IMSA admite erro que encerrou 24h de Daytona com apenas 23 horas e 58 minutos

Em comunicado, o IMSA Sportscar confirmou que a direção de prova se confundiu nos instantes finais das 24 Horas de Daytona e encerrou a disputa antes do previsto pelo regulamento. Mesmo assim, o resultado foi mantido

Uma cena curiosa chamou a atenção de quem acompanhava os instantes finais das 24 Horas de Daytona, tradicional prova que abriu a temporada 2024 do IMSA Sportscar e do automobilismo na América do Norte, no último domingo (28). A direção de prova encerrou a prova um pouco antes do esperado, no que deveria ser a volta final, gerando confusão em pilotos, equipes e membros da imprensa.

Na segunda-feira (29), o IMSA emitiu um comunicado admitindo o erro e explicando as consequências disso, mas mantendo o resultado final obtido dentro da pista por conta de um artigo específico no regulamento da temporada 2024 do campeonato.

“Devido a um erro da direção de prova, o IMSA inadvertidamente anunciou e mostrou a bandeira branca com menos de três minutos para o final da corrida. No final da volta, o carro #7, que liderava, recebeu a bandeira quadriculada com um minuto e 35 segundos em disputa, encerrando a corrida antes das 24 horas planejadas com uma volta de diferença”, disse a categoria em nota emitida.

“Baseado no Artigo 49 do Regulamento de 2024 do IMSA, caso a bandeira quadriculada seja exibida sem aviso ou antes que o carro líder complete o número programado de voltas — ou antes do tempo previsto —, a corrida será considerada encerrada no momento que a bandeira foi mostrada”, concluiu.

O Porsche #7 contou com o brasileiro Felipe Nasr e ficou com a vitória (Foto: Penske)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Felipe Nasr colocou o Brasil no lugar mais alto do pódio ao vencer neste domingo (28) as 24 Horas de Daytona, prova de abertura da temporada 2024 do IMSA Sportscar. Representando o carro #7 da Porsche/Penske, o piloto conquistou a 11ª vitória brasileira na corrida, a quarta consecutiva. Pipo Derani, com a Cadillac #31, chegou na segunda posição na classe rainha.

Na classe GTD Pro, quem também levou a corrida para casa foi Daniel Serra que, junto com James Calado e Alessandro Pier Guidi, conduziu a Risi Competizione/Ferrari ao triunfo na Flórida.

Pela LMP2Felipe Fraga e Felipe Massa vão ao pódio com a Riley/Oreca #77 graças ao terceiro lugar na maratona, vencida pelo carro #18 da Era Motorsports, conduzido pelo dinamarquês Christian Rasmussen.

GRANDE PRÊMIO transmitiu a prova com exclusividade e a exibição de uma das corridas mais tradicionais do endurance mundial rendeu grandes números. Mais de 480 mil visualizações foram registradas no vídeo das transmissões, com 210 mil pessoas passando pela prova durante a transmissão. O tempo médio de visualização foi acima de 30 minutos, considerado bem alto para os padrões do YouTube.

As 24 Horas de Daytona contaram com um supertime de narradores, com Geferson Kern in loco em Daytona, Sérgio Lago e Rodrigo Vicente, além dos comentaristas Rodrigo Mattar, Milton Rubinho, Dedê Gomez, Ricardo Arcuri, Sérgio Milani, Bernardo Bercht e Lipe Paíga.

transmissão teve o oferecimento da Stuttgart Porsche, que também apoia Felipe Nasr, piloto da Penske que, junto de Dane Cameron, Matt Campbell e Josef Newgarden, saiu com a vitória em Daytona. Foram 25 entregas publicitárias da ao longo das 24 horas de transmissão.

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias do GP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.