F1
24/11/2016 10:12

Nasr diz que segue em negociação com Sauber e acena com trunfo: “Pontos que pareceram uma vitória”

Felipe Nasr viveu sua melhor entrevista coletiva de quinta-feira do ano neste dia 24 de novembro. O piloto da Sauber pôde, enfim, contar vitória após os dois pontos marcados no GP do Brasil. Seu lugar na F1 para 2017 ainda não está garantido, mas Nasr espera que os pontos e o prêmio da FIA que eles praticamente garantem o ajudem a colocar a caneta no papel e assinar um novo contrato
Warm Up
PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro

Depois de um ano dois mais difíceis que um piloto pode enfrentar, Felipe Nasr chegou a Abu Dhabi tendo que responder perguntas bem mais doces nesta quinta-feira (24) que em todo seu 2016. Os pontos marcados no caótico GP do Brasil foram os únicos dele e da Sauber até aqui, colocando o time suíço no top-10 do Mundial de Construtores e, assim, na lista de equipes premiadas da FIA.
 
Logo de cara, teve de explicar passo a passo o que foi o GP brasileiro. E, claro, Nasr exaltou o fato de ter conseguido em casa o que em dado momento parecia quase impossível. Felipe garantiu: sabia que teria a chance de pontuar. E quem espera sempre alcança, diz o velho ditado. Agora, anda defendido até por Bernie Ecclestone.
 
"Eu não posso imaginar uma forma melhor de fazer isso que na minha corrida de casa. Esses dois pontos pareceram mesmo uma vitória para nós, para todo o time. Estávamos passando por um ano impossível e parecia uma forma impossível de atingir os pontos. Mas aproveitamos as condições complicadas que se apresentaram no Brasil. Eu sabia que haveria uma oportunidade, sabe?", afirmou.
 
"Foi uma corrida difícil para todo mundo, uma prova traiçoeira. Mas quando eu passei pela linha de chegada e tive a certeza de que aqueles dois pontos eram nossos foi um sentimento incrível, porque sei o quanto nos colocamos em posição de superar essa situação. Ainda tem uma corrida e temos que focar em manter esse resultado", disse.
Felipe Nasr (Foto: Beto Issa)
Em seguida, Nasr foi questionado sobre se os dois pontos o ajudam na disputa pela segunda vaga da Sauber, visto que a primeira fica com Marcus Ericsson. Certeza, não há, mas ele espera que seja dessa forma. 
 
"Eu espero que ajude, com certeza. Tudo que um piloto pode fazer é contribuir para as equipes com pontos. Vamos colocar assim: nós sabemos o quanto esses pontos significam em termos de campeonato e os recursos que o time pode ter. Então isso é o que de melhor eu poderia dar a eles", seguiu.
 
Por fim, contou que segue em negociações "principalmente" com a Sauber e reiterou o desejo de ficar. 
 
"Ainda há negociações rolando, principalmente com a Sauber. É nossa prioridade agora. Eu conheço bem o time, tive dois bons anos e pude ver os dois lados da moeda. Meu primeiro ano me deu a possibilidade de atingir muito, no segundo ano o carro não era competitivo, mas foi legal que pudemos fazer os dois pontos no Brasil. Deu um incentivo para o time. Esses dois pontos significam muito para mim, para a Sauber, e espero que saibamos [sobre o futuro] logo", encerrou.
 
O GP de Abu Dhabi do próximo domingo, 27 de novembro, encerra o campeonato mundial de F1 em 2016.

Acompanhe toda a cobertura da decisão da F1 entre Hamilton e Rosberg no GRANDE PRÊMIO. Só aqui você segue treinos, classificação em corrida em TEMPO REAL.

Últimas Notícias
sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
MotoGP
Rali
Outras
MotoGP
F1
F1
F1
F-E
F1
F1
F1
F1
quinta-feira, 18 de janeiro de 2018
F1
Rali
Rali
Galerias de Imagens
Facebook