Rali
21/06/2018 10:30

Por problemas financeiros no Peru, edição 2019 do Rali Dakar corre risco de ser cancelada, afirma primeiro-ministro

Sem saber se poderá dar lugar à edição de 2019 do Rali Dakar, o primeiro-ministro peruano, César Villanueva, prometeu uma resposta, ainda nesta quinta-feira (21), sobre a decisão. Villanueva ressalta a importância do evento para o Peru, mas não está certo se o país pode arcar com as despesas
Warm Up / Redação GP,  de São Paulo
 Stéphane Peterhansel durante o quarto dia de competições do Rali Dakar 2018 (Foto: Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)

A próxima edição do Rali Dakar está em xeque. Prevista para acontecer de forma integral no Peru, a prova pode ser cancelada por questões financeiras do país andino. Mesmo com as datas já anunciadas, de 6 a 17 de janeiro de 2019, ainda há dúvidas sobre a confirmação do evento.
 
De acordo com primeiro-ministro peruano, César Villanueva, está previsto um anúncio para esta quinta-feira (21), se a prova será ou não realizada no próximo ano.

A justificativa principal é a mudança da política financeira do país, o que tem relação direta com os gastos necessários para receber a competição.
 
"O Ministério da Economia, Educação, Cultura e Turismo está trabalhando para sair deste ponto morto. Devido a vários problemas de emergência, estamos com orçamento apertado, embora também entendamos que este é um evento de grande importância para o país", afirmou o primeiro-ministro ao site 'Gestion.pe'.
Rali Dakar pode ser cancelado por problemas financeiros (Foto: USI)
"É óbvio que o Dakar chama a atenção para o Peru, estamos em um bom momento econômico e isso seria uma vitrine para promover nosso país. Queremos fazer todos os esforços possíveis para realizar o Dakar em 2019, mas isso será determinado nas próximas horas", acrescentou.
 
Além do pagamento de US$ 6 milhões (cerca de R$ 22 milhões) para a Amaury Sport Organisation (ASO), empresa que promove e organiza o Dakar, o Peru tem que arcar, ainda, com despesas adicionais, como infraestrutura, segurança e logística. Esse valor pode chegar a US$ 25 milhões (cerca de R$ 94 milhões ), e põe o governo na dúvida sobre sua realização.
 
A ASO também informou que ajustes teriam que ser feitos para aperfeiçoar a rota. A empresa informou que muitas áreas precisam de proteção ambiental ou arqueológica. Todos esses fatores se somam e preocupam quanto a viabilidade do Rali Dakar.
 
Depois de Argentina, Chile, Bolívia e Equador não aceitarem a prova, o Peru se torna a única opção para acolher o circuito. Caso o país confirme a recusa, há pouquíssimas chances de a edição de 2019 ser realizada em outro país por não haver tempo hábil para tal. Desta forma, a prova que marcaria os dez anos do Dakar na América do Sul tem grandes chances de ser cancelada.
HISTÓRIA ESCRITA SEM BRILHO

REGULAMENTO TIRA BRILHO DE VITÓRIA DA TOYOTA EM LE MANS