Martin domina corrida 1 do DTM e vence fácil em Nürburgring. Wehrlein fecha em terceiro e mantém liderança em 2015

Depois de um começo bastante tumultuado, com direto inclusive a bandeira vermelha, Maxime Martin garantiu mais uma vitória para a BMW na temporada do DTM. Edoardo Mortara, depois de ultrapassar Bruno Spengler, fechou em segundo e subiu para vice-líder, seguido por Pascal Wehrlein

O fim de semana da penúltima etapa da temporada 2015 do DTM teve, mais uma vez, o protagonismo da BMW. A montadora bávara garantiu a vitória na corrida 1 da etapa de Nürburgring, neste sábado (26), graças a Maxime Martin. O belga acabou ganhando a liderança depois e largar muito bem e tirar proveito de uma confusão na largada e de um péssimo começo do pole Lucas Auer. Aí ficou fácil para o belga manter a dianteira até o fim da 25ª volta da corrida.

Mas diferente do que aconteceu na etapa de Oschersleben, a BMW não varreu a concorrência. Além da montadora bávara, as outras marcas que disputam o DTM, Audi e Mercedes, também subiram ao pódio. Edoardo Mortara, que briga diretamente pelo título, terminou em segundo. O italiano conseguiu segurar no braço sua posição depois de conseguir ficar à frente de um agressivo Pascal Wehrlein, que tentou a todo custo fazer a ultrapassagem. Mas o alemão, mesmo em terceiro, manteve a liderança do campeonato e segue firme rumo ao título do DTM.

Na cerimônia do pódio, Martin desfrutou de receber o troféu de vencedor das mãos de Nelson Piquet, tricampeão mundial de F1 e nome histórico da BMW.

Maxime Martin comemora vitória em Nürburgring (Foto: DTM)

Augusto Farfus, único brasileiro do grid, teve uma jornada complicada neste sábado. Depois de ter largado em 16º, o curitibano chegou a estar em 13º, mas logo após a relargada da prova enfrentou problemas e teve de fazer um pit-stop imprevisto, cruzando a linha de chegada apenas em 18º.

Na classificação do campeonato, Wehrlein agora soma 155 pontos. Mortara subiu para vice-líder e tem 128, um a mais em relação a Mattias Ekström, que completou a corrida apenas em décimo lugar.

Confira como foi a corrida 1 do DTM em Nürburgring

A prova que abriu o penúltimo fim de semana do DTM em 2015 começou muito tumultuada. Lucas Auer, pole-position, largou mal demais e perdeu um sem número de posições, despencando para sétimo. Pior foi no pelotão intermediário: Jamie Green foi tocado por Tom Blomqvist, rodou e acabou sendo acertado em cheio por outra Audi, a de Miguel Molina. Mattias Ekström também se envolveu no incidente.

Na frente, Pascal Wehrlein reclamou de uma ‘espalhada’ de pista de Maxime Martin. O líder do campeonato caiu para quarto lugar, atrás de Edoardo Mortara, rival direto na luta pelo título, e as BMW de Bruno Spengler e Martin. O belga assumiu a liderança em meio aos incidentes da primeira volta.

A direção de prova primeiramente acionou o safety-car para remover os destroços dos carros que estavam espalhados na pista. Entretanto, não demorou muito para que a organização da categoria interrompesse a disputa com bandeira vermelha. Com todos os carros alinhados na reta, Wehrlein foi ao carro de Martin reclamar da postura do belga. Seu Mercedes acabou tendo a aleta dianteira danificada com a batida. Maxime minimizou: “Isso é corrida”.

Largada apertada do DTM em Nürburgring; confusão marcou primeira volta (Foto: DTM)

A corrida foi retomada cerca de 15 minutos depois sob regime de safety-car. Martin era escoltado por Spengler, Mortara, Wehrlein e Maximilian Götz. Augusto Farfus vinha em 13º depois de ter largado três posições atrás. Na volta seguinte, o carro de serviço voltou ao pit-lane, e a prova foi reiniciada de fato.

Ao menos na primeira volta, a corrida seguiu sem incidentes entre os ponteiros. Martin conseguiu abrir uma margem segura à frente de Spengler. Farfus, com problemas, teve de ir aos boxes. Mas não se tratava de uma estratégia diferenciada, uma vez que o regulamento não prevê parada obrigatória nas corridas — mais curtas — de sábado.

Na metade da disputa, a corrida seguiu num ritmo mais amarrado, com poucas manobras de ultrapassagem. Uma delas foi a de António Félix da Costa, que ganhou a posição de Mattias Ekström — curiosamente, ambos apoiados pela Red Bull, mas de montadoras diferentes — e colocou a BMW à frente da Audi, em 11º lugar.

Mortara pilotou de forma valente, segurou Mortara até o fim e foi premiado com o segundo lugar (Foto: DTM)

Martin escapou de vez na ponta, mas Spengler lutava pelo segundo lugar numa briga que tinha também Mortara e Wehrlein: BMW, Audi e Mercedes na mesma tomada, e qualquer desfecho era possível para a batalha. Até porque, em seguida, quem se uniu ao pelotão foi Götz, que fazia, de longe, sua melhor corrida desde que fez sua estreia no DTM.

Até que veio a 15ª volta. Mortara aproveitou o melhor desempenho do seu Audi com o acionamento da asa móvel e conseguiu ultrapassar Spengler no fim da reta em Nürburgring.Na manobra, houve o contato, e a BMW preta do canadense ficou danificada e perdeu muito rendimento. Assim, ficou fácil para Wehrlein também fazer uma importante ultrapassagem.

Spengler ainda conseguiu se manter em quarto depois de sustentar uma enorme pressão de um bolo de pilotos formado por Götz, Auer, Gary Paffett, Marco Wittmann, Robert Wickens e Mike Rockenfeller.

Quase de ponta a ponta, Martin vence em Nürburgring e faz a festa da BMW (Foto: DTM)

Mas o canadense não tinha mais como lidar com a falta de desempenho da sua M4. Seu ritmo, muito mais lento, acabou por juntar muitos pilotos. Mesmo com uma tocada aguerrida, Spengler não conseguiu se sustentar em quarto, acabou sendo ultrapassado por vários pilotos e ainda teve seu pneu traseiro direito furado justamente pelo problema na carenagem danificada.

Götz subiu para quarto, seguido por Lucas Auer. Eram três Mercedes, uma Audi, a de Mortara, e a BMW de Martin no rol dos cinco primeiros. Martin disparou na frente e seguiu para uma grande vitória em Nürburgring, enquanto restava a definição pelo segundo lugar entre os oponentes Mortara e Wehrlein.

Mesmo com toda a pressão, Wehrlein não conseguiu ultrapassar o italiano e teve mesmo de se contentar com o terceiro lugar. Um resultado que, de certa forma, não foi ruim para o campeonato, uma vez que ainda o manteve na liderança com uma boa margem, mas agora tendo Mortara como vice-líder da temporada. Resultado bom também para a Audi, que voltou a subir ao pódio em 2015 e, principalmente, para a BMW, que comemorou sua terceira vitória consecutiva em 2015, graças a Martin, e abriu vantagem na liderança do campeonato dos Construtores.

O terceiro lugar neste sábado deixou Wehrlein com 27 pontos de frente para Mortara (Foto: DTM)

DTM, etapa 8, Nürburgring, corrida 1, final:

1 MAXIME MARTIN BEL BMW RMG 48:17.036 25 voltas
2 EDOARDO MORTARA ITA Audi Abt +2.543  
3 PASCAL WEHRLEIN ALE Mercedes HWA +2.955  
4 GARY PAFFETT ING Mercedes ART +14.227  
5 MAXIMILIAN GÖTZ ALE Mercedes Mücke +15.293  
6 LUCAS AUER AUT Mercedes ART +16.750  
7 MARCO WITTMANN ALE BMW RMG +17.349  
8 ROBERT WICKENS CAN Mercedes HWA +20.620  
9 ANTÓNIO FÉLIX DA COSTA POR BMW Schnitzer +22.189  
10 MATTIAS EKSTRÖM SUE Audi Abt +23.857  
11 MIKE ROCKENFELLER ALE Audi Phoenix +24.398  
12 PAUL DI RESTA ESC Mercedes HWA +25.032  
13 TIMO GLOCK ALE BMW MTEK +25.383  
14 ADRIEN TAMBAY FRA Audi Abt +25.756  
15 CHRISTIAN VIETORIS ALE Mercedes HWA +26.413  
16 NICO MÜLLER SUI Audi Rosberg +27.142  
17 DANIEL JUNCADELLA ESP Mercedes Mücke +27.724  
18 AUGUSTO FARFUS BRA BMW RBM +1:00.378  
19 BRUNO SPENGLER CAN BMW MTEK +7 voltas NC
20 TIMO SCHEIDER ALE Audi Phoenix +14 voltas NC
21 TOM BLOMQVIST ING BMW RBM +16 voltas NC
22 MIGUEL MOLINA ESP Abt Audi +18 voltas NC
23 MARTIN TOMCZYK ALE BMW Schnitzer +25 voltas NC
24 JAMIE GREEN ING Audi Rosberg +25 voltas NC

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar