F1
29/05/2017 06:07

Hamilton vê jogo de equipe da Ferrari em favor de Vettel. Mas chefe da Mercedes diz: “Não foi de propósito”

O debate sobre um suposto jogo de equipe por parte da Ferrari para favorecer Sebastian Vettel ganhou as redes sociais e também o paddock após o fim do GP de Mônaco. Lewis Hamilton, que agora está 25 pontos atrás do alemão, não tem dúvidas de que seu rival foi favorecido em Monte Carlo. Mas Toto Wolff, chefe da Mercedes, já não tem tanta certeza
Warm Up / Redação GP,  de Sumaré
 Lewis Hamilton (Foto: AFP)

A estratégia de pit-stops da Ferrari no GP de Mônaco, que ajudou Sebastian Vettel a superar Kimi Räikkönen após sua troca de pneus e vencer a corrida no último domingo (28), suscitou uma série de debates no paddock da F1. Horas depois da prova no Principado, Lewis Hamilton, que agora está 25 pontos atrás do alemão no Mundial de Pilotos, disse não ter dúvidas de que tudo não passou de ordem de equipe da Ferrari para favorecer “seu piloto número 1”. Mas Toto Wolff, chefe da Mercedes, acredita que os italianos não agiram com de forma premeditada.
 
Ciente de que suas palavras repercutem e ganham eco, Hamilton tratou de aquecer a polêmica acesa no domingo e disparou. “Para mim, está claro que a Ferrari escolheu seu piloto número 1. De modo que eles vão fazer todo o possível para que Sebastian consiga o máximo em cada fim de semana”, comentou o britânico.
Lewis Hamilton entende que a Ferrari vai trabalhar para favorecer Sebastian Vettel (Foto: AFP)
“Com a estratégia, é muito difícil que o carro que está à frente seja superado pelo carro que está atrás, a não ser que a equipe decida favorecer outro carro. Isso está claro”, salientou o piloto. Na comparação entre os dois pilotos da Ferrari, Vettel tem agora 129 pontos, quase o dobro de Räikkönen, que soma 67. Entre os dois, aparece Hamilton, com 104, e Valtteri Bottas, com 75.
 
No entanto, a própria Mercedes já usou de jogo de equipe para ajudar Hamilton a vencer uma prova na temporada, e foi logo a disputa antes do GP de Mônaco. Na Espanha, Bottas foi usado como escudeiro para segurar Vettel e ajudar seu companheiro de equipe a voltar à frente depois das janelas de pit-stops. No fim das contas, a estratégia deu certo, e Lewis venceu em Barcelona.
 

Por outro lado, Toto Wolff não trata do assunto com a mesma ênfase do seu piloto. O dirigente austríaco se esquivou da polêmica e disse que, embora Vettel tenha sido favorecido, não vê na situação um claro jogo de equipe da rival Ferrari.
 
“Devemos lhes dar o crédito. Não estava tão claro que os pneus renderiam assim. Eles tiveram de escolher um dos dois pilotos para colocar os supermacios, que não se mostrou tão rápido, e Sebastian fez voltas muito boas para superar Kimi. Não esperava que isso aconteceria”, comentou o chefe da Mercedes.
 
“No fim das contas, foi beneficiado o piloto que está melhor no campeonato, mas não acho que fizeram de propósito”, complementou.
TÉO JOSÉ ACERTA PALPITE VENCEDOR DA INDY 500: ASSISTA