F1
13/07/2017 05:35

Kubica completa 90 voltas em novo teste pela Renault em Paul Ricard e festeja: “Me senti ainda melhor”

Robert Kubica cumpriu mais uma etapa para um dia voltar ao grid da F1. Depois de guiar o Renault E20 em Valência e de cumprir uma sessão no simulador com o carro deste ano, o polonês testou, sem nenhum problema, novamente o modelo de 2012, na última quarta-feira em Paul Ricard. O piloto entende que, daqui em diante, só precisa recuperar seu instinto
Warm Up
Redação GP, de Sumaré

A cada sessão que consegue cumprir neste processo gradual de retorno à F1, Robert Kubica vai mostrando cada vez mais confiança. Depois de ter guiado pela primeira vez um carro da categoria após mais de seis anos — marco do gravíssimo acidente sofrido no rali Ronde di Andora, na Itália, que mudou os rumos da carreira —, Kubica testou também nesta semana no simulador da Renault com o carro deste ano, adaptado ao novo regulamento técnico. E na última quarta-feira (12), o polonês teve novamente a chance de pilotar o E20, de 2012, durante uma sessão privada em Paul Ricard, na França. Robert cumpriu 90 voltas sem maiores problemas.
 
Depois de realizar a sessão com a Renault em Le Castellet, Kubica falou ao jornal francês ‘L’Équipe’ e comemorou o êxito de mais uma etapa do seu caminho rumo ao retorno à F1.
 
“Fisicamente, não há problemas. Em Valência, eu já tinha ficado satisfeito com a maneira como meu corpo e minha mente reagiram. Hoje, eu me senti ainda melhor, e isso me dá confiança enquanto percebo que posso guiar muito bem”, declarou o polonês.
Kubica se sente cada vez mais preparado para voltar à F1 (Foto: Renault)
As maiores lesões sofridas no acidente em 2011 foram nos membros superiores (braço e mão) do lado direito. Mesmo ciente das suas limitações, Kubica disse que não precisou mudar seu estilo de pilotagem, mas sim teve de fazer algumas adaptações.
 
“Eu tenho de compensar com minha mão esquerda, então há mais esforço deste lado, mas isso não afeta minha pilotagem. A única modificação no carro é o fato de que eu estou usando minha mão esquerda para trocar as marchas”, explicou.
 
Embora esteja cada vez mais confiante, Robert não deixou de lado o discurso cauteloso e lembrou que é preciso caminhar um passo por vez. “Não tenho dúvidas sobre meu talento, mas ainda há um longo caminho pela frente. Preciso recuperar meu instinto. Tenho limitações físicas, mas não há impacto na minha pilotagem”, disse o piloto.
 

Ainda não há confirmação por parte da Renault, mas circulam rumores de que Kubica poderia acelerar o R.S. 17 no teste coletivo que a F1 vai promover dias depois da disputa do GP da Hungria, em Budapeste, no começo de agosto. Robert, contudo, prefere esperar.
 
“Eu não quero voltar para nada. Quero voltar ao melhor nível possível. Eu ainda não testei o carro deste ano, então não estaria pronto para Silverstone. Precisaria de alguns dias no carro, e isso aumentaria minhas chances em 100%. Sinceramente, estou fazendo meu melhor para aumentar minhas chances ao máximo. Mas não sei o que o futuro reserva”, finalizou.
MORBIDELLI VÊ ROSSI COMO INSPIRAÇÃO E DIZ QUE CONSELHO O TORNOU MAIS AGRESSIVO NAS CORRIDAS


Últimas Notícias
quinta-feira, 21 de junho de 2018
F1
Indy
F1
F1
F-E
Copa Grande Prêmio
F1
F1
Copa Grande Prêmio
F1
F1
F1
F1
F-E
F1
Galerias de Imagens
Facebook