Stock Car
17/03/2018 06:00

Átila ressalta importância de intercâmbio com convidados na Stock Car e cogita até disputar prova da V8 Australiana

Átila Abreu foi um dos grandes destaques da Corrida de Duplas da Stock Car ao ganhar 22 posições e terminar a disputa em Interlagos em 11º lugar. O sorocabano da Shell Racing teve como convidado o experiente australiano Mark Winterbottom, que correu na categoria pela terceira vez. Átila ressaltou a troca de informações e experiências, assim como aconteceu quando compartilhou o volante do #51 com Nelsinho Piquet entre 2014 e 2016
Warm Up, de Interlagos / FERNANDO SILVA,  de Interlagos
 Átila Abreu e seu convidado para o fim de semana, o australiano Mark Winterbottom (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)

Um evento singular como a Corrida de Duplas proporciona uma oportunidade muito peculiar para os pilotos da Stock Car: a de acumular experiências e de fazer até intercâmbio com competidores de várias partes do mundo. Desde que a prova foi criada, em 2014, até os dias de hoje, muitas equipes trazem grandes estrelas do automobilismo internacional. A própria Shell Racing chegou a trazer o campeão mundial de F1, Jacques Villeneuve, para ser parceiro de Ricardo Zonta na edição de 2015, em Goiânia. Neste ano, a equipe chefiada por Thiago Meneghel trouxe novamente dois grandes nomes do esporte a motor. Zonta teve como parceiro o campeão mundial de GT, Laurens Vanthoor, enquanto Átila Abreu dividiu a pilotagem do carro #51 com o australiano Mark Winterbottom.
 
Seis anos mais velho que Átila, Winterbottom, de 36, é oriundo do consagrado V8 Supercars, forte categoria de turismo baseada na Austrália e da qual tem em Mark o campeão de 2015. Seu histórico é pra lá de vencedor e ostenta nada menos que 39 vitórias e 145 pódios na categoria, além de 34 poles.
 
Na Stock Car, foi a terceira vez que Winterbottom teve a chance de fazer a Corrida de Duplas. Em 2014, foi parceiro de Sergio Jimenez em Interlagos. No ano seguinte, foi o convidado de Marcos Gomes. Nas duas vezes, pela chamada Voxx Racing, hoje Cimed Racing.
A parceria entre Átila e Winterbottom deu certo demais na Stock Car (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
A experiência dos convidados é vista de forma muito positiva por Átila. Não apenas por elevar ainda mais o nível técnico da Stock Car, mas também por proporcionar a chance de aprender e até correr em outras categorias. Nas três primeiras edições da Corrida de Duplas, entre 2014 e 2016, Abreu teve como convidado o amigo Nelsinho Piquet. E aproveitou o conhecimento trazido pelo parceiro para desbravar novos horizontes e disputar o Global Rallycross em 2014.
 
“O nível de pilotos é muito alto. Pilotos que correram na F1, muita gente do turismo, com muita experiência. Até mesmo quem nunca havia andado aqui antes fazendo bonito, pilotos que correm 24 Horas de Le Mans, Nürburgring... então são pilotos que estão acostumados com isso, andar em vários tipos de carro, com um nível muito alto”, destacou o vice-campeão de 2014 e dono de duas vitórias no ano passado em entrevista ao GRANDE PRÊMIO.
 
“Você vê vários convidados andando no mesmo tempo dos titulares e, vez ou outra, até mais rápidos. Isso mostra que o nível é muito alto. E isso é legal. Você faz um intercâmbio”, pontuou Átila, que ressaltou a troca de ideias com Winterbottom no fim de semana em Interlagos.
 
“Ontem, por exemplo, a gente conversou bastante sobre o campeonato deles, sobre as experiências aqui. E da mesma forma como lá atrás, assim como fiz com o Nelsinho lá atrás, de ter a experiência de correr no Rallycross porque ele também corria, então é um intercâmbio. E abre oportunidades para nossa categoria internacionalmente, mostra que nosso nível de pilotagem aqui está no mesmo nível do europeu. Então acho que essa exposição é um ganha-ganha para todo mundo”, avaliou.
A dupla foi a que mais ganhou posições na Corrida de Duplas de semana passada: 22 (Foto: José Mário Dias/Shell Racing)
No ano passado, Átila participou da etapa de Detroit do Stadium Super Trucks, categoria que tem como patrono o norte-americano Robby Gordon e que compreende corridas em picapes, alternando velocidade e saltos. A ideia de Abreu agora é atravessar o mundo e, de repente, fazer ao menos alguma etapa da V8 Supercars e buscar colocar em prática o conhecimento adquirido com o parceiro Winterbottom.
 
“Se for, vai ser uma etapa ou outra. Estou muito focado no título da Stock Car, é meu objetivo. Há um bom tempo venho batendo na trave... Então, em princípio não tenho nada, mas se surgir uma oportunidade, quem sabe. Super Trucks, V8 Australiana... muitas provas que eu tenho um sonho de participar. A gente faz realizando um sonho a cada ano, então vamos ver”, finalizou.
 

Na pista durante a Corrida de Duplas, a parceria entre Átila e Winterbottom funcionou bem demais. Depois de uma sexta-feira frustrante, na qual a dupla não conseguiu sair para se classificar em virtude de problemas elétricos, o sábado foi de superação em Interlagos. Átila largou em último e conseguiu recuperar posições preciosas em meio ao caos gerado pelo temporal na volta de apresentação. 
 
O australiano assumiu a pilotagem do #51 na segunda parte da disputa e continuou a recuperação para cruzar a linha de chegada em 12º. Com a punição imposta a César Ramos e Kelvin Van der Linde, a dupla Átila-Mark subiu para 11º, com um total de 22 posições ganhas em São Paulo.
”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO