Indy
09/07/2017 20:48

Castroneves supera Hildebrand e encerra jejum de mais de três anos com vitória em Iowa. Kanaan é 9º

Helio Castroneves voltou a vencer na Indy. Com uma grande atuação, o brasileiro segurou JR Hildebrand no fim e encerrou um jejum de mais de três anos no oval de Iowa
Warm Up / GABRIEL CURTY, de São Paulo
 Chris Owens IMS Photo

Acabou o jejum de vitórias de Helio Castroneves na Indy. Com uma grande atuação e uma interessante disputa com JR Hildebrand, o brasileiro triunfou neste domingo (9) em Iowa e voltou ao lugar mais alto do pódio depois de mais de três anos. 

E a vitória de Helio veio no melhor momento possível para ele. Na briga pelo título da temporada e no final de semana em que mais se intensificavam os boatos de sua saída da Indy em 2018, o brasileiro voltou a escalar a grade de um autódromo.

"Eu era um pouco mais jovem quando subia [o alambrado]. Que carro. Que carro incrível e que equipe incrível. O que dizer? Posso dizer que estou sem palavras. Quero agradecer primeiro a Penske, ao Cindric, meu engenheiro, o engenheiro do #33, e também aos meus companheiros. Eles trabalharam muito por isso. No começo da prova, a gente teve um probleminha, mas a gente conseguiu acertar o carro e ficou ótimo. É como se fosse a primeira vez. Eu sou muito orgulhoso por fazer parte desta organização. É incrível", disse um emocionado Helio ao fim da corrida.

"Nunca pensei que não fosse vencer mais, nunca. Nunca esteve na minha cabeça, principalmente por estes caras. Eu tive sempre um grande apoio, especialmente da Penske. A estratégia foi perfeita", completou.

Hildebrand teve uma das melhores atuações de sua vida. Sempre rápido em ovais e contando com um ótimo final de semana da Chevrolet e da Carpenter, o americano foi o único que verdadeiramente ameaçou Castroneves.

Ryan Hunter-Reay, que não vive um grande ano, também andou muito bem em Iowa. Superando as limitações da Honda no oval curto, ficou em terceiro. Will Power, Graham Rahal, Josef Newgarden, Simon Pagenaud, Scott Dixon, Tony Kanaan e James Hinchcliffe também foram ao top-10.
Helio Castroneves venceu em Iowa (Foto: IndyCar)
Confira como foi a corrida em Iowa

A largada para a etapa de Iowa da Indy aconteceu às 18h43 (em Brasília), com Helio Castroneves saindo muito bem e partindo para cima de JR Hildebrand, tomando o segundo lugar do americano e já saindo colado em Will Power.

Ainda nos giros iniciais, Ed Carpenter também superou o companheiro Hildebrand, alcançando a terceira colocação. A melhor Honda ainda era de Takuma Sato, com Mikhail Aleshin, James Hinchcliffe e Tony Kanaan logo atrás.



Quem começava muito lento era Kanaan. Depois de ficar para trás na largada, o brasileiro perdeu posições rapidamente para Simon Pagenaud, Graham Rahal, Alexander Rossi, Ryan Hunter-Reay e Josef Newgarden.

15 voltas foram o suficiente para que Marco Andretti já virasse o primeiro retardatário da corrida e tomasse voltas em sequência de Power, Castroneves e Carpenter, que vinham próximos no top-3.

Aproveitando o tumulto com retardatários, Castroneves mergulhou por dentro e superou Power na volta 22, assumindo uma importante liderança considerando o grau de dificuldade para se ultrapassar em Iowa. Carpenter também não perdeu tempo e tirou o australiano da frente.
JR Hildebrand andou muito bem em Iowa (Foto: Carpenter)
Enquanto Power retomava o segundo lugar de Carpenter, Aleshin e Rahal surgiam como surpresas na corrida, ocupando a quarta e a quinta posição, respectivamente.

Carpenter começava a perder um pouco de fôlego perto do fim do primeiro sexto de corrida e já via Aleshin e Rahal passarem. O piloto da RLL, aliás, ainda superou o russo logo depois, subindo para terceiro.



Na volta 56, a primeira bandeira amarela da corrida. Aleshin, que fazia grande corrida e brigava por pódio, perdeu o controle e foi parar no muro na curva 2. Carlos Muñoz certamente sorriu, depois de segurar Castroneves por quase 30 voltas e não tomar volta.

A primeira rodada de paradas aconteceu ali mesmo. Castroneves manteve a dianteira, seguido por Power, Rahal, Carpenter, Hildebrand, Pagenaud, Hunter-Reay, Sato, Hinchcliffe e Scott Dixon no retorno à pista.

A relargada veio na volta 67 e Castroneves saiu novamente bem. Logo atrás dele e de Power, Carpenter fez um bom trabalho para superar Rahal, enquanto Josef Newgarden apareceu pela primeira vez na corrida em nono.

O segundo stint da corrida parecia desenhar um cenário bem mais favorável para a Chevrolet. Dominando o top-4 com Helio, Power, Carpenter e Hildebrand, a marca ainda tinha Pagenaud e Newgarden logo atrás do grupo.



Quando o primeiro terço de prova era superado, a Carpenter vivia duas situações bem opostas. Carpenter caía para sexto, ficando lento, enquanto Hildebrand atropelava todo mundo e não tomava conhecimento de Castroneves para se tornar líder. Logo depois, Power também deixou o brasileiro para trás.

Newgarden seguia crescendo na corrida e já aparecia em sexto, enquanto Carpenter já caía para oitavo. Brigando pelo décimo lugar, os companheiros Kanaan e Dixon chegaram a se bater e o neozelandês passou alguns segundos de aperto com o carro desequilibrado.



A segunda bandeira amarela veio logo depois que alguns pilotos já tinham feito o segundo pit-stop. Com vibração no carro, Muñoz perdeu o equilíbrio e beijou o muro, danificando bastante o #14.

Veio, então, a segunda rodada de paradas, com Castroneves conseguindo recuperar a ponta. Hildebrand, Power, Hunter-Reay, Rahal, Hinch, Newgarden, Carpenter, Max Chilton e Pagenaud também vinham no top-10.



Uma nova relargada veio na volta 143, com Power se destacando e passando Hildebrand. Newgarden também saiu bem e foi para sexto, enquanto Kanaan virou nono. Hildebrand foi dar o troco 25 voltas depois, aproveitando para forçar o ritmo em cima de Castroneves.

Na volta 171, quando JR parecia pronto para abocanhar a dianteira, a segunda Foyt, a de Conor Daly, estava lenta após beijar o muro e a terceira bandeira amarela aparecia. Muita gente aproveitava para retornar para os boxes. Eles voltavam ordenados assim: Castroneves, Power, Hunter-Reay, Hildebrand, Rahal, Kanaan, Newgarden, Pagenaud e Hinch. Kimball era o único a ficar na pista e aparecia em primeiro.



A volta 182 teve nova relargada, com os líderes atropelando Kimball, que em poucos giros já era o oitavo colocado. Hinchcliffe, então, resolveu arriscar e montou uma linha de três com Kanaan e Kimball, quase dando em um novo acidente. Sabe quem surgia na prova com força? Esteban Gutiérrez. O mexicano fez ótima relargada e vinha com bom ritmo, entrando no top-10 pela primeira vez.

Sem que houvesse a menor previsão, começou a garoar no circuito e, de forma inevitável, lá estava novamente a bandeira amarela sendo acionada no oval de Iowa.
As nuvens no céu de Iowa (Foto: Douglas Oliveira)

Alguns pilotos como Newgarden, Dixon e Pagenaud resolveram ir aos boxes apostando que a chuva logo pararia, mas a direção de prova achou por bem acionar a bandeira vermelha, parando por tempo indeterminado a corrida.

Depois de alguns minutos de indecisão sobre a continuidade da corrida, a prova voltou à bandeira verde para suas últimas 90 voltas. Newgarden já começava atropelando todo mundo, pintando como forte postulante à vitória.

Enquanto Helio e Power seguiam próximos nas duas primeiras posições, Newgarden e Pagenaud vinham atrás tentando varrer a concorrência e pareciam colocar a Penske viva com os quatro carros. Os rivais, até ali, eram Hunter-Reay, Rahal e Hildebrand.
Ryan Hunter-Reay foi terceiro em Iowa (Foto: Andretti)
A última rodada de paradas veio e a Carpenter deu o bote. Fazendo o pit-stop de Hildebrand um pouquinho mais cedo e com extrema eficiência, o time devolveu o americano em primeiro, sendo bastante assediado por Castroneves.

Não demorou muito para que o brasileiro voltasse ao primeiro lugar. Aproveitando a presença dos retardatários, mergulhou para superar mais uma vez Hildebrand, seu maior adversário na corrida.



Dali para frente, Castroneves só fez aumentar a diferença e, mesmo vendo JR cortar um pouco a vantagem no fim, ainda teve tranquilidade para encerrar o incômodo jejum de vitórias que vinha desde Detroit em 2014. Vitória do veterano brasileiro, cada vez mais vivo no campeonato.

Indy, GP de Iowa, Classificação Final:

1 3 Helio CASTRONEVES BRA Penske Chevrolet 300 voltas  
2 21 JR HILDEBRAND EUA Carpenter Chevrolet +3.965  
3 28 Ryan HUNTER-REAY EUA Andretti Honda +4.585  
4 12 Will POWER AUS Penske Chevrolet +5.740  
5 15 Graham RAHAL EUA RLL Honda +10.181  
6 2 Josef NEWGARDEN EUA Penske Chevrolet +11.050  
7 1 Simon PAGENAUD FRA Penske Chevrolet +12.256  
8 9 Scott DIXON NZL Ganassi Honda +14.365  
9 10 Tony KANAAN BRA Ganassi Honda +15.118  
10 5 James HINCHCLIFFE CAN Schmidt Peterson Honda +15.824  
11 98 Alexander ROSSI EUA Andretti Honda +1 volta  
12 20 Ed CARPENTER EUA Carpenter Chevrolet +1 volta  
13 18 Esteban GUTIÉRREZ MEX Dale Coyne Honda +1 volta  
14 8 Max CHILTON ING Ganassi Honda +1 volta  
15 83 Charlie KIMBALL EUA Ganassi Honda +2 voltas  
16 26 Takuma SATO JAP Andretti Honda +2 voltas  
17 27 Marco ANDRETTI EUA Andretti Honda +2 voltas  
18 19 Ed JONES ING Dale Coyne Honda +3 voltas  
19 4 Conor DALY EUA Foyt Chevrolet +132 voltas NC
20 14 Carlos MUÑOZ COL Foyt Chevrolet +170 voltas NC
21 7 Mikhail ALESHIN RUS Schmidt Peterson Honda +244 voltas NC
 
POSTURA DA GLOBO NA CORRIDA DO MILHÃO DA STOCK CAR MOSTRA DESPREZO PELO AUTOMOBILISMO