DTM

Rosberg ressalta peso das fábricas no campeonato e aponta futuro elétrico para DTM

Nico Rosberg comentou sobre o futuro do DTM nos próximos anos. Reconhecendo a grande importância das fábricas, o alemão indicou que a categoria vai ter que seguir o futuro elétrico para seguir nas pistas

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Nico Rosberg fez algumas rápidas previsões sobre o futuro do DTM. O alemão afirmou que a categoria deve seguir o caminho dos carros elétricos com as fábricas na próxima década para continuar nas pistas.
 
Para esta temporada, a categoria passou dos motores V8 aspirados para propulsores V6 turboalimentados mais eficientes, assim se aproximando da japonesa Super GT durante o processo.
 
Agora, o campeão de 2016 da Fórmula 1 afirmou que o DTM deve estar preparado para dar um passo adiante. “Um dia, quando todas as fábricas venderem carros elétricos, o DTM também deve ser elétrico, isso com certeza”, falou ao ‘Motorsport’.
Philipp Eng (Foto: Reprodução)
“Temos de ver se isso acontece daqui sete anos ou em quatro, mas definitivamente temos que ficar de olho nisso”, completou.
 
Ao ser questionado se a categoria poderia seguir sem depender de um futuro híbrido e elétrico, Nico indicou que é uma possibilidade, mas ressaltou a dependência das fábricas. “Isso pode funcionar, pois todos ainda gostam do barulho, especialmente se a mobilidade elétrica significa pilotar em silêncio”, apontou.
 
“Você certamente pode fazer uma categoria em que o barulho ainda está lá. O problema é que as fábricas não querem seguir esse caminho. Se você fizer sem as fábricas, então pode ser uma possibilidade, mas desde que precisa delas, pode não funcionar”, encerrou.