F1
09/11/2017 14:45

Medo da nuvem negra em Machu Picchu e pânico das mensagens no Whatsapp: como Hamilton viveu após o tetra

Lewis Hamilton é hoje só sorrisos. Mas não foi assim dias atrás. Uma gripe, um celular lotado de cumprimentos e o mau tempo em uma viagem para o Peru tiraram o sossego do quatro vezes campeão mundial de F1
Warm Up, de Interlagos
EVELYN GUIMARÃES, de Interlagos
VICTOR MARTINS, de Interlagos

A vida após um tetracampeonato deixa uma pessoa num estado de espírito e graça próximo à perfeição. Vários são os predicados que podem definir Lewis Hamilton diante de suas primeiras palavras em solo brasileiro: calmo, sorridente, zen e aliviado. Mas nem tudo foi assim no intervalo daquele domingo do nono lugar no GP do México até dias atrás. O inglês passou por alguns apuros entre amigos: um causado pela natureza e outro, pela modernidade.

Depois de celebrar o título correndo na pista e até bebendo champanhe no Hermanos Rodríguez, Hamilton pegou seu avião particular — aquele que o fez aparecer no Paradise Papers — e foi parar em Miami. Celebrou à beça, com tudo que tinha direito. Depois, partiu para uma viagem mais sossegada e reclusa com a meia-irmã Samantha, seus sobrinhos e poucos amigos. O destino: Peru. 

Pois bem. Antes mesmo de ir para o destino final, Hamilton adoeceu. "Eu acabei pegando uma gripe, estava muito frio também". Os problemas estavam apenas começando. "Quando começamos a descer para aterrissar, foi horrível. Tinha a nuvem mais negra que já vi na vida e só pensei: 'O que diabos estou fazendo aqui?'. Estava chovendo muito na primeira noite e eu apenas comecei a rezar para parar, para que o dia amanhecesse claro. No outro dia, realmente estava melhor e nós conseguimos ir ao Machu Picchu e foi lindo."

Hamilton foi parar na famosa montanha Winay Waynay, "mas o dia estava chuvoso e frio". Acontece.
Lewis Hamilton (Foto: AFP)

Enquanto viajava, Hamilton começou a responder às centenas de mensagens de "superestrelas, músicos, atores" no Whatsapp, como gabou-se na coletiva desta quinta-feira (9). "Foi uma explosão. Não acredito que todos eles tiveram um tempo para mandá-las."

Mas aí Hamilton resolveu ser legal. Veio o primeiro problema. "Eu também entrei um pouco em pânico com tantas mensagens, porque quis responder a todas elas. Levou quase uma semana... Mas também todo mundo começou a responder de volta, então só pedi: 'Não me respondam de volta'. Era muita coisa", disse.

Agora tem um GP do Brasil pela frente. Mas... como se sente um tetracampeão? "A sensação de andar pelo paddock como campeão é muito boa", encerrou Hamilton. Sem gripe, sem nuvens negras e sem mensagens para responder.

GRANDE PRÊMIO e o MSN Esportes acompanham 'in loco' o GP do Brasil com Flavio Gomes, Victor Martins, Evelyn Guimarães, Fernando Silva, Gabriel Curty, Pedro Henrique Marum, Vitor Fazio, Américo Teixeira Jr. e Rodrigo Berton direto de Interlagos. Acompanhe a cobertura aqui e todos os detalhes AO VIVO e em TEMPO REAL aqui.


Últimas Notícias
segunda-feira, 22 de janeiro de 2018
Endurance
Rali
Rali
Endurance
F1
F1
F1
Rali
Rali
F1
F1
F1
F1
domingo, 21 de janeiro de 2018
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook