Após morte de “um dos maiores de todos os tempos”, Stewart cobra dos pilotos: “Eles precisam pressionar”

O tricampeão mundial Jackie Stewart questionou a postura dos pilotos da Fórmula 1. O escocês lamentou a morte de Ayrton Senna e alertou para a necessidade de união entre os competidores

Muita coisa deve mudar na Fórmula 1. Depois de um final de semana com muitos acidentes e as mortes de Ayrton Senna e Roland Ratzenberger, o tricampeão mundial Jackie Stewart cobrou uma postura mais agressiva dos pilotos da categoria frente às autoridades esportivas.

O escocês afirmou que faltou união entre os pilotos. Além disso, Stewart explicou que é chegada a hora de contestar veementemente as condições dos circuitos que estão no calendário.

Jackie Stewart lastimou a perda de Ayrton Senna (Foto: Getty Images)

“Eles precisam pressionar as autoridades esportivas. Unidos eles poderiam se recusar a correr em circuitos perigosos”, disse neste domingo (1). “O que aconteceu em Ímola neste final de semana mostrou como o circuito é perigoso.”

O ex-piloto lamentou a morte de Senna, “um dos melhores de todos os tempos”. “Isso deixou a comunidade da F1 ainda mais chocada”, declarou. Senna teve morte cerebral às 11h05 (em Brasília). Às 13h40, o coração do tricampeão parou de bater.

Stewart abandonou a F1 depois de ver seu companheiro de equipe na Tyrrell, o promissor François Cevert, morrer nos treinos livres para o GP dos Estados Unidos de 1973. O tricampeão sequer disputou aquela corrida em Watkins Glen.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP de San Marino, terceira etapa da temporada 1994 da F1, revivendo o noticiário daquela data

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube