROTKIN RUS Williams Mercedes +2  voltas  
15   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Renault NC  
16   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes NC  
17   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari NC  
18   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault NC  
19   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Honda NC  
20   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari NC