Endurance

Diretor da Toyota diz que Alonso causou atrito no WEC: “Faíscas se soltaram”

Fernando Alonso não teve passagem 100% pacífica pela Toyota no Mundial de Endurance. Rob Leupen, diretor da equipe japonesa, recorda momentos de incômodo. O dirigente, entretanto, diz-se satisfeito com a passagem do espanhol

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Fernando Alonso terminou a temporada 2018-19 do Mundial de Endurance como campeão, junto de Sébastien Buemi e Kazuki Nakajima no carro #8. A campanha foi de sucesso, com cinco vitórias em oito provas, mas não de tranquilidade. Nas palavras de Rob Leupen, diretor da Toyota no WEC, a presença do espanhol trouxe uma dose de atritos.
 
Leupen segue com visão positiva a respeito da passagem de Alonso pela equipe, que não se repete em 2019-20. Dessa forma, o dirigente acredita que a parceria chegou ao fim na hora certa.
 
“A gente viu algumas faíscas se soltando”, disse Leupen. “De qualquer forma, eu sinto que alguém como ele, que não é tão fácil de lidar, sempre vai trazer algum tipo de incômodo. Foram apenas algumas coisas, mas não posso confirmar o que os outros disseram sobre ele [Alonso] no passado. Não os conheço bem. Mesmo assim, nós gostamos de contar com alguém como ele, desse tamanho. Foi bom, a jornada terminou em um bom momento”, seguiu.
Fernando Alonso teve sucesso no WEC, mas não sem alguns atritos (Foto: Toyota)
Um dos momentos de tensão foi na fase asiática do campeonato, quando o carro #7 de Mike Conway/Kamui Kobayashi/José María López encaixou duas vitórias seguidas. Em uma delas, em Xangai, o #8 saiu derrotado muito por conta de uma estratégia arruinada após entrada do safety-car. Leupen precisou reforçar o espírito de equipe.
 
“Você pode assumir uma postura de ‘as coisas são assim, é pegar ou largar’. De qualquer forma, sempre ficou claro para todos os pilotos, não só o Fernando [Alonso], que o trabalho em equipe é o mais importante. Há situações em que você pode não ficar feliz porque a equipe tomou tal decisão com a estratégia, mas também pode haver situações em que você tem sorte ou azar. Se o carro #7 tivesse mais sorte, poderia ter vencido um ou duas corridas a mais. Se o #8 tivesse menos sorte, teria perdido uma ou duas”, encerrou.
 
A Toyota já anunciou Brendon Hartley como substituto de Alonso ao lado de Buemi e Nakajima. O espanhol, por sua vez, ainda não tem planos claros para o futuro.