Endurance

“Certamente estarei em um hipercarro”: Alonso reitera desejo em voltar ao WEC após “parêntese”

Fernando Alonso vai encerrar seu ciclo no Mundial de Endurance com a disputa das 24 Horas de Le Mans neste fim de semana. Mas o espanhol deixa claro seu apreço pelas corridas de longa duração e também pelo recém-anunciado regulamento dos hipercarros. Por isso, avisa que não é um adeus definitivo ao WEC, mas sim apenas uma pausa

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
O fim de semana da 87ª edição das 24 Horas de Le Mans é marcante para Fernando Alonso. O espanhol tem chances reais de vencer pela segunda vez a maior prova do calendário no endurance e, de quebra, voltar a conquistar um título mundial depois de 13 anos, quando faturou seu último título de campeão da F1, em 2006. O piloto da Toyota encerra neste próximo domingo (16) um ciclo de pouco mais de um ano com a marca japonesa no WEC, ainda que tenha em mente seguir com a parceria em outras categorias. Entretanto, Alonso deixa claro que pretende voltar em breve ao Mundial de Endurance. E a bordo de um hipercarro.
 
Na esteira do anúncio do novo regulamento para a supertemporada 2020/21 com os hipercarros, Alonso reiterou que vai voltar, em algum momento, ao grid do WEC. “Certamente vou estar em um hipercarro em 2021, 2022 ou 2023, seja quando for, mas já disse que o parêntese no Mundial de Endurance é só um parêntese e não um adeus definitivo”, comentou o piloto em entrevista ao jornal ‘Marca’.
 
Semanas atrás, quando foi questionado sobre um eventual regresso a Indianápolis para buscar a Tríplice Coroa, Alonso foi bem menos enfático. “Se voltar, vai ser pela possibilidade mais competitiva”.
Fernando Alonso pretende voltar ao Mundial de Endurance em breve (Foto: Toyota)
Alonso se mostrou bastante empolgado com o que viu a respeito do regulamento para os novos hipercarros, que vão substituir os LMP1 como os carros mais rápidos do WEC a partir de setembro de 2020.
 
“Esteticamente, ainda não sabemos como vão ser os carros, mas enquanto forem mais ou menos parecidos em termos de performance, com certa competitividade entre eles, vai ser bom para o campeonato”, comentou.
 
“Gosto da ideia dos hipercarros e da nova regra. Gosto de ver que a Aston Martin também se comprometeu e tomara que cheguem novas marcas nas próximas semanas”, concluiu.
 
Também em Le Mans, Zak Brown, chefe de equipe da McLaren — e dono da United Autosports, escuderia que compete em Le Mans na LMP2 —, também se mostrou muito atento ao regulamento dos hipercarros e indicou que o WEC é uma possibilidade para a equipe que teve Alonso nos últimos seus anos na F1.
 
“Agora que temos a regra, pensamos seriamente em devolver a McLaren às corridas de endurance. Queríamos poder usar um carro dos que já fabricamos e com a tecnologia que temos”, explicou o dirigente norte-americano.
 

Paddockast #22
O que torna uma corrida de qualquer categoria legal? E chata?




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.