Com Fittipaldi e Bourdais, Action Express vence 24 Horas de Daytona. Time de Negri fecha em 47º

Carro da Action Express pilotado por Sébastien Bourdais, João Barbosa e Christian Fittipaldi venceu a primeira etapa do United Sportscar disputada em Daytona. Time de Ozz Negri teve problemas e fechou a etapa em 47º


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Com impressionante domínio durante toda a prova, o Corvette DP número #5, da Action Express, venceu as 24 Horas de Daytona. Com chegada neste domingo (27), o time formado pelo brasileiro Christian Fittipaldi, pelo francês Sébastien Bourdais e pelo português João Barbosa cruzou a linha na primeira posição. Esta foi a segunda vitória do sobrinho de Emerson em Daytona, a primeira havia sido em 2004.
 
O trio liderou grande parte da prova, mas uma bandeira amarela nos minutos finais quase gerou uma reviravolta na liderança. No fim, vantagem foi de apenas 1s461 para o protótipo #10 da Wayne Taylor, pilotado pelo próprio Wayne Taylor, por Ricky e Jordan Taylor e pelo italiano Max Angelelli.
 
A terceira colocação no geral e na categoria protótipos ficou com outro carro #9 da Action Express. Burt Frisselle garantiu o terceiro lugar, ao lado de Brian Frisselle, John Martin e Fabian Giroix, 19s489 atrás dos vencedores. Em quarto, o carro #90 da Spirit of Daytona, pilotado por Richard Westbrook, Michael Valiante e Mike Rockenfeller. Na quinta colocação, o primeiro protótipo que não é DP: o Nissan Oreca #6, da Muscle Milk Pickett, guiado por Klaus Graf, Lucas Luhr e Alexander Brundle.
 

O quarteto vencedor, da Action Express, celebra a vitória nas 24 Horas de Daytona (Foto: Reprodução/Twitter)


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

Na categoria GT Le Mans, vitória para o carro #911 da Porsche North America, pilotado por Nick Tandy, Richard Lietz e Patrick Pilet. O trio fechou em sexto no geral. O carro #55 da BMW, de Bill Auberlein, Andy Priaulx, Joey Hand e Máxime Martin foi o segundo na categoria, sétimo no geral. A terceira colocação ficou com o carro #91 da SRT Motorsports, de Dominik Farnbacher, Marc Goossens e Ryan Hunter-Reay, 12º no geral.
 
Pela categoria PC (Protótipo Challenge), vitória do carro #54. Jon Bennett, James Gue, Colin Braun e Mark Wilkins venceram a corrida, terminando com o nono lugar no geral. O protótipo #25, pilotado por Enzo Potolicchio, Tom Kimber-Smith e Mike Marsal, fechou em segundo, 13º no geral. O quinteto do carro #38, com três brasileiros, foi o terceiro: Raphael Matos, Gabriel Casagrande, Júlio Campos, Ryan Booth e Tomi Drissi estiveram à frente do protótipo da Performance Tech.
 
Por fim, pela GT Daytona, muita polêmica. Após um quase toque durante uma disputa na parte final da corrida, a Ferrari #555 que era guiada por Alessandro Pier Guidi foi punida, garantindo, assim, a vitória para o carro #45, do quarteto formado por Nelson Canache, Spencer Pumpelly, Tim Pappas e pelo ex-piloto de F1, Markus Winkelhock. Porém, a direção de prova voltou atrás na decisão e deu o triunfo a Pier Guidi, que havia tomado a dianteira  após o incidente com Winkelhock. 

Na foto, o suposto toque que causou a punição que tirou a vitória do carro #555 (Foto: Reprodução/TV)


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O carro #60 do brasileiro Ozz Negri, dos americanos John Pew, AJ Allmendinger e do inglês Justin Wilson, enfrentou problemas e, após ficar entre os líderes nas primeiras seis horas, o quarteto acabou fechando a prova no 47º lugar geral, 12º entre os protótipos.

O BMW #94 do brasileiro Augusto Farfus, completou a prova na 25ª colocação. A Ferrari #65 dos brasileiros Daniel Serra, Marcos Gomes, Chico Longo e Xandinho Negrão, fechou na 29ª posição. Tony Kanaan, que disputou a prova ao lado de Scott Dixon, Marino Franchitti e Kyle Larson, não completou a corrida devido a um problema mecânico já na parte final. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube