Endurance

A quatro horas do fim, 24h de Daytona tem muita chuva, bandeira amarela e Derani na liderança

O acidente envolvendo vários carros na relargada após o período de bandeira vermelha levou a direção de prova a manter um longo período de bandeira amarela nas 24 Horas de Daytona. Com a troca de pilotos na Wayne Taylor e no Acura #7 da Penske, Pipo Derani assumiu a liderança. Por conta de um pequeno incêndio, o Acura #6 deixou a luta pela vitória
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
A edição 2019 das 24 Horas de Daytona chegou ao seu último sexto de prova com chuva forte, muito vento e um cenário bastante aberto a respeito da luta pela vitória em todas as quatro categorias. No fim da manhã deste domingo (27) na Flórida, a prova teve sua 19ª hora toda em regime de bandeira amarela, que foi acionada depois de um acidente múltiplo na relargada após um longo período de 1h45min de bandeira vermelha.
 
A organização da prova mandou à pista um caminhão-turbina para tentar secar alguns trechos da pista para que a bandeira verde seja novamente acionada. Contudo, o nível de água é tamanho que compromete a visibilidade dos pilotos.
 
Com quatro horas para o fim da corrida, a liderança mudou de mãos na classe principal da disputa, a DPi. Durante o período de bandeira amarela, Fernando Alonso, então na frente na prova, deu lugar a Jordan Taylor no Cadillac #10 da equipe Wayne Taylor. Pouco depois, Ricky Taylor foi substituído por Helio Castroneves na pilotagem do Acura #7 da equipe Penske. Assim, Pipo Derani subiu para a ponta com o Cadillac #31 da Action Express.
Cadillac #31de Pipo Derani, líder em Daytona com quatro horas para o fim (Foto: IMSA)
A luta pela vitória na DPi teve uma baixa significativa. Um princípio de incêndio no Acura #6 da Penske, pilotado por Simon Pagenaud, levou o piloto a recolher o carro para o pit-lane. Por sua vez, a equipe optou por trabalhar nos reparos do protótipo na garagem. O #6, que estava na volta do líder, definitivamente ficou fora da batalha pelo topo do pódio.
 
Tristan Vautier continuou na pista durante a 19ª hora de disputa esegue o Cadillac #85 da equipe JDC-Miller, que tem Rubens Barrichello como um dos pilotos, na quinta posição geral. Na LMP2, Henrik Hedman mantém a liderança da prova, seguido por venezuelano Pastor Maldonado, duas voltas atrás. Dobradinha momentânea da DragonSpeed na categoria.
 
Alessandro Pier Guidi continua na liderança da classe GTLM, guiando a Ferrari 488 GTE da Risi Competizione — compartilhando o volante com Davide Rigon, Miguel Molina e James Calado. Joey Hand, com o Ford GT #66 da Ganassi, vem em segundo, na mesma volta do líder. O norte-americano divide o volante do carro com Dirk Müller e Sébastien Bourdais. 
 
Os seis primeiros da classe estão na mesma volta, sendo o sexto carro a BMW M8 GTE pilotada no momento por Phillip Eng, que tem Augusto Farfus, Connor De Phillippi e Colton Herta como companheiros de equipe.
 
A GTD é a categoria mais indefinida até o momento em Daytona, com nada menos que os 11 primeiros na mesma volta. AJ Allmendinger continua o líder com o Acura NSX #86 da Meyer Shank Racing. 
 
Destaque para Simona de Silvestro, que segue na pista representando a equipe toda feminina da Heinricher Racing, formada também por Katherine Legge, Christina Nielsen e Bia Figueiredo. O time está na quarta posição da categoria, duas posições à frente da Mercedes AMG GT3 da Riley, guiada por Jeroen Bleekemolen e que tem Felipe Fraga como um dos integrantes do time.
 
A equipe Via Italia voltou a contar com Marcos Gomes ao volante da Ferrar 488 #13. A equipe brasileira está em 14º lugar na categoria e em 31º na classificação geral.