Aston Martin agradece apoio e diz que só continuou correndo em Le Mans a pedido da família Simonsen

O presidente da montadora, David Richards, agradeceu todo o apoio recebido após a morte de Allan Simonsen, mas lamentou que a chuva, já na manhã deste domingo, tenha custado a vitória

A Aston Martin tinha grandes ambições para as 24 Horas de Le Mans de 2013, ano que marca o centenário da montadora. As expectativas por um bom resultado, porém, se tornaram um pesadelo logo nas primeiras voltas da prova quando o dinamarquês Allan Simonsen, que defendia as cores da escuderia na categoria GTE Am, morreu após sofrer um grave acidente.

Neste domingo (23), após a corrida, o presidente da fabricante, David Richards, disse que tinha a intenção de deixar a prova tão logo o óbito foi confirmado. Entretanto, um pedido da família Simonsen manteve a Aston Martin correndo até o final.

Venha trabalhar no GRANDE PRÊMIO! Inscreva-se já no Grande Estagiário 6
Aston Martin lamentou a trágica participação em Le Mans (Foto: Getty Images)

O dirigente apenas lamentou que Frédéric Makowiecki, então líder na classe GTE Pro, tenha batido quando começou a chover, e o safety-car prejudicou a estratégia da máquina de Darren Turner, Stefan Mücke e Peter Dumbreck.

“Seguindo os desejos da família de Allan, a equipe continuou a participação em uma corrida que obviamente foi muito emocional e difícil para todos. Tanto o carro número 97 quanto o 99 lideraram por longos períodos, mas foi a mudança das condições climáticas na última hora que nos custou a vitória tão desejada”, declarou.

Richards ainda agradeceu todas as mensagens de apoio que a montadora recebeu desde o acidente fatal de Simonsen. “Quero agradecer a todos que nos deram apoio neste fim de semana e enviaram mensagens de condolências à família de Allan”, completou.

O chefe da equipe, John Gaw, disse que mesmo com toda a dificuldade da prova todos os integrantes da escuderia representaram de maneira digna as ambições da marca.

“A edição de 2013 de Le Mans será lembrada pela equipe pelas trágicas circunstâncias de nossa participação, mas todo mundo cumpriu seu dever com a dignidade que as circunstâncias pediam. Mesmo não tendo alcançados nossos objetivos, esperamos aprender nossa lição para as demais rodadas do WEC”, afirmou.

Terceiro colocado na categoria GTE Pro, Turner disse que foi muito difícil concentrar na prova após a morte de Simonsen. “Foi um fim de semana bastante emocional. Ninguém poderia imaginar que tudo começaria como começou. Nossos pensamentos estão com Allan, sua família e todos os amigos que fez ao longo de sua carreira”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube