F1
24/06/2018 14:25

Ricciardo mostra insatisfação com quarto lugar na França e revela asa dianteira quebrada: “Me fez ser lento”

Daniel Ricciardo terminou em quarto lugar o GP da França, mas não saiu satisfeito. Ao final da corrida em Paul Ricard, tentou explicar o que ocorrer e revelou problemas em sua Red Bull
Warm Up / FELIPE NORONHA,  de São Paulo
 Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

Não foi um final de semana fácil para Daniel Ricciardo na França. Após problemas na asa traseira durante todos os treinos de sexta-feira e sábado, neste domingo (24) ele sofreu com a parte dianteira de seu carro. Mesmo assim, ainda conseguiu levar usa Red Bull "ferida" até o final, conquistando a quarta colocação em Paul Ricard.

Depois da corrida, em que viu seu companheiro Max Verstappen subir ao pódio em segundo, Ricciardo explicou a série de problemas que teve para conseguir chegar até o final da corrida - o principal na asa dianteira.

"Meu carro estava 'ferido' desde antes do primeiro pit-stop", revelou. "Kimi iria me alcançar de qualquer jeito (Räikkönen terminou em terceiro). Eu estava com um bom ritmo no final do primeiro stint, estava perto de Max e abrindo em relação a Kimi. Quando parei, a equipe me avisou que a asa dianteira estava quebrada, e eles acham que aconteceu duas voltas antes da parada", seguiu.
Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
"Do nada, comecei a perder a frente do carro, e muito. Não sei se foi uma falha mecânica, ou se foi culpa de detritos, mas quebrou. Então, já com o pneu macio, estava sofrendo, e algumas voltas depois  a parte direita da asa quebriy, então fiquei com os dois lados prejudicados", continuou o australiano.

"Eu não sei, aconteceu e me fez ser lento. Obviamente, por isso não tive tanto controle do carro", completou o chateado Ricciardo.

Mesmo assim, com a pontuação alcançada pelo quarto lugar ele foi a 96, reassumindo a terceira posição. "Acho que ainda podemos brigar com Mercedes e Ferrari. Nas duas próximas corridas a situação deve ser como a de hoje, mas em Hockenheim e Budapeste eu posso brigar", finalizou.