F1
22/06/2016 16:48

Promotor deixa “samba de uma nota só” de Ecclestone de lado e garante GP do Brasil de F1 até 2020

Tamas Rohonyi garantiu que o GP do Brasil terá seu contrato, que vale até 2020, cumprido, e destacou o bom andamento das reformas no Autódromo de Interlagos
Warm Up
RENAN DO COUTO, de Interlagos

O GP do Brasil não corre risco de sair do calendário. É o que garante Tamas Rohonyi, promotor pela etapa brasileira do Mundial de F1.

Tamas convocou a imprensa para uma visita, nesta quarta-feira (22), ao Autódromo de Interlagos para conferir o andamento das reformas no local. O dirigente aproveitou para comentar as declarações dadas por Bernie Ecclestone no início do mês, dizendo que a prova de São Paulo estava na berlinda.

“O Bernie é famoso por dizer sem exatamente pensar”, afirmou o húngaro radicado no Brasil. “É um samba de uma nota só.”
A torre de controle está sendo demolida, mas os boxes não sofrerão grandes alterações neste ano. No corredor do paddock, estão sendo instaladas tubulações para passagem de fios que permitirão a transmissão de energia, dados, etc. às equipes (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

“Eu falei com ele duas semanas atrás em Londres, eu estava lá e nós almoçamos juntos. Ele não falou nada. Mas ele sempre fala essas coisas, mas não falava do Brasil, fala de Monza, que falta dinheiro, que tem de pagar a mais. Com toda a razão, ele olha os interesses do grupo empresarial dele”, consentiu. Não é algo que me chateia, porque é o jeito dele. O que me chateia é a imprensa, que está deixando de noticiar F1”, seguiu, citando nominalmente a ‘Folha de S.Paulo’ e o 'Estadão'. "A coisa se deslocou para a internet." 

Foi contando com o intermédio de Bernie, inclusive, que o GP do Brasil fechou um acordo com a nova patrocinadora da F1, a Heineken. Uma comitiva da empresa estava visitando o circuito também nesta quarta.

O contrato assinado pela organização da prova, a FOM (Formula One Management) e a Prefeitura de São Paulo vai até 2020, com opção de renovação. Chance de rompimento? “Nem teríamos condições de romper”, diz Tamas.

“Nunca diga nunca, mas a única forma seria o prefeito ou a prefeita não querer o Autódromo. Decidir que vai fazer um Parque do Povo aqui”, continuou. A sua opinião, entretanto, é clara: botando na ponta do lápis, o evento é lucrativo para a cidade. A estimativa de retorno, segundo Tamas, é de quase R$ 400 milhões.

E, com as reformas, o argumento de que a estrutura não comporta a F1 não vai mais colar. Por mais que a totalidade das obras tenha previsão de conclusão apenas para 2017, tudo o que havia sido prometido será entregue até o fim deste ano. "Houve uma defasagem no 'conforto', mas precisamos reconhecer o esforço do prefeito neste que é o único autódromo de nível internacional do Brasil", exaltou. O custo segue inalterado: os mesmos R$ 160 milhões anunciados há dois anos pela Prefeitura.
PADDOCK GP #34 ENTREVISTA CHRISTIAN FITTIPALDI E FALA SOBRE LE MANS E F1



Últimas Notícias
domingo, 24 de junho de 2018
F1
Indy
F1
F1
F3
Indy
F1
F1
F1
F1
F1
Indy
F1
Indy
F1
Galerias de Imagens
Facebook