Stock Car
21/03/2018 06:15

Fraga abre temporada 2018 sem preocupações e confiante no potencial do carro. Como na campanha do título

Campeão da Stock Car em 2016, quando se tornou o mais jovem vencedor da categoria, Felipe Fraga vê semelhanças entre atual carro da Cimed e aquele que o levou à glória há pouco mais de um ano
Warm Up / FELIPE NORONHA,  de São Paulo
 Felipe Fraga tenta mais uma vitória na Corrida de Duplas (Foto: Divulgação)

Felipe Fraga tinha 21 anos quando comemorou o título da Stock Car em 2016. Claro, foi o mais jovem campeão da história da categoria, simbolizando de vez o fim da "Era dos Dinossauros" da classe.

Em 2017 o título não veio para o piloto da Cimed, mas ele alcançou quatro vitórias durante o ano, o mesmo número de triunfos do campeão Daniel Serra. Acabou em sexto a competição.

Agora, o objetivo é juntar o que ocorreu de bom nos dois últimos anos para que a glória volte a ser palpável. E Fraga acredita que está no caminho certo.
Felipe Fraga durante a classificação da Stock Car em Interlagos (Foto: Bruno Terena/RF1)
Em entrevista exclusiva ao GRANDE PRÊMIO durante o final de semana da Corrida de Duplas, etapa que abriu a temporada da Stock Car em Interlagos, o piloto paraense contou sobre a sensação que possui de que o inesquecível ano de 2016 possa se repetir.

"Esse ano a gente já começou bem, está me lembrando muito 2016, quando eu ia para a pista sem me preocupar", contou. "Sempre que eu saio do carro eu olho para a TV estamos entre os três, então estou muito feliz."

Fraga terminou a Corrida de Duplas, que disputou ao lado de Nick Catsburg, apenas em 31°, mas porque teve problemas. Mesmo assim, segue confiante na qualidade de sua equipe: "Estou muito feliz pelo trabalho da equipe, eles trabalharam muito nas férias. Com certeza estamos na briga pelo campeonato. O meu carro está perfeito, não tem do que reclamar", explicou.
Carro de Felipe Fraga e Nick Catsburg em Interlagos (Foto: Duda Bairros/Vicar)
Por fim, ainda explicou os motivos que o fizeram terminar cinco posições atrás de Serra em 2017, mesmo com o mesmo número de vitórias, e torce para que isso não se repita agora.

"O problema é que a gente abandonou três corridas. E na Stock Car com abandono não dá para disputar campeonato, quebrando ou fazendo ou fazendo classificações ruins", completou o mais jovem campeão da história da maior categoria brasileira.
”VOCÊ TEM DE RESPEITAR”

EMOÇÃO GENUÍNA DE BARRICHELLO É EXEMPLO DE MOTIVAÇÃO