Blomqvist toma ponta na largada da corrida 2 em Oschersleben e vence primeira no DTM. Farfus é segundo

Tom Blomqvist deixou de ser um forasteiro no DTM neste domingo (13) ao vencer a primeira dele na categoria. Largando em segundo, o novato passou o companheiro Farfus e caminhou com tranquilidade para a vitória

Uma ultrapassagem na largada e foi isso. Tom Blomqvist foi-se embora sem dizer adeus e jamais deu qualquer impressão de que iria perigar. Foi uma vitória relativamente tranquila para um piloto que não tinha conseguido algo melhor que um sétimo lugar ainda na temporada de estreia. Na verdade, antes deste domingo (13) em Oschersleben, tinham sido apenas três top-10 em 13 provas em 2015. É um resultado de muito peso para o novato recém-saído dos monopostos da F3 Euro.

Claro que não atrapalhou ter o companheiro de RBM, Augusto Farfus, como o protetor para o resto do pelotão. O brasileiro largou na frente e possivelmente seria o responsável pela escapada caso conseguisse tangenciar na frente a perigosa primeira curva – mas não foi o que aconteceu. Blomqvist foi para a frente ainda na reta e foi isso.

Tom Blomqvist comemora a vitória neste domingo em Oschersleben (Foto: BMW)
Completando o pódio veio Marco Wittmann, que trabalhou para tanto. A ultrapassagem em António Félix da Costa enquanto o grid ainda estava confuso pelas paradas nos boxes garantiu o terceiro pódio do ano para o atual campeão. Félix da Costa terminou mesmo em quarto.
 
Na quinta posição, assim como no sábado, Pascal Wehrlein. O fim de semana acaba como muito positivo para o reserva da Mercedes na F1. Foram 20 pontos conquistados por ele contra nenhum do rival na luta pelo título Mattias Ekström. O sueco, por sua vez, foi 11º. A diferença entre os dois agora é de 14 pontos.
 
Completando o top-10 atrás de Wehrlein, vieram Paul di Resta, Timo Glock, Jamie Green, Maxime Martin e Bruno Spengler.
 
O DTM volta para a penúltima etapa do campeonato no final de semana dos dias 26 e 27 de setembro em Nürburgring.

Confira como foi a corrida 2 do DTM em Oschersleben:

 
No tempo fechado de Oschersleben, Augusto Farfus não largou muito bem, assim como ontem, e de novo perdeu posição. A pole não chegou sequer até a primeira curva, porque o companheiro Tom Blomqvist foi preciso e passou de passagem.
 
E também não diferente de ontem, a maldosa curva 1 do circuito fez vítimas na largada. Nico Müller foi tocado por Lucas Auer e rodou. Tentando fugir, Miguel Molina dividiu um espaço mínimo com Christian Vietoris e acabou ficando encaixotado entre brita e barreira de pneus. Fim de prova para os dois, Müller e Molina, e safety-car na pista.
 
A relargada foi na quarta volta e sem muitos incidentes. Logo depois, no entanto, ainda com o pelotão junto, Bruno Spengler escapou da curva e acabou passado por Jamie Green e Mattias Ekström, caindo para o 13º lugar.
Tom Blomqvist ganhou a posição de Farfus na largada e venceu em Oschersleben (Foto: BMW)
Mais atrás e veloz, Edoardo Mortara fazia bela ultrapassagem sobre Robert Wickens pela 15ª colocação. Dentro do top-10, Maxime Martin deixou Vietoris comendo poeira para assumir o nono posto. 
 
Uma volta depois, na dez, as coisas ficariam piores para Vietoris. Novamente na primeira curva, o piloto da Mercedes ficou para trás. Só que agora ultrapassado por três pilotos de uma só vez. Jamie Green deu o bote e Ekström e Maximilian Götz seguiram. Agora era Green no décimo lugar. 
 
Na 11ª volta, os carros começaram os pit-stops. Primeiro Spengler; depois, na volta seguinte, Farfus, António Félix da Costa, Marco Wittmann, Timo Glock, Green, Ekström, Vietoris e Gary Paffett. 
 
Nos que pararam na volta 14, Martin Tomczyk e Paul di Resta passaram roda com roda no pit-lane. Pior para Tomczyk, punido com drive-through por liberação insegura da equipe. 
 
Ainda com o grid desarrumado, Wittmann aproveitou para passar Félix da Costa para o que era, então, a oitava colocação – mas virtual terceira. 
 
Apenas no 20º giro, Daniel Juncadella foi aos boxes. Era o último que permanecia à frente do pelotão ainda sem parar. Com tudo restabelecido, Blomqvist, Farfus e Wittmann eram os três primeiros, seguidos por Félix da Costa, Pascal Wehrlein, di Resta, Glock, Grenn, Martin e Spengler no top-10.
 
Com este resultado, Wehrlein estava indo para 140 pontos no campeonato contra 126 de Ekström.
 
Na 21, Mortara, único ainda sem parar e que vinha no meio do pelotão, escapou da pista. Foi forçado a entrar, então. Voltou no 22º e então último posto.
Tom Blomqvist comemora vitória em novo dia da BMW em Oschersleben (Foto: BMW)
Os comissários mandaram o aviso de que Werhlein vai precisar se encontrar com eles depois da corrida, porque sua luz de pit-stop não estava acionada quando ele foi aos boxes.
 
Nas voltas finais, Ekström tentava encostar em Spengler para conseguir ao menos um pontinho no final de semana. Mas realmente não parecia que ele conseguiria tirar a ultrapassagem da cartola.
 
Precisamente na última volta, Auer perdeu o carro, escapou na curva e bateu bem forte na barreira de pneus. Como era o giro derradeiro, Blomqvist cruzou a quadriculada antes que se pudesse tomar qualquer atitude – não que afetaria muito o líder da prova. Quando veio a bandeira vermelha, a prova estava decidida. Auer saiu do carro andando, mas parecia sentir alguma dor. De qualquer forma, nada muito grave numa batida firme.
 
Blomqvist venceu, com Farfus, Wittmann, Félix da Costa, Wehrlein, di Resta, Glock, Green, Martin e Spengler completaram o top-10.

DTM, Corrida 2, Oschersleben, final:

1 TOM BLOMQVIST ING BMW RBM 54:30.221 41 voltas
2 AUGUSTO FARFUS BRA BMW RBM +7.712  
3 MARCO WITTMANN ALE BMW RMG +13.080  
4 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR BMW Schnitzer +18.820  
5 PASCAL WEHRLEIN ALE Mercedes HWA +19.486  
6 PAUL DI RESTA ESC Mercedes HWA +22.741  
7 TIMO GLOCK ALE BMW MTEK +26.196  
8 JAMIE GREEN ING Audi Rosberg +31.492  
9 MAXIME MARTIN BEL BMW RMG +32.162  
10 BRUNO SPENGLER CAN BMW MTEK +34.389  
11 MATTIAS EKSTRÖM SUE Audi Abt +35.173  
12 TIMO SCHEIDER ALE Audi Phoenix +39.006  
13 GARY PAFFETT ING Mercedes ART +48.174  
14 ADRIEN TAMBAY FRA Audi Abt +48.987  
15 DANIEL JUNCADELLA ESP Mercedes Mücke +49.355  
16 ROBERT WICKENS CAN Mercedes HWA +59.030  
17 LUCAS AUER AUT Mercedes ART +59.500  
18 MAXIMILIAN GÖTZ ALE Mercedes Mücke +1:03.738  
19 MIKE ROCKENFELLER ALE Audi Phoenix +1:04.302  
20 MARTIN TOMCZYK ALE BMW Schnitzer +1:04.762  
21 CHRISTIAN VIETORIS ALE Mercedes HWA +1:11.880  
22 EDOARDO MORTARA ITA Audi Abt    NC
23 MIGUEL MOLINA ESP Abt Audi    NC
24 NICO MÜLLER SUI Audi Rosberg    NC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube