F1
25/04/2018 08:56

Vandoorne afirma que está próximo do ritmo de Alonso e comemora desafio: “Tenho uma ótima referência”

Stoffel Vandoorne começou a carreira na F1 com a missão de medir forças com Fernando Alonso, mas não reclama. O belga comemora o desafio e fica feliz por se sentir cada vez mais próximo do desempenho do espanhol na McLaren
Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
 Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)

Ser companheiro de Fernando Alonso pode ser uma missão ingrata, mas Stoffel Vandoorne encara de forma positiva. O belga, agora em seu segundo ano como titular da McLaren, fica feliz por poder comparar a performance com alguém como o espanhol. E mais feliz ainda por sentir que a briga está mais acirrada em 2018, com maior proximidade entre os dois.
 
Vandoorne admite que ainda não está realmente no mesmo nível que Alonso, mas acredita que a maior experiência permite uma disputa parelha.
 
“Ele [Alonso] sabe como superar algumas coisas, como construir o fim de semana mesmo em momentos críticos. É um dos pontos fortes dele”, definiu Vandoorne. “Não importa qual a circunstância, ele faz seu trabalho em 99% dos casos e isso é muito bom para meu aprendizado. Eu definitivamente sinto que me tornei muito mais forte e capaz de fazer essas coisas [que o Alonso faz], mesmo em situações difíceis ou traiçoeiras”, seguiu.
Stoffel Vandoorne segue aprendendo com Fernando Alonso (Foto: McLaren)

Na briga interna entre os dois, a vantagem é claramente de Alonso. De 2017 para cá, período em que os pilotos passaram a formar dupla, o espanhol somou 39 pontos. Vandoorne, por sua vez, chegou aos 19. Mesmo em desvantagem, o belga segue olhando pelo lado positivo – o de estar sendo superado por um bicampeão mundial de F1.
 
“Eu tenho uma ótima referência. Eu sei exatamente quando estou na briga, buscando cada centésimo e extraindo 100% do carro. Se eu quiser ser campeão mundial um dia, vou precisar superar um campeão mundial. Então é bom passar por isso”, refletiu.
 
Em 2018, Vandoorne é o 11º no Mundial de Pilotos, enquanto Alonso é o sexto. Juntos, os pilotos deixam a McLaren em um inesperado quarto lugar no Mundial de Construtores.
 
MELHOR DA HISTÓRIA?

FORMA INCRÍVEL DE MÁRQUEZ LEVANTA DEBATE NO PADDOCK GP