MotoGP
14/05/2018 08:18

Chefe da Ducati fala em resolver situação de Dovizioso “o mais cedo possível” e garante “resposta definitiva” em Mugello

Chefe da Ducati Corse, Gigi Dall’Igna falou em resolver a situação de Andrea Dovizioso na equipe o mais cedo possível. Dirigente espera uma decisão final até a etapa de Mugello no início de junho
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Andrea Dovizioso (Foto: Michelin)

Diretor da Ducati Corse, Gigi Dall’Igna marcou uma data para definir o futuro de Andrea Dovizioso no time. O italiano tem contrato com a casa de Bolonha até o fim do ano, mas rejeitou a primeira proposta de renovação do vínculo.
 
Em Ímola para a etapa do fim de semana do Mundial de Superbike, Dall’Igna não conseguiu escapar das perguntas relacionadas à MotoGP e reconheceu que a negociação com Andrea não é fácil.
Gigi Dall'Igna quer situação de Andrea Dovizioso resolvida até GP da Itália (Foto: Ducati)
“Temos de resolver este problema o mais cedo possível”, disse Dall’Igna. “Não é uma negociação fácil e leva tempo. Seguramente, teremos uma resposta definitiva em Mugello”, seguiu.
 
Questionado sobre os recentes rumores de uma volta de Andrea Iannone ao time, Dall’Igna deixou claro que a Ducati tem outra prioridade no momento.
 
“Neste momento, nosso objetivo é alcançar um acordo com Dovizioso. Depois pensaremos em outros pilotos”, explicou. 
 
Ainda, Dall’Igna reconheceu que não está satisfeito com a performance de Jorge Lorenzo e ressaltou que um dos objetivos do time é melhorar a atuação do piloto de Palma de Maiorca com a Desmosedici.
 
“Não estou contente, Lorenzo tampouco e nem os fãs. Esta é a realidade. Temos de tentar melhorar o rendimento do #99 com a Ducati. Este é um dos nossos objetivos”, frisou.
 
Na semana passada, a Ducati esteve em Mugello para um teste, mas Dall’Igna negou os rumores de que Lorenzo tenha testado um novo chassi. De acordo com o dirigente, a peça é a mesma que Dovizioso tem usado desde o início do ano. 
 
“Sinceramente, não era realmente um novo chassi. É o mesmo que Dovizioso está usando desde que começou o campeonato. Nós o tínhamos testado com Dovi durante os testes de inverno, e ele utilizou desde o começo da temporada”, explicou. “As diferenças entre os dois chassis utilizados até aqui não são muito grandes e decidimos que Lorenzo não o utilizaria até que estivesse em condições de poder avaliar corretamente este novo chassi. Depois de Jerez, pensamos que era o momento ideal de prová-lo”, contou.
 
“Foi por isso que ele testou em Mugello, mas não é completamente diferente. Temos algumas coisas em mente e provaremos outras novas com Michele [Pirro, piloto de testes] nos próximos meses, mas tudo depende dos resultados”, completou.
 
CAMINHO PARA VIRAR LENDA

TRÍPLICE COROA É O QUE SOBROU PARA CARREIRA DE ALONSO