Stock Car
14/03/2018 08:35

Barrichello revela medo de não estar em Interlagos após suspeita de AVC e se emociona com recuperação: “Grandioso”

Rubens Barrichello foi só lágrimas e gratidão no pódio em Interlagos, no último sábado. Em grande estilo e ao lado de Filipe Albuquerque, o #111 conquistou a segunda colocação da Corrida de Duplas, prova de abertura da temporada da Stock Car. E o resultado veio com um gosto de vitória para o piloto, que no final de janeiro passou por um grave problema de saúde. Recuperado, o campeão de 2014 ressaltou diversas vezes a felicidade de poder acelerar e ser competitivo
Warm Up / NATHÁLIA DE VIVO, de São Paulo
 Filipe Albuquerque e Rubens Barrichello (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Grandes conquistas sempre são acompanhadas de grandes emoções, e disso Rubens Barrichello tem entendido bem. Com uma suspeita de AVC, o recordista de largadas na F1 e campeão da Stock Car em 2014 ficou internado na Flórida durante dez dias entre o fim de janeiro e o começo de fevereiro. Mas tão logo recebeu alta médica, anunciou a boa-nova confirmando a presença na Corrida de Duplas ao lado do luso Filipe Albuquerque. Ao lado do convidado, conquistou uma heróica segunda colocação da caótica prova em Interlagos.

Para quem estava há pouco tempo passando por um processo de recuperação, foi impossível conter a emoção. Já no pitlane, o dono do carro #111 foi às lágrimas ao comemorar com o português, a equipe Full Time, amigos e a família. E de forma merecida. "Eu tinha certeza de que ia ser muito bom", disse.

"Para mim é uma vitória estar aqui depois de tudo o que aconteceu. Queria agradecer todos os meus amigos e a minha família, que sofreram mais do que eu. Eu tive uma dor imensa por 1h40, os que me amam sofreram muito mais do que isso", continuou o piloto.
Rubens Barrichello (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

O campeão de 2014 revelou ainda que se sente completamente recuperado e em ótima forma. "É uma vitória estar aqui, estou superbem fisicamente, estou melhor do que nunca, então é uma vitória, hoje é uma comemoração".

A liberação de que poderia participar da Corrida de Duplas aconteceu no dia 20 de fevereiro, duas semanas antes do início das atividades em Interlagos. Rubens, então, admitiu que sentiu medo de não poder alinhar no grid, mas não escondeu a satisfação de poder correr e conquistar uma segunda colocação com sabor de vitória. "Eu estava tão feliz, a minha vida sempre foi assim, sempre foi com muita luta, com muita garra, mas sempre com muita coisa boa. Para mim, estar aqui é uma vitória".

"A vida de um esportista de alto nível não tem 'e se', nós ficamos em segundo, e eu agradeço aos céus, para mim isso é maior do que tudo. Eu tive muito medo de não estar aqui, então estar aqui e lutar da forma que eu sempre lutei, isso é grandioso", encerrou um emocionado e grato Barrichello.
”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO