F1
11/05/2018 11:30

Hamilton mantém Mercedes na ponta no segundo treino livre na Espanha. Mas Red Bull se aproxima com Ricciardo

Lewis Hamilton foi o responsável por manter a Mercedes na frente na segunda sessão de treinos livres em Barcelona. Mas a diferença para as rivais foi menor. E quem mais se aproximou foi a Red Bull, com Daniel Ricciardo
Warm Up / EVELYN GUIMARÃES,  de Curitiba
 Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)

A Mercedes seguiu dando as cartas na tarde catalã de F1. Se pela manhã Valtteri Bottas sobrou e deixou a impressão dos velhos tempos de domínio da marca alemã, à tarde a história foi um pouco diferente, mais perto da real imagem do que deve ser esse GP da Espanha, a quinta etapa da temporada 2018. Lewis Hamilton foi o responsável por manter a esquadra prata na ponta da tabela. Mas a distância para as rivais foi bem menor do que a performance matutina sugeriu. 

A Red Bull ficou muito mais perto. Daniel Ricciardo, que perdeu muito tempo de treino pela manhã, voltou forte e cravou a segunda melhor marca, apenas 0s133 do líder britânico. Max Verstappen se colocou em terceiro. A Ferrari foi melhor com Sebastian Vettel, o quarto, usando os supermacios - 0s326 atrás do rival inglês. Bottas completou o top-5. A segunda sessão do dia foi bem incomum, na verdade. O asfalto novo espanhol, ainda muito novo e 'verde', provocou uma série de erros dos pilotos. Hamilton e Ricciardo, por exemplo, não conseguiram andar em ritmo de classificação. Portanto, as melhores marcas dos dois ponteiros do dia vieram com os compostos macios. 

Assim, a ordem de forças para o fim de semana catalão ainda segue incerta. A equipe italiana também enfrentou problemas, com Räikkönen, e deixou a impressão de que poderia ter andado mais. No fim, todo mundo focou nas simulações de corrida, apesar de uma sequência de incidentes com Verstappen, Vettel e Sergio Pérez. 

A F1 volta neste sábado, para o terceiro treino livre e a classificação. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL
 


Lewis Hamilton (Foto: AFP)
Confira como foi o segundo treino livre do GP da Espanha de F1

A F1 ganhou a pista de Barcelona, para a segunda sessão livre da sexta-feira, sob temperaturas de quase 24ºC e asfalto em torno de 41ºC. E diferentemente do que aconteceu no treino inicial do dia, os pilotos foram logo ao trabalho, emendando as costumeiras voltas de instalação com os giros cronometrados. E quem primeiro surgiu na ponta da tabela foi Kevin Magnussen, andando com pneus macios. O colega Romain Grosjean veio atrás, mas guiando com os médios - a diferença era de pouco menos de 0s3. Além dos brancos e amarelos, a Pirelli também levou a Catalunha os supermacios vermelhos.
 
Nico Hülkenberg se colocou logo em terceiro, mas rodando na casa de 1min22s2. Depois de ceder o carro da Williams a Robert Kubica, Sergey Sirotkin foi outro que não perdeu tempo e iniciou seu primeiro stint com 1min24s326. Marcus Ericsson e Brendon Hartley completavam a folha provisória de tempos.
 
Só que a atividade vespertina em Montmeló acabou interrompida logo nos minutos iniciais por conta de uma escapada de pista do francês da Haas. Grosjean perdeu a traseira na rápida curva 7 e foi parar na brita, proferindo alguns impropérios contra si mesmo no rádio. O safety-car virtual foi acionado para a retirado do carro norte-americano. Assim, todo mundo decidiu voltar aos boxes.
Romain Grosjean deu uma bela escapada de pista logo nos primeiros minutos de sessão (Foto: Reprodução/TV)

A pausa não durou muito, e logo a pista se encheu. E as três primeiras equipes trataram de mandar seus pilotos ao trabalho, todos andando de pneus macios. Nesse cenário, Max Verstappen surgiu com o melhor tempo em 1min19s050 - mas muito longe ainda do 1min18s4 de Valtteri Bottas pela manhã. De qualquer forma, o holandês abriu a sessão liderando, com Sebastian Vettel na segunda posição, tendo o mesmo Bottas agora em terceiro. 
 
Só que o novo asfalto catalão exigia um pouco mais dos pneus, e isso se refletia no desempenho – os pilotos necessitavam de mais de uma volta para atingir a temperatura ideal e o melhor nível de aderência. Assim, Verstappen precisou de alguns giros a mais para virar 1min18s699. Após a marca, o #33 voltou aos boxes.
 
Bottas também melhorou e conseguiu 1min18s882, contra 1min18s886 de Lewis Hamilton - mas o tetracampeão ainda saltaria para a ponta ao virar 1min18s259. Vettel, Daniel Ricciardo, Kimi Räikkönen, Kevin Magnussen, Fernando Alonso, Ericsson e Pierre Gasly formavam o top-10.
 
Enquanto os principais nomes voltavam às garagens, Ricciardo permaneceu um pouco mais, buscando um maior grip da 'verde' pista espanhola, até virar 1min18s392 e pular para a segunda posição, à frente de Bottas, Verstappen, Räikkönen, Vettel, Magnussen, Pérez, Alonso e Esteban Ocon.
Kimi Räikkönen também não viveu uma boa tarde em Barcelona (Foto: Reprodução/TV)
Logo depois que a sessão ultrapassou a marca dos 30 minutos, Hamilton decidiu testar os pneus supermacios, mas as voltas de classificação do inglês foram prejudicadas por erros. O #44 protagonizou algumas escapadinhas da pista na tentativa de ganhar temperatura e performance dos vermelhos. A dificuldade com os supermacios também foram vistas da pilotagem de Verstappen, que também deu seus passeios fora do traçado. Então, nenhum dos dois conseguiu tempos mais baixos. Aí foi a vez de a Ferrari enviar seus pilotos com os supermacios. Enquanto Vettel foi até capaz de virar mais veloz – pulando para quarto –, Räikkönen escapou da pista e foi parar na brita na curva 4, em mais um evidente exemplo da falta de aderência do circuito. 

A vida do finlandês ficaria mais difícil. O campeão de 2007 até conseguiu voltar ao traçado, mas logo a Ferrari avisou que havia um problema de motor. Assim, Kimi teve apenas de levar a SF71H de volta aos boxes. 

E foi pouco depois do revés de Räikkönen que a F1 entrou no modo simulação. Ou seja, todo mundo passou a andar com o carro mais pesado, testando os diferentes tipos de pneus, pensando já nas estratégias de corrida. E praticamente todo mundo iniciou os stints com os supermacios. Destaque para essa fase da sessão foi a quantidade de voltas dadas por Vettel e Hamilton em cima dos vermelhos. O alemão passou de 20, enquanto o inglês não ficou muito atrás.

Ainda neste momento, o treino entrou em ritmo de safety-car virtual por conta de um problema com a roda traseira do carro de Pérez, que surgiu parado na reta oposta. A bandeira amarela não durou muito e logo a sessão voltou ao desempenho normal. Por conta das simulações, não houve melhora na tabela de tempos. Assim, Hamilton fechou a sexta-feira na frente.

F1 2018, GP da Espanha, Barcelona, Treino livre 2:

1   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:18.259   39
2   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer 1:18.392 +0.133 41
3   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer 1:18.533 +0.274 39
4   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:18.585 +0.326 34
5   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 1:18.611 +0.352 39
6   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari 1:18.829 +0.570 16
7   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari 1:19.579 +1.320 24
8   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari 1:19.643 +1.384 39
9   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Renault 1:19.722 +1.463 32
10   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes 1:19.962 +1.703 28
11   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes 1:20.024 +1.765 38
12   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Renault 1:20.035 +1.776 35
13   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault 1:20.183 +1.924 43
14   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Honda 1:20.373 +2.114 32
15   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari 1:20.501 +2.242 37
16   16 Charles LECLERC MCO Sauber Ferrari 1:20.514 +2.255 29
17   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault 1:20.672 +2.413 31
18   28 Brendon HARTLEY NZL Toro Rosso Honda 1:21.265 +3.006 34
19   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes 1:21.556 +3.297 35
20   35 Sergey SIROTKIN RUS Williams Mercedes 1:22.060 +3.801 36
          Tempo 107% 1:23.737 +5.478  
                 
Recorde Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:18.259 11/05/2018  
Melhor volta Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari 1:21.670 27/04/2008  

CAMINHO PARA VIRAR LENDA

TRÍPLICE COROA É O QUE SOBROU PARA CARREIRA DE ALONSO