Indy
22/09/2015 17:59

Road America recebe teste da Indy aberto para público e reverte metade do valor dos ingressos para fundação de Wilson

O primeiro teste da Indy em seu retorno ao circuito de Road America acontece aberto ao público, com 11 pilotos do grid na pista e metade do valor dos ingressos repassada para a fundação de Justin Wilson
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Scott Dixon no teste inicial em Road America (Foto: Reprodução/Twitter)
A Indy está, definitivamente, de volta ao tradicionalíssimo circuito de Road America. A pista que em 2016 vai novamente receber uma etapa da categoria, nesta terça-feira (22) acompanha um teste aberto ao público com 11 pilotos do grid e reverte parte do valor dos ingressos à fundação de Justin Wilson.
 
O teste inicial acontece sem cronometragem oficial, apenas como um primeiro contato para os pilotos da categoria com a pista. Elkhart Lake, inclusive, não vê uma prova de monopostos desde 2007, quando a Champ Car lá esteve.
Juan Pablo Montoya contorna curva durante teste em Road America (Foto: Reprodução/Twitter)
Na pista para o primeiro teste estão 11 pilotos de cinco equipes diferentes. São eles: Helio Castroneves, Will Power, Juan Pablo Montoya e Simon Pagenaud, da Penske; Scott Dixon, Tony Kanaan, Sage Karam e Charlie Kimball, da Ganassi; Takuma Sato, da Foyt; Josef Newgarden, da CFH e Graham Rahal, da RLL.
 
Um dos principais destaques da sessão ficou por parte do repasse de metade do valor dos ingressos vendidos para a fundação de Justin Wilson. O preço dos tíquetes para o acompanhamento do treino foi fixado em $20 – cerca de R$ 80 – com $ 10 de cada ingresso indo para a fundação Wilson Children's Fund.
Tony Kanaan acelerando em Road America (Foto: Reprodução/Twitter)
Campeão da temporada 2015 da Indy, Scott Dixon mostrou-se bem empolgado com o retorno da pista e o teste.
 
“Eu estou muito animado em poder voltar para Road America. É uma daquelas pistas antigonas, me lembra muito o estilo de Watkins Glen. Vamos aproveitar o teste para ver características da pista e descobrir no que precisaremos trabalhar duro para o ano que vem”, disse.