Stock Car
10/03/2018 16:13

Barrichello se emociona com recuperação após suspeita de AVC e vibra com pódio em Interlagos: “Estou feliz demais”

O segundo lugar na Corrida de Duplas da Stock Car não vai sair tão cedo da lembrança de Rubens Barrichello. O campeão de 2014 se emocionou muito ao cruzar a linha de chegada e depois, ao sair do carro para comemorar. Foi muito mais que uma conquista dentro da pista, mas, principalmente, uma vitória de quem superou grave problema de saúde: “Tive uma coisa que 14% das pessoas que tiveram saem como saí”
Warm Up, de Interlagos / FELIPE NORONHA e FERNANDO SILVA,  de Interlagos
 Filipe Albuquerque e Rubens Barrichello (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

As últimas semanas de Rubens Barrichello foram marcadas por muita superação. No fim de janeiro, o piloto enfrentou um grave problema de saúde em Orlando, onde mora com a família. Com suspeita de AVC, Barrichello ficou internado por alguns dias num hospital da cidade na Flórida, mas assim que teve alta e foi liberado pelos médicos, anunciou não apenas sua presença na Corrida de Duplas da Stock Car, mas também seu convidado: o amigo Filipe Albuquerque. E justamente ao lado do lusitano, Barrichello comemorou o segundo lugar na caótica e emocionante prova deste sábado (10).
 
Logo que cruzou a linha de chegada e chegou ao pit-lane para a comemoração do resultado junto com Albuquerque e toda a equipe Full Time, Barrichello não conteve as lágrimas. Ainda mais emocionado, Rubens lembrou os momentos difíceis e como superou um problema de saúde dos mais sérios: “Tive uma coisa que 14% das pessoas que tiveram saem como saí”, contou o piloto com exclusividade ao GRANDE PRÊMIO.
Rubens Barrichello se emociona e abraça o filho Dudu após a Corrida de Duplas da Stock Car (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Molhou a viseira [e chorou]. Dá para ver pelo meu olho. Perguntei para meus filhos se eles tinham vergonha de ver o pai chorando e eles falaram que não e quis muito chorar. A emoção é a melhor, é a coisa mais gostosa que a gente pode sentir. Tem gente que chora mais, tem gente que chora menos. Eu voltei do hospital mais rápido, mais forte e mais choroso, pode ter certeza absoluta”, contou Barrichello, bastante emocionado.
 
Passados os momentos dramáticos no início do ano, veio a chance de definir o convidado para compartilhar o volante do #111. A opção da Full Time por Albuquerque foi bastante comemorada por Barrichello.
 
“Eu também comecei como diversão, mas acho que a gente coloca limites na nossa mente, e eu sempre sonhei em correr na Stock Car, eu sempre sonhei demais. Quando o Maurício me ligou me falando que o Filipe Albuquerque estava por perto, eu tinha certeza de que ele seria bom no carro. Falei que podia ir com tudo que daria certo”, recordou.
 
Certamente bem mais aliviado e muito feliz, Barrichello garante: está plenamente recuperado. “Esses últimos dias foram de um pouco de tensão, mas ao mesmo tempo ansioso para poder fazer o teste final. Quando fiz, passei tudo, e eu estou zero.  Zero, juro. Não tenho nada, até para os doutores, eles ficaram...”, comentou o piloto, que novamente se emocionou.
 

“Muita gente pergunta ‘o que realmente você teve?’. Eu tive uma coisa que 14% das pessoas que tiveram saem como eu saí. Eu acho que por aí você pode tirar a base, a importância do que foi. Eu estou feliz demais”, vibrou Barrichello, que comemorou o resultado com o autêntico sabor de uma vitória da vida.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha a Corrida de Duplas da Stock Car ‘in loco’ com os repórteres Fernando Silva, Felipe Noronha e Nathália de Vivo e o fotógrafo Rodrigo Berton.
ENQUANTO A MERCEDES RESPIRA CALMARIA

CONCORRÊNCIA MOSTRA ARES DE PREOCUPAÇÃO