Endurance

Aston Martin e Toyota confirmam presença na temporada 2020/21 do WEC com hipercarros

O Conselho Mundial da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) aprovou o novo regulamento dos hipercarros para o Mundial de Endurance a partir da supertemporada 2020/21. Nesta sexta-feira (14), às vésperas das 24 Horas de Le Mans, Toyota e Aston Martin já asseguraram presença com os novos modelos do WEC. Há ainda uma terceira marca confirmada: a Scuderia Cameron Glickenhaus

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A próxima temporada do Mundial de Endurance — que compreende a volta das 6 Horas de São Paulo, em fevereiro de 2020 — vai ser a última com a presença dos protótipos LMP1. Isso porque a partir do campeonato bianual seguinte, em 2020/21, o WEC vai contar com os hipercarros no grid. O Conselho Mundial da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) anunciou nesta sexta-feira (14), às vésperas das 24 Horas de Le Mans, o regulamento estabelecido em três pilares: garantir a competição entre as equipes, trabalhar com orçamentos controlados e fazer com que os carros sejam as verdadeiras estrelas do espetáculo
 
Logo após a oficialização, Toyota e Aston Martin já anunciaram suas respectivas participações no Mundial de Endurance com os novos hipercarros. A marca britânica vai alinhar o Valkyrye, assinado em conjunto com Adrian Newey e a Red Bull, e a Toyota vai levar à pista o novíssimo protótipo GR Super Sport. Há ainda uma terceira marca confirmada: a Scuderia Cameron Glickenhaus.
 
As montadoras vão poder optar por desenhar um protótipo hipercarro ou então desenvolver um carro de corrida derivado de um modelo de rua. O novo hipercarro deverá ter 1.100 kg como peso máximo, potência máxima de 550 kw — para os modelos elétricos ou híbridos — ou 750 cv para os veículos movidos a combustíveis. A expectativa é que, ao menos para a primeira supertemporada com os hipercarros, a volta média em Le Mans seja em torno de 3min30s. Tudo com um único fornecedor de pneus. Tudo para proporcionar custos mais baixos às fábricas.
A Toyota vai seguir no Mundial de Endurance com a regra dos hipercarros a partir de 2020/21 (Arte: Toyota)
Pouco depois da confirmação do regulamento dos hipercarros, Aston Martin e Toyota anunciaram suas respectivas presenças na categoria mais rápida do grid do WEC para 2020/21.A montadora britânica, envolvida no Mundial de Endurance e nas 24 Horas de Le Mans com equipe oficial nas classes LMGTE-PRO e LMGTE-AM, desta vez vai ter a chance de correr na categoria principal da mais emblemática prova do endurance mundial.
 
A marca vai colocar na pista o hipercarro Valkyrie, projetado em conjunto com Adrian Newey, mago da aerodinâmica, e da própria Red Bull como um todo, prometendo dois carros no grid em Le Mans. O protótipo será dotado de um motor V12 de 6,5 L, encaixado dentro de uma estrutura de fibra de carbono com tecnologia aerodinâmica inspirada em um F1.

 
“O WEC e as 24 Horas de Le Mans representam o desafio definitivo para o Aston Martin Valkyrie, o hipercarro mais radical de todo o mundo. Projetado e fabricado com o objetivo de superar os limites na pista, é normal decidir que o próximo passo no seu desenvolvimento vai ser medir suas possibilidades na pista. Não posso imaginar uma maneira melhor de fazer isso do que competir em um Mundial e na corrida mais famosa e com mais prestígio de todas”, afirmou David King, chefe de operações da Aston Martin.
 
Andy Palmer, presidente da Aston Martin, entende que é chegada a hora de voltar a Le Mans na sua divisão principal e voltar a vencer, com o projeto tendo início na pista a partir de setembro de 2020, quando está previsto o início da supertemporada de estreia dos hipercarros.
A Aston Martin confirmou sua entrada no regulamento dos hipercarros para 2020/21 (Arte: Aston Martin)
“Sempre dissemos que algum dia devolveríamos a Aston Martin a Le Mans com a intenção de lutar pela vitória quando fosse o momento correto, e agora esse momento chegou. Nosso fundador, David Brown, veio aqui em 1959 com um carro e uma equipe de pilotos capazes de vencer. Pretendemos fazer o mesmo em 2021. O Valkyrie está pronto para esse desafio e está perfeitamente adequado às novas regras do ACO [Automóvel Clube do Oeste, responsável pelas 24 Horas de Le Mans]”, disse.
 
“Com toda a experiência e conhecimento de competir nos níveis mais elevados do esporte a motor, embarcamos neste novo projeto mais ambicioso com os ingredientes necessários para ter sucesso. O que pode ser mais empolgante que um ronco de um motor Aston Martin V10 à noite na reta Muslanne?”, completou o mandatário da marca britânica.
 
Por sua vez, a Toyota, que vem dominando o Mundial de Endurance com a saída de marcas igualmente importantes, como Porsche e Audi, nos últimos anos, confirmou que vai seguir na categoria na esteira da adoção do conceito dos hipercarros. A marca vai competir com um protótipo híbrido, o GR Super Sport.
 
“Estou feliz por confirmar que a Toyota Gazoo Racing vai continuar com o desafio das corridas de resistência além do regulamento atual”, declarou o presidente da equipe, Shigeki Tomoyama. "Obrigado ao ACO e à FIA por seu trabalho duro nesta regra, que esperamos que traga uma nova era dourada às corridas de endurance, com várias montadoras na luta pela vitória em Le Mans e no Mundial de Endurance", complementou.

"Para a Toyota, esta nova era de competição é uma chance fantástica para demonstrar nossas credenciais, não apenas como uma equipe de corridas contra alguns dos melhores neste negócio, mas também como fabricante de carros. Tenho certeza de que muitos fãs e rivais também vão dar as boas-vindas a esta nova regra e estão ansiosos por uma era de corridas empolgantes no WEC e em Le Mans", finalizou Tomoyama.

Anúncio inesperado

Há ainda uma terceira marca confirmada no WEC na esteira da adoção dos hipercarros: a Scuderia Cameron Glickenhaus. Chefiada pelo produtor e diretor de cinema de filmes como ‘Dupla Fatal’ e ‘O Exterminador’, o norte-americano de 69 anos homenageou sua esposa ao dar o nome de uma marca de carros superesportivos. Apaixonado por carros, James tem em sua coleção uma Ferrari P4/5, que é uma Ferrari Enzo modificada. 
 
O supercarro mais famoso construído pela Scuderia Cameron Glickenhaus foi o SCG003, avaliado em cerca de US$ 2 milhões (R$ 7,74 milhões na cotação atual). A versão SCG003 C — C de competição — já correu oito vezes as 24 Horas de Nürburgring. Agora, a partir de 2021, o desafio vai ser correr nas 24 Horas de Le Mans.

 
“Nós damos as boas-vindas ao regulamento dos hipercarros do Mundial de Endurance. Depois da nossa oitava participação nas 24 Horas de Nürburgring, vamos nos preparar para a temporada 2020/21 do WEC. Damos os parabéns à Aston Martin e convidamos todos e quaisquer outros fabricantes de hipercarros para vir também. Para nós, se não corrermos pelas 24 Horas, não somos tão hiper”, escreveu a marca no Twitter.

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?





Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.