Copa GP

Pilotos da Copa GP citam vantagens de etapa noturna na Granja Viana: “Menos desgaste”

A próxima etapa da Copa GP de Kart está se aproximando e todos estão animados. Os pilotos vão para a Granja Viana, no sábado (14), para disputar uma etapa noturna. Então, ninguém melhor do que os próprios para falar como é correr uma prova durante a noite

Grande Prêmio / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo / GUILHERME BLOISI, de São Paulo
A próxima etapa da Copa GP de Kart está se aproximando e os ânimos já estão bastante exaltados. A prova acontece neste final de semana, no sábado (14), e vai ser realizada no Kartódromo da Granja Viana.
 
Essa disputa vai ter um belo diferencial, pois vai acontecer na parte da noite. Sim, isso mesmo, a primeira corrida acontece às 21h30, com a final sendo às 22h30 – anote na agenda: o briefing é às 20h30.
 
Aí, amigo leito, você se pergunta se existe alguma diferença de ir para a pista com a lua no céu ao invés do infernal calor característico de Cotia? Pois bem, fomos atrás de nossos pilotos para saber o que eles acham sobre isso.
 
“Sempre fui fã de automobilismo, cheguei a fazer trackday em Interlagos, mas devido ao custo alto, através da recomendação de amigos e por ser o primeiro passo de todos os pilotos, comecei a andar de Kart faz quatro anos e não larguei mais. Já andei em algumas pistas de SP e BH, mas a minha preferida é a Granja Viana”, afirmou Guilherme Kaneto.
Corsa
“Na Granja, já andei logo cedo (7h da manhã) quando fazia coach, no período da manhã (entre 9h e 11h), na hora do sol rachando (12h e 13h), a tarde e a noite. Andar logo cedinho é bem gostoso, porém, em algumas curvas o sol pega diretamente na linha do olho e acaba atrapalhando um pouco. Próximo do meio do dia, o sol acaba sendo bem forte e junto a indumentária de piloto, acaba ‘cozinhando’ o piloto”, seguiu. 
 
“No final da tarde, também tem a questão do sol em alguns pontos. Durante a noite, na minha opinião, é o melhor momento para andar de kart na Granja. A pista está um pouco mais fria, o clima fica mais ameno, exige menos do físico e não se perde tanto líquido como no sol do meio dia. Do ponto de vista de pilotagem, o que muda é a temperatura da pista mesmo, na pista quente o pneu gruda menos e acaba tendo que adaptar o estilo de pilotagem para cada curva”, completou.
 
Marcelo Hayasaka também falou sobre o tema, apontando as vantagens de se correr durante a noite. “Correr de noite em qualquer pista é mais gostoso, principalmente em dias quentes porque a pista fica em uma temperatura ideal para a aderência dos pneus e você consegue extrair o melhor do kart”, falou.
 
“Na Granja, o legal de correr de noite é que a iluminação da pista é muito boa, então não há pontos de baixa visibilidade. Além disso, o clima é agradável por ser localizado perto de uma área 'verde', e como usamos o macacão - que é muito quente, me sinto menos desgastado do que numa corrida de dia, onde algumas vezes saí do kart engatinhando e com a ‘língua de fora’ por desidratação e excesso de calor. Fora o glamour de uma corrida noturna”, seguiu.
Sétima etapa da Copa GRANDE PRÊMIO de Kart 2019 (Foto: Gabriel Pedreschi/Grande Prêmio)
Quem também comentou foi Gustavo Ariel – que já tem vaga garantida na Scuderia GP nas 500 Milhas de Kart. “A Granja Viana é um dos circuitos mais bonitos do Brasil, à noite fica muito bacana. Uma dica que eu daria é usar a viseira clara, transparente, eu mesmo já usei viseira fumê e se enxerga um pouco menos”, sublinhou.
 
“Mas é um dos kartódromos mais iluminados que tem a noite, então é muito bacana também. E também fica mais aquele clima de GP de Singapura, Abu Dhabi, fica muito bacana. Eu prefiro correr à noite até por essa época que estamos enfrentando do ano, é muito calor”, seguiu.
 
“Então, para nós pilotos é melhor, sai do kart mais tranquilo, não precisa ficar pedindo água depois . Acho muito bacana, eu prefiro correr à noite, pneu trabalha melhor, o equipamento trabalha melhor também e é muito bacana”, continuou.

Por fim, Alfredo Salvaia também aproveitou para fazer uma rápida análise. “Correr na Granja Viana à noite, em minha opinião, é menos desgastante do que correr de dia, pois naquela região o calor normalmente é intenso. Já corri campeonatos lá com mais de 40ºC”, apontou.
Sétima etapa da Copa GRANDE PRÊMIO de Kart 2019 (Foto: Cauê Moalli/Grande Prêmio)
“O mesmo ocorre para o equipamento. Principalmente para os pneus, já que para o tipo de borracha utilizada no kartódromo, quanto menor a temperatura, melhor o desempenho. Além disto, como a iluminação é muito boa, não há perda de visibilidade”, encerrou.
 
Com todas essas dicas, e além de todos os motivos que Renato Ribeiro, organizador da Copa GP, deu para participar da etapa, não tem como ficar de fora, né? Se inscreva no link e a gente se vê no sábado!
 

Paddockast #32
AS PISTAS MAIS PERIGOSAS DO MUNDO


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.