MotoGP
17/03/2018 14:03

Zarco detona recorde de Losail, deixa Honda e Ducati para trás e é pole-position no GP do Catar

Johann Zarco foi impecável na volta final do treino classificatório deste sábado (17) e faturou a primeira pole-position da temporada 2018 da MotoGP. 0s202 mais lento, Marc Márquez ficou em segundo, com Danilo Petrucci colocando a Ducati no terceiro posto do grid de Losail
Warm Up / JULIANA TESSER,  de São Paulo
 Johann Zarco com a Tech3 no primeiro dia de treinos no Catar (Foto: Michelin)

Johann Zarco jogou água no favoritismo da Ducati em Losail. Com uma última volta voadora, o #5 detonou o recorde de Losail que durou uma década neste sábado (17) e cravou a primeira pole-position da temporada 2018.

Marc Márquez foi o primeiro a aparecer no topo da folha de tempos no Q2, mas logo encarou a resistência de Andrea Dovizioso. Na volta final, no entanto, foi o piloto da Tech3 quem saiu mais forte. Com 1min53s680, o francês superou em 0s243 um recorde estabelecido ainda em 2008 por Jorge Lorenzo ― com pneus de classificação, aliás..
Johann Zarco colocou a Tech3 na pole no Catar (Foto: Michelin)
0s202 mais lento que Zarco, Márquez ficou com o segundo posto, à frente de Danilo Petrucci, que foi só 0s002 mais devagar que o #93.
 
Com 0s392 de atraso para o líder, Cal Crutchlow vai abrir a segunda fila, 0s002 melhor que Dovizioso, o quinto. Confirmando a boa forma da Suzuki, Álex Rins conseguiu o sexto lugar na grelha.
 
Com 1min54s368, Dani Pedrosa ficou com a sétima colocação, 0s021 melhor que Valentino Rossi, o oitavo. Jorge Lorenzo aparece na sequência, com Jack Miller completando o top-10. Andrea Iannone e Maverick Viñales ficaram com os dois últimos tempos no Q2.
 
Dovizioso bate Petrucci e lidera TL4. Rossi é terceiro em Losail
 

A quarta sessão de treinos livres começou com temperaturas consideravelmente mais baixas ― e mais próximas daquilo que se espera para a corrida. Quando o pit-lane foi aberto, os termômetros marcavam 26°C, com a pista chegando a 27°C. A velocidade do vento também tinha diminuído um pouco e estava em 13 km/h.
 
Com 1min56s48, Rossi foi o primeiro a aparecer no topo da tabela, 0s695 à frente de Rins, que tinha a mesma combinação de pneu médio e macio. Rabat era o terceiro, seguido por Viñales e Zarco.
 
Ainda nos primeiros minutos da sessão, Lorenzo teve um problema com a moto e voltou aos boxes bastante irritado.
 
No giro seguinte, Rossi baixou para 1min55s403 e se manteve na ponta, 0s518 melhor que Dovizioso. Crutchlow, Petrucci e Márquez vinham na sequência.
 
Márquez, então, respondeu e subiu para a segunda colocação, 0s395 mais lento que o #46. O piloto da Honda tinha um pneu duro na frente e um macio atrás.
 
Em sua quinta volta neste início de noite, Petrucci, com um par de macios, cravou 1min55s310 e assumiu a ponta, 0s093 melhor que Rossi, que caiu para segundo. Crutchlow, Dovizioso, Márquez, Pedrosa, Rins, Viñales, Zarco e Iannone completavam o top-10.
 
Rins, aliás, melhorou sua marca e saltou para o terceiro posto, 0s321 mais lento que Petrucci. 
 
Com cerca de 17 minutos de sessão, Nakagami sofreu uma queda na freada na curva 15. Apesar do impacto, o nipônico não parece ter se ferido com gravidade, mas a moto ficou bem arranhada.
 
Em meados da sessão, os pilotos partiram para os boxes. Petrucci seguia no comando da sessão, seguido por Rossi, Rins, Márquez, Crutchlow, Dovizioso, Pedrosa, Viñales, Zarco e Miller.
 
Na curva dois, entretanto, Pol Espargaró sofreu uma queda. O #44 não se feriu com seriedade, mas ficou irritado. Instantes mais tarde, Zarco foi ao chão na 16, e também saiu ileso. Duas quedas ‘tradicionais’, no circuito do Catar.
 
Perto da marca de oito minutos para o fim, Iannone saltou para a quarta colocação, 0s334 atrás de Petrucci. Com um par de médios, Crutchlow também foi mais rápido, mas não o bastante para sair do sétimo lugar.
 

Viñales, por outro lado, aproveitou os pneus macios para saltar para a terceira colocação, 0s190 mais lento que Rossi, que permanecia na segunda colocação. Mais atrás, Lorenzo passou ao oitavo posto.
 
Passada a marca de 3 minutos para o fim, Rins chegou a 1min54s483 e pulou para a terceira colocação, 0s173 mais lento do que o líder. Segundos antes de o cronômetro zerar, Dovizioso alcançou 1min55s248 e tomou a liderança de Danilo por 0s062.
 
Já com a bandeira quadriculada tremulando em Losail. Márquez passou Viñales pelo quinto posto, mas o #25 vinha em volta rápida com seu par de pneus macios. O #25, porém, perdeu na parcial final e não melhorou.
 
Com o fim do TL4, Dovizioso ficou com a liderança, seguido por Petrucci, Rossi, Rins, Márquez, Viñales, Iannone, Lorenzo, Crutchlow, Pedrosa, Zarco e Miller, todos no mesmo segundo do líder. Lüthi vinha na sequência, com Redding e Morbidelli fechando o top-15.
 
Miller e Viñales avançam ao Q2. Morbidelli é o melhor entre o novatos
 
Seguindo o resultado combinado dos três primeiros treinos livres, o Q1 contou com Siméon, Lüthi, Abraham, Bautista, Morbidelli, Viñales, Nakagami, Smith, Aleix, Miller, Pol, Redding, Rabat e Syahrin.
Jack Miller foi o mais rápido no Q1 no Catar (Foto: Michelin)
Quando o relógio passou a contar os 15 minutos do Q1, os pilotos não tardaram a entrar na pista. Como era de se esperar, todos tinham pneus macios na traseira, com boa parte do pelotão optando pela borracha mais suave também na dianteira, exceto por Tom, Karel, Franco, Maverick e Takaaki, que calçavam os médios.
 
Com 1min54s710, Viñales abriu a sessão na ponta, 0s601 melhor que Aleix. Miller, Redding, Rabat e Morbidelli vinham na sequência.
 
Por outro lado, Smith teve de voltar a pé para os boxes da KTM, já que teve um problema com a RC16.
 

Miller, então, baixou sua marca e assumiu o segundo posto, com Morbidelli vinha na sequência, 0s020 atrás da linha de corte para a fase seguinte.
 
Na metade da sessão, os pilotos voltaram aos boxes em busca de pneus novos e voltaram para a pista tão logo foi possível. Abraham, por outro lado, não conseguiu sair tão cedo, já que tinha um cobertor de pneus preso na traseira da moto ― de acordo com a Ángel Nieto, aliás, o cobertor não era sequer da equipe, mas de um outro time que jogou o item no caminho.
 
Logo de cara, Viñales baixou para 1min54s67, mas não conseguiu aumentar sua vantagem, já que Miller também foi mais rápido, se colocando a 0s165 do #25. Ainda terceiro, Morbidelli agora tinha mais de 0s5 de atraso para a linha de corte.
 
Em sua sexta volta, Aleix alcançou 1min55s140 e assumiu o terceiro posto, 0s164 mais rápido que Morbidelli, o quarto. Rabat e Lüthi vinham logo atrás.
 
Com o cronômetro travado, Miller cravou 1min54s634 e tomou a ponta de Viñales por 0s003. Aleix confirmou o terceiro tempo, seguido por Morbidelli, o melhor entre os novatos.
 
A KTM de Pol Espargaró, aliás, também teve problemas e impediu o catalão de fazer sua volta final.
 
Assim, Miller e Viñales avançam para o Q2, com Aleix saindo do 13º posto do grid, à frente de Morbidelli, Syahrin, Rabat, Redding, Lüthi, Abraham, Smith, Bautista, Pol, Nakagami e Siméon.

Zarco voa e é pole no Catar
 
Para os 15 minutos decisivos da classificação, Dovizioso, Zarco, Petrucci, Viñales, Pedrosa, Iannone, Crutchlow, Rins, Miller, Rossi, Márquez e Lorenzo entraram na pista. Com exceção de Jack, que usava médios, todos os demais contavam com um pneu traseiro macio. Na frente, só Johann, Dani, Cal e Márquez calçavam os médios.
 
Quando os 12 pilotos completaram a primeira volta cronometrada, foi Márquez quem surgiu na ponta, 0s289 à frente de Zarco. Dovizioso, Lorenzo e Rossi vinham na sequência.
 
Na passagem seguinte, a liderança foi para as mãos de Dovizioso, que virou 0s294 melhor do que Márquez. Crutchlow era o terceiro, seguido por Crutchlow, Miller, Zarco, Petrucci, Iannone, Viñales, Rossi e Rins. Marc, aliás, fez a volta usando Johann como referência.
 
Os competidores, então, entraram nos boxes em busca de novos pneus. Era a hora da verdade para a MotoGP!
 
Pouco a pouco, os pilotos foram voltando para a pista liderados por Lorenzo, que tinha o último posto da sessão. O #99, então, saltou para o terceiro posto, 0s357 mais lento que o companheiro de Ducati, mas caiu para quarto logo depois, com Pedrosa virando 0s063 melhor para igualar a marca de 1min54s368 de Márquez.
 
Na tentativa final, Zarco fez 1min53s680 e tomou a ponta, 0s202 melhor que Márquez, o segundo colocado. Petrucci, Crutchlow e Dovizioso completam o top-5.



MotoGP, GP do Catar, Losail, classificação:

1 5 JOHANN ZARCO FRA TECH3 YAMAHA 1:53.680  
2 93 MARC MÁRQUEZ ESP HONDA 1:53.882 +0.202
3 9 DANILO PETRUCCI ITA PRAMAC DUCATI 1:53.887 +0.207
4 35 CAL CRUTCHLOW ING LCR HONDA 1:54.072 +0.392
5 4 ANDREA DOVIZIOSO ITA  DUCATI 1:54.074 +0.394
6 42 ÁLEX RINS ESP SUZUKI 1:54.339 +0.659
7 26 DANI PEDROSA ESP HONDA 1:54.368 +0.688
8 46 VALENTINO ROSSI ITA YAMAHA 1:54.389 +0.709
9 99 JORGE LORENZO ESP  DUCATI 1:54.431 +0.751
10 43 JACK MILLER AUS PRAMAC DUCATI 1:54.449 +0.769
11 29 ANDREA IANNONE ITA SUZUKI 1:54.619 +0.939
12 25 MAVERICK VIÑALES ESP YAMAHA 1:54.707 +1.027
13 41 ALEIX ESPARGARÓ ESP APRILIA GRESINI 1:55.140 +1.460
14 21 FRANCO MORBIDELLI ITA MARC VDS HONDA 1:55.169 +1.489
15 55 HAFIZH SYAHRIN MAL TECH3 YAMAHA 1:55.258 +1.578
16 53 TITO RABAT ESP AVINTIA DUCATI 1:55.273 +1.593
17 45 SCOTT REDDIING ING APRILIA GRESINI 1:55.380 +1.700
18 12 THOMAS LÜTHI SUI MARC VDS HONDA 1:55.381 +1.701
19 17 KAREL ABRAHAM RTC ÁNGEL NIETO DUCATI 1:55.392 +1.712
20 38 BRADLEY SMITH ING KTM 1:55.553 +1.873
21 19 ÁLVARO BAUTISTA ESP ÁNGEL NIETO DUCATI 1:55.638 +1.958
22 44 POL ESPARGARÓ ESP KTM 1:55.706 +2.026
23 30 TAKAAKI NAKAGAMI JAP LCR HONDA 1:56.401 +2.721
24 10 XAVIER SIMÉON BEL AVINTIA DUCATI 1:56.545 +2.865

Aos 39 anos, Rossi acelera para se afastar da aposentadoria na MotoGPAo provar que Ducati pode vencer, Dovizioso mira concluir o que iniciouLorenzo vai para segundo ano na Ducati tentando recuperar performance
”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO