F1
20/02/2017 06:34

Sauber lança C36 com homenagem aos 25 anos de história e marca presença de 'bico-mamilo' e volta da barbatana

O modelo C36 da Sauber, que será pilotado por Marcus Ericsson e Pascal Wehrlein, tem a missão de tirar os suíços do buraco em que se meteram na temporada 2016. A nova pintura, bem diferente em relação aos últimos anos, é alusiva aos 25 anos da equipe suíça na F1. Em termos aerodinâmicos, o carro tem o bico-mamilo que a Williams teimou em manter e a volta da ‘barbatana’ sobre a cobertura do motor
Warm Up
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
FERNANDO SILVA, de Sumaré

A Sauber ficou com a ficha dois na fila de apresentações de carros da F1 em 2017. Depois da Williams, os suíços mostraram seu bólido nesta segunda-feira (20). Tudo bem que foi de forma bastante humilde, apenas divulgando imagens em seu site, mas serviu para matar a vontade dos fãs de automobilismo. As linhas do C36 confirmam as expectativas de carros com visual repaginado e mais agressivo, e também comemorativo aos 25 anos da equipe na F1, com uma pintura bem diferente dos últimos anos. Entre os detallhes técnicos que chamam a atenção, está a adoção de um 'bico-mamilo', semelhante ao apresentado pela Williams no novo FW40, e também a 'barbatana de tubarão' na cobertura do motor, que deve ser tendência dos novos carros da F1.
 
O modelo C36 tem a missão clara de tirar a Sauber do buraco – uma meta que parece ser cada vez mais comum nos últimos anos. E não dá para dizer que não foi feito um esforço nesse sentido: um grupo de investidores foi encontrado para injetar dinheiro na escuderia de Hinwil – algo crucial após quase falir no primeiro semestre de 2016.
 
Com um pouco mais de dinheiro, o diretor-técnico da Audi no Mundial de Endurance foi contratado. Cumprindo a mesma função na Sauber, Jörg Zander ocupa um espaço que estava vago desde a saída relâmpago de Giampaolo Dall’Ara, antes mesmo do início da temporada passada.
Eis o novo (e belo) Sauber C36, com pintura comemorativa aos 25 anos da equipe na F1 (Foto: Sauber)
Zander pode ser considerado um reforço tão importante quanto Wehrlein, para falar a verdade. O alemão chega com a missão de transformar a aerodinâmica em ponto forte da Sauber – algo que seria muito bem vindo, dado o downforce extra que os carros de 2017 têm. Um carro efetivo nas curvas também seria uma forma de compensar o problema que o C36 vai ter nas retas: o modelo vai ser equipado com a versão 2016 do motor Ferrari, mais barata e menos potente.

Zander explicou as mudanças em relação ao modelo do ano passado, todas elas motivadas pelo novo regulamento técnico, que proporcionou um foco muito maior na aerodinâmica do novo C36. “Damos muito mais ênfase na estabilidade aerodinâmica ao invés de maximizar o downforce”. 
 
Quanto ao uso do motor de 2016 da Ferrari, o diretor-técnico da Sauber entende que, diante do contexto atual da equipe, a medida é acertada porque “conseguir começar cedo e definir o motor foi uma vantagem porque a equipe estava familiarizada com ele e também com a transmissão, bem como as definições de arrefecimento do motor”.
O novo Sauber C36 é mais largo e mais longo, obedecendo ao novo regulamento (Foto: Sauber F1 Team)
No que tange os pilotos, a Sauber traz mudanças. Wehrlein substitui Felipe Nasr, envolto por uma série de problemas com o patrocinador Banco do Brasil. O alemão chega em uma situação curiosa: depois de flertar com a vaga que pertencia a Nico Rosberg na Mercedes, Pascal precisou se contentar com um carro que talvez não lhe ofereça muito mais competitividade do que a finada Manor já oferecia. Mesmo escanteado em uma operação que escolheu Valtteri Bottas para a equipe prateada, o #94 ainda é visto como um piloto bastante talentoso.
 
Marcus Ericsson renovou o contrato e parte para o terceiro ano com a Sauber. O suíço claramente melhorou em 2016 e, mesmo passando o ano sem pontos, se acostumou a superar o defenestrado Nasr. Apesar da ascensão, o sueco ainda precisa provar que tem talento para seguir crescendo na F1. E a companhia de Wehrlein será a prova de fogo nesse aspecto.

Ericsson, aliás, não escondeu o quanto ficou apaixonado pelo novo carro da Sauber, seu 'novo crush'. Em sua conta no Twitter, o sueco elogiou muito o C36, mas também revelou torcida para que o modelo também seja rápido.


A imagem da dianteira do novo C36 mostra um carro bem mais robusto (Foto: Sauber F1 Team)
O C36 vai para a pistar pela primeira vez já nesta quarta-feira (22), em um dia de filmagem em Barcelona. A primeira atividade cronometrada do carro será no dia 27, justamente no início da pré-temporada 2017 da F1. Nos testes, a equipe vai precisar se virar com Ericsson e o italliano Antonio Giovinazzi, substituto emergencial para o lesionado Wehrlein.

Pascal, aliás, também elogiou o visual do novo C36 por meio da sua conta no Twitter. Sem condições de testar o carro nesta primeira sessão de testes de pré-temporada, o alemão se mostrou ansioso para pilotar o carro entre 7 e 10 de março, em Barcelona.


Monisha Kaltenborn, chefe da Sauber, torce para que a escuderia suíça volte a ser competitiva, como foi no começo da década, sobretudo em 2012, quando conquistou pódios com Sergio Pérez e Kamui Kobayashi. Reforçada com o dinheiro da nova proprietária, a equipe de Hinwil sonha em viver dias melhores.

“Ao lado da Longbow Finance, a Sauber tem uma grande oportunidade para voltar a ser competitiva, retomando o sucesso na F1. Queremos trazer uma nova abordagem, já demos os primeiros passos em busca de uma base sólida para o futuro”, disse a advogada indo-austríaca. “Nós claramente precisamos melhorar. O C36 vai ser uma base sólida para isso, e também temos os recursos para desenvolver o carro ao longo do ano. Isso vai ser muito importante para se firmar no meio do pelotão”, concluiu.


PADDOCK GP #65 RECEBE PIPO DERANI E FAZ PRÉVIA DO eP DA ARGENTINA DE F-E


Últimas Notícias
segunda-feira, 25 de junho de 2018
Mitsubishi
F1
Nascar
Motociclismo
F1
F2
F1
F1
domingo, 24 de junho de 2018
F1
Indy
Indy
F1
Indy
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook