Rali
20/01/2018 15:44

Sainz fala em grande esforço, revela conselhos do filho e vê vitória no Dakar como “merecida e uma questão de justiça”

Carlos Sainz entende que a vitória no Dakar em 2018 foi merecida e era uma questão de justiça devido ao grande esforço feito para competir no mais difícil rali do mundo. O espanhol contou com a sorte e se manteve longe dos problemas para conquistar pela segunda vez a competição
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 Carlos Sainz (Marcelo Maragni/Red Bull Content Pool)

Enfim, deu tudo certo para Carlos Sainz. Depois de anos de má sorte e acidentes na disputa do maior rali do mundo, 'El Matador' conseguiu se afastar dos perigos para conquistar pela segunda vez o Dakar. O espanhol contou com uma equipe afinadíssima, mas também com contratempos dos rivais, especialmente dos companheiros de Peugeot, como Stéphane Peterhansel, que enfrentou problemas e quase abandonou, e Sébastien Loeb, que deixou a competição ainda na primeira semana. Sainz, entretanto, se manteve firme e superou até mesmo uma punição para seguir na liderança até o dia final e celebrar a vitória. Por isso, em Córdoba, neste sábado (20), após a última etapa, entende que o título entre os carros é “merecido e se fez justiça”.
 
O triunfo de Sainz também chega no momento em que a Peugeot encerra seu ciclo no Dakar após quatro anos. "Estão tão feliz", disse aos jornalistas. "Depois de quatro anos, quando juntamos forças com a Peugeot para fazer um carro vencedor, conseguimos. Eles já haviam vencido duas vezes, mas eu acho que merecia também uma vitória, porque colocamos muito esforço nesse carro. Era uma questão de justiça", completou.
Carlos Sainz (Flavien Duhamel/Red Bull Content Pool)

"Eu tive muitos altos e baixos, mas sempre tentei dar o meu melhor. E esse rali foi especialmente difícil, ficava mais complicado a cada etapa. No começo, eu disse à Peugeot, precisamos dar tudo, pé embaixo. E vi, depois de alguns dias, que as coisas eram realmente complicadas, mas essa corrida é sobre não cometer erros. Não sei se vou voltar no ano que vem. Agora, eu só quero aproveitar essa vitória, voltar para a casa, falar com a minha esposa e com a minha família, depois vamos ver", acrescentou o piloto de 55 anos.
 
Sainz também confessou que o filho, também Carlos e piloto da Renault na F1, o ajudou muito durante o Dakar. "Converso todos os dias com ele, antes e depois de cada etapa. E ele se vingou de mim todos esses dias por conta dos conselhos que sempre dei a ele. Agora, ele mesmo ficou farto de tanto que falou comigo, mas foram bons conselhos, falamos sobre as estratégias de cada dia, o que era melhor a fazer. Na verdade, ele sabe o quanto nos esforçamos para isso. Mas ele é muito melhor que eu", reconheceu.
 
Por fim, o veterano admitiu que a Argentina tem um grande papel em sua trajetória no esporte. "Esse lugar, Córdoba, é muito importante para a minha carreira, foi aqui que ganhei a minha última prova no Mundial de Rali, então a Argentina é muito especial para mim", concluiu Carlos, que conquistou a taça ao lado do navegador Lucas Cruz.