Copa GP

Pilotos exaltam pista técnica e destacam atmosfera única do kartódromo de Interlagos

O kartódromo de Interlagos, que recebeu a segunda etapa da Copa Grande Prêmio de Kart neste mês, foi assunto entre os pilotos que integram a competição. Além da pista considerada técnica, os competidores enfatizaram a aura mágica que envolve o ambiente

Warm Up / VINÍCIUS PIVA, de São Paulo
A segunda etapa da Copa Grande Prêmio de Kart, válida pela Taça Edgard Mello Filho, teve Interlagos como palco principal das disputas. Com características bastante peculiares, o tradicional kartódromo desperta o interesse dos pilotos não só por ter uma pista considerada técnica e veloz, mas, também, por toda a aura, digamos, mágica que cerca o ambiente. 
 
Não por acaso. O kartódromo foi a casa de pilotos que fizeram história como, por exemplo, Ayrton Senna e Rubens Barrichello. Além, claro, de estar bem pertinho do autódromo José Carlos Pace, o grande templo do automobilismo nacional. 
 
Para deixar a prova ainda mais interessante e pegada, a organização da Copa GP optou pelo traçado invertido, surpreendendo boa parte dos pilotos que, aliás, demonstram um carinho especial pelo ambiente. 
 
“Interlagos remete aos grandes pilotos, o kartismo nacional nasce aqui. Estar aqui é diferente, pensar que Rubens Barrichello e Ayrton Senna correram aqui neste mesmo kartódromo... tem um clima diferenciado”, comenta Tony Bernardes.
Tony Bernardes (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“É a maneira que a Copa GP tem de nos aproximar desses pilotos não só pela memória afetiva, mas material mesmo. Estar na pista que eles correram, sentir a aura de um kartódromo histórico é um diferencial. Na minha modesta opinião, acho que o autódromo e o kartódromo poderiam ser tombados”, acrescenta.
 
Hélio Jr, que fez a pole da segunda bateria classificatória e terminou a prova em quarto, segue no mesmo tom e elogia Interlagos. “Todo mundo tem um carinho por Interlagos porque é um templo. Então a emoção bate forte, gosto bastante da pista e é sempre bom estar aqui. Saber que Ayrton Senna começou aqui, realmente tem uma aura diferente, isso não tem em nenhum outro kartódromo, sei lá, no mundo. É muito legal.”
 
Bruno Taiar destaca as dificuldades do traçado. “Estou mais acostumado a andar na Granja, é um traçado que eu tenho um desempenho melhor. Aqui em Interlagos é sempre uma coisa mais inesperada, demora mais para se adaptar, acho uma pista um pouco mais difícil”, avalia.
 
“O fato de andar em Interlagos é legal, é uma pista muito tradicional. Sempre que falo que ando de kart em Interlagos, acham que sou piloto de F1 (risos). A atmosfera do pessoal que treina e está aqui durante as etapas é muito apaixonada. Você sempre vê as mesmas caras, isso é muito bacana”, considera.
Bruno Taiar (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Taiar ainda fala sobre a escolha do estilo da pista para a segunda corrida do campeonato de 2019. “O traçado invertido tem algumas coisas inusitadas porque algumas tomadas parecem que não foram muito pensadas para serem usadas do jeito que são. Mas é interessante. Eu acho até mais rápido, eu gosto de andar no sentido invertido”, opina.
 
Alfredo Salvaia guarda boas recordações de Interlagos, sobretudo do traçado invertido. "É bem diferente da Granja, aqui é plano, a pista aqui também é espetacular. Cada uma tem as suas características, e as duas são excelentes. Aqui a pegada é diferente, ainda mais com o traçado invertido. Eu gosto muito, foi o traçado que me deu a vaga na minha primeira 500 Milhas. Traz boas recordações, além de ser bastante técnico", relembra.
Alfredo Salvaia (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Com relação ao ambiente, Salvaia exalta a experiência única vivida no dia da corrida. "De um lado a gente está ouvindo os karts da Copa GP, e do outro está tendo Porsche Cup, então aqui é um lugar mágico", completa.
 
Dagmar Viana é mais um a enaltecer o palco da segunda etapa da Copa GP, e segue os parceiros de pista. 
 
“Interlagos é diferente de tudo, tem uma magia, é de onde saiu a maioria dos melhores pilotos daqui. Temos de lutar para essa pista continuar porque essa é a história do automobilismo. Temos que aproveitar muito essa pista, que é bastante técnica. Por ser plana, faz muita diferença na tocada, que deve ser mais limpa e suave. Qualquer errinho perde tempo. Aqui é sensacional”, classifica.
 
“Mexe com todo mundo, a gente chega mais motivado. Lembra de tudo o que aconteceu, tudo o que já passou por aqui, isso mexe. Gosto bastante de andar aqui”, encerra.
Dagmar Viana (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Das dez etapas confirmadas da Copa Grande Prêmio 2019, única do kart amador que oferece dez vagas para as 500 Milhas profissional, sete acontecem na Granja Viana, e três no tradicional kartódromo da capital paulista.
 
A próxima etapa da competição será no dia 6 de abril, na Granja Viana, e as inscrições já estão abertas. Já a próxima corrida em Interlagos será no dia 25 de maio.
Corsa